Posts Populares:

Postado por: Ryu sábado, 12 de setembro de 2015


Depois do desastre vergonhoso que foi o aniversário de 15 anos do Sonic em 2006, o pessoal da Sega (provavelmente) demitiu 90% das pessoas que estavam com seus nomes nos créditos de Sonic '06 e resolveu tomar um tempo pra pensar no que diabos eles estavam fazendo com seu próprio mascote e reavaliar seus conceitos. A decisão foi que Sonic precisava de uma reinvenção, um jogo que desse uma nova cara pra franquia e fizesse com que as pessoas esquecessem que Sonic '06 foi uma coisa que aconteceu... O que acabou não sendo efetivo porque até hoje tem gente lembrando do quão ruim Sonic '06 foi, mas acho que não adiantaria mesmo se lançassem um Sonic no nível dos clássicos. Sonic '06 é tipo o 11 de Setembro, por mais que o mundo já tenha superado e evoluído, não deixa de ser uma tragédia que vai sempre ser lamentada pelos estragos causados.

Então o que aconteceu? Bem, o Sonic teve um redesign de leve modificando aquele boneco de palito horroroso do '06 pro que hoje em dia é conhecido como Sonic Moderno, mas pra mim o Sonic Moderno existe desde o primeiro Sonic Adventure, ele só não tinha esse nome. Então criaram um jogo todo com uma engine nova, nomearam ele de Sonic Unleashed, teve hype pra caralho, uma transformação do Sonic em lobisomem que já fez o povo desconfiar e... No fim das contas o jogo teve uma recepção bem polarizante tanto da mídia quanto do público.

Até hoje parece que ninguém consegue chegar num consenso sobre esse bendito jogo, tem o pessoal que defende Sonic Unleashed e acha que é um bom jogo, tem o pessoal que diz que é mediano e que o Werehog estraga boa parte do jogo apesar das fases do Sonic serem boas, tem o pessoal que odeia o jogo em si independente de ser fase do Sonic ou do Werehog... Pois é, Sonic Unleashed é um jogo bem polêmico nesse catálogo do Sonic aí, só não tanto quanto o anterior ou a saga Sonic 4.

Meu primeiro contato com Sonic Unleashed foi em 2009 quando comprei meu Xbox 360 e esse foi um dos primeiros jogos que eu peguei pro console... E a minha reação inicial foi basicamente a mesma que a de parte do resto do povo: Adorei as fases do Sonic e me perguntei por que o Werehog existe. Então depois em 2010 eu fui jogando mais vezes e gostando menos desse jogo, até que eu simplesmente o larguei de lado porque vieram jogos melhores tanto do Sonic quanto de outras franquias e desde então nunca mais tinha pego Sonic Unleashed pra jogar de novo.

Pois bem... Cinco anos depois, Sonic Unleashed na verdade foi o primeiro jogo do Sonic que eu rejoguei pra fazer esses posts. O que aconteceu foi que Sonic Boom tinha sido lançado, eu vi o quão inacreditavelmente ruim aquela aberração em forma de jogo parecia, em especial o combate, e aí por algum motivo isso me deixou com humor pra jogar Sonic Unleashed no meu Xbox 360. Talvez seja porque eu lembrei do Werehog e ele pareceu até um pouco legal em comparação com aquilo, não tenho total certeza disso, mas acho que é um motivo tão válido quanto qualquer outro. Então, não precisei necessariamente rejogar Sonic Unleashed após fazer o post do jogo do Shadow porque as minhas lembranças desse jogo ainda estão bem nítidas e eu sei exatamente o que falar aqui.

Uma premissa forte levando a uma história esquecível


Nossa história começa com o Sonic enfrentando uma frota gigantesca de naves do Dr. Eggman no meio do espaço no que provavelmente é uma das minhas cenas de abertura favoritas dessa série inteira, cheia de explosões, alta velocidade, ação, tiros pra todo lado, Super Sonic... Puta merda, até hoje a intro desse jogo me arrepia quando eu a assisto. Mas pois é, o Sonic já tem as Chaos Emeralds aí, se transforma na sua super forma assim que se vê em desvantagem na batalha e sai destruindo tudo enquanto persegue Eggman, pra então cair em uma armadilha dele de uma forma meio que estúpida com aquele velho truque do vilão que pede desculpa mas na verdade tem mais um truque por baixo da sua manga, mas tá valendo... Tá valendo...

Pois bem, a armadilha se consistia em um canhão que suga a energia do Super Sonic, deixando assim as Chaos Emeralds sem energia e nem cor, e então Eggman atira na Terra com esse canhão e basicamente quebra ela em alguns pedaços, deixando o núcleo exposto e libertando Dark Gaia, a mais nova criatura maligna dos tempos antigos que aparece na série Sonic, porque com certeza esse tipo de antagonista na série já não tava cansativo a esse ponto. Mas não é só isso, o Sonic inexplicavelmente começa a sofrer uma mutação, ele fica maior, os seus dentes ficam mais afiados e pelos começam a surgir no seu corpo... Não, Sonic não tá atingindo a puberdade, isso aí é o Werehog, um lobisomem-ouriço que tem a nomenclatura mais errada possível. No fim das contas, Eggman vence a batalha, os seus planos pra dominar o mundo começam a entrar em ação e ele manda o Sonic de volta pra terra, e no meio da queda ele é salvo por uma energia misteriosa que "amortece" o impacto.

De volta na Terra, Sonic conhece um chihuahua alado (?) que parece estar sem memória, assim como também descobre que de dia ele fica em sua forma normal, mas de noite ele se transforma no Werehog. Mais tarde, Sonic resolve chamar o bichinho aí de Chip, os dois se aventuram pela cidade de Apotos pra tentar recuperar a memória do Chip e descobrir o que picas tá acontecendo com o mundo agora que tá em pedaços, o que os leva até o Tails que transporta eles até a cidade de Spagonia com o Tornado, lá o professor da universidade de Spagonia, Pickle, conhece a história por trás do Dark Gaia e dos manuscritos de Gaia e foi sequestrado pelo Eggman nesse meio tempo. Assim que o velho é salvo pela turminha do Sonic das garras do cientista maligno, eles embarcam em uma aventura atrás dos templos de Gaia nos continentes diferentes ao redor do mundo, templos esses que podem restaurar a energia das Chaos Emeralds e colocar os pedaços do planeta no lugar.

Hmm... Bem, isso foi mais fácil de resumir do que as histórias dos jogos 3D anteriores do Sonic, definitivamente Sonic Unleashed tem uma trama mais simples do que a maioria das outras anteriores, e enquanto eu certamente me agrado com essa escolha de simplificar a história, sem encher de personagens desnecessários e nem tentar ser complexa ou dramática demais, eu ainda não gosto de como a história desse jogo é narrada. Em primeiro lugar... Como diabos o Sonic se transformou no Werehog? Eu não consigo achar uma forma lógica de como isso poderia acontecer, muita gente diz que ele se fundiu com a energia do Dark Gaia, mas... Como? O canhão do Eggman tava muito distante da Terra e o Dark Gaia nem sequer havia aparecido totalmente naquele momento... O Sonic simplesmente se transforma no Werehog porque sim, e a parte mais triste disso é que a própria transformação do Werehog é totalmente inútil dentro da história do jogo.

Muda alguma coisa no Sonic quando ele se transforma no Werehog? Digo, ele teoricamente tem a energia maligna do Dark Gaia dentro dele agora, mas literalmente nada acontece, o Sonic continua o mesmo, e a justificativa que deram pra isso é que o Sonic tem uma personalidade muito forte pra perder controle de si mesmo... Sério, eu não tô nem brincando. Pior que a ideia até soaria interessante, o Sonic agora tendo esse novo lado sombrio de si mesmo que e manifesta aos poucos na medida em que a influência do Dark Gaia crescesse com o tempo no corpo dele. Isso poderia dar mais impacto à nova transformação do Sonic assim como seria um elemento do roteiro que poderia dar uma sensação de urgência ao mesmo, além do planeta estar todo destruído, você também tem que correr contra o tempo pra que o Sonic não seja totalmente possuído pelo Dark Gaia... Mas não, não acontece, o Werehog tem um impacto totalmente nulo na história, se o Sonic não se transformasse nele, não faria a menor diferença.

Outra coisa que me incomoda é como não acontece literalmente nada de interessante durante boa parte da metade dessa história... É só o Sonic e o Chip indo pra lá e pra cá, restaurando pedaços da Terra, falando com o Professor Pickle, voando pra outro continente, tem uma cena onde a Amy aparece e ela inicialmente pensa que o Sonic não é o Sonic porque tava de noite e ele tava na forma do Werehog... Aí a história volta a ser o Sonic e o Chip indo pra lá e pra cá e restaurando a Terra... Fica monótono acompanhar esse jogo por causa disso. O próprio Dr. Eggman depois de ter aquele momento badass explodindo a terra, derrotando o Sonic na intro e tudo só aparece uma vez perto do começo em Mazuri, tem uma luta contra o Egg Beetle e depois ele some durante a metade toda da história, não faz absolutamente nada até o final onde, pra surpresa e ninguém, ele é traído pelo Dark Gaia que vira o novo vilão principal pra ter uma luta de Super Sonic vs Monstro Gigante da Semana.

Tem mais coisa pra eu falar mal nessa história? Tem sim, e você já deve saber o que vem agora... É, ele mesmo, o Chip. Sabe aquele personagem novo que os roteiristas querem que o público goste a qualquer custo? Aquele personagem que força tanto a barra pra ser divertido e engraçado que ele acaba sendo mais irritante do que qualquer coisa? Aquele sidekick chato que chega até a estragar algumas cenas legais do protagonista da história? O Chip é tudo isso aí, ele é como se fosse o Scooby-Loo desse jogo, toda cena ele tem que fazer alguma piadinha sem graça, ele tem que ter um bordão, no caso sendo "Want some chocolate?" em boa parte das cenas onde ele tira uma barra de chocolate da sua bunda [?] pra oferecer pra algum personagem, ele tem que aparecer nas cutscenes pra fazer alguma coisa engraçadinha no fundo mesmo em momentos sérios da história... Acho que não demorou nem 2 horas de jogo direito pra eu olhar pro Chip e pensar "Puta merda, mas que bicho chato." e querer que ele morra logo.

A amizade do Sonic com o Chip simplesmente não me causou nenhum impacto porque eu não dava uma foda pro Chip, eu não me interessava em ser amigo dele, eu não me interessava na perda de memória dele, eu não me interessava na história dele... Eu não me interessava em nada que tenha relação com o Chip, e ele nem faz nada de relevante pra história fora no final onde ele recupera a sua memória de uma forma que eu ainda nem entendi como diabos aconteceu e aí momentos depois tem todo o ato final da história que eu admito ser bem climático. Só é uma pena que esse ato final não causou tanto impacto quanto deveria ter causado porque o Chip é um personagem que eu só queria que fosse embora a esse ponto, e ironicamente, é isso que acontece durante esse ato final, era pra ser triste, emocional, etc, mas eu não senti absolutamente nada.

Existe alguma coisa positiva que eu tenha a falar dessa história que não seja sobre a intro ou o ato final dela? Bem... Pelo menos se você comparar ela com a história do jogo do Shadow ou Sonic '06, ela vai parecer fantástica e até bem escrita, e aliás... Pois é, os diálogos não são dos piores, o próprio Sonic é até mais carismático aqui do que ele foi nos jogos anteriores. Não é um garoto metido a descolado dos anos 90 que nem a versão do Adventure, mas também não é um bom mocinho genérico e sério que nem o do '06, tá mais pra um meio termo, e eu tô ok com isso. E... Acho que só isso mesmo, pra uma história com um começo tão promissor, o resto dela é bem medíocre, e isso é uma pena porque ela poderia ter sido um exemplo a se usar quando eu falo que uma história boa pra um jogo do Sonic não precisa ter caralhocentos personagens e um plot desnecessariamente complicado e pretensioso.

Mesmo hoje em dia os visuais impressionam


Pras duas pessoas aí que não sabem, Sonic Unleashed usa uma engine gráfica nova que estava em desenvolvimento desde 2006 se não me falha a memória, essa sendo a famosa Hedgehog Engine. O que exatamente ela faz? Bem, ela cria efeitos de luz/sombra bastante realísticos, a qualidade gráfica no geral fica relativamente próxima à de uma CG, o jogo carrega trechos de fases na medida em que você progride, a draw distance é quase impecável com pop-ups mínimos... E deve ter mais umas coisas que eu tô esquecendo de mencionar agora, mas sim, o resumo disso tudo é que a Hedgehog Engine é foda pra caralho.

As texturas são bem detalhadas e consistentes, coisa que não acontecia em um jogo do Sonic desde 2005 até então, não existe mais uma área do jogo que parece ter saído do Dreamcast indo em contraste com outras mais detalhadas e parecendo fora de lugar, muito menos existem modelos de personagens que parecem inteiramente fora de lugar nesses cenários. O modelo do Sonic em particular é muito bem feito, os efeitos de iluminação/luz refletem dele também de modo que se encaixe melhor com o ambiente, as animações dele fluem bem durante as fases de dia, nas cutscenes a maioria dos personagens agora agem como se fossem realmente seres vivos e não fantoches inexpressivos como tem sido anteriormente, tá tudo lindão por aqui.

Tem uma coisa que meio que me incomoda, e nesse caso seriam os humanos... Eu já mencionei isso antes em um vídeo se eu não me engano, mas eu sinto a necessidade de fazê-lo de novo aqui. Lembra de como os humanos na série Adventure pareciam mais personagens de anime, então vem o jogo do Shadow e tenta fazer eles parecerem um meio termo bizarro entre realista e cartunesco, então vem Sonic '06 que agora faz eles realísticos... E agora Sonic Unleashed aparece e transforma os humanos em personagens da Pixar, extremamente cartunescos, alguns chegando até a parecerem caricaturas. Não me entenda errado, esse visual pros humanos é ok, o problema é que a esse ponto ficou inconsistente, o universo do Sonic no geral é uma inconsistência ambulante, mas tanto faz a esse ponto...


Eu tenho que dizer, dentre os jogos 3D do Sonic com visuais realísticos, esse aqui é de longe o meu favorito nesse departamento. Sim, os cenários são baseados em locais do mundo real, mas eles simplesmente não parecem tão realísticos quanto poderiam ser na maior parte do tempo, as cores na maioria desses locais são bem vibrantes, a estrutura no geral é bem cartunesca, sendo mais próxima de uma versão de desenho animado 3D do mundo real do que mais próxima do mundo real em si. Se for pra Sonic realmente ter um estilo artístico que se baseie no mundo real, que seja ao menos assim, ele não parece tão absurdamente fora de lugar aqui quanto parece nos cenários de um jogo como Sonic '06 por exemplo. Tem até a Eggmanland que lembra um bocado a arte dos clássicos, é a fase mais visualmente maluca e surreal do jogo, e provavelmente a minha favorita nesse aspecto.

Outro ponto forte seria o modo como esse jogo trata as ambientações das fases, que como eu disse, são baseadas em locais do mundo real, e cada continente que você visita tem todo um ar diferente que reflete nos próprios cenários, ainda que alguns tropes se repitam. Por exemplo: Apotos, Spagonia e Empire City são fases com ambientações em cidades, mas a primeira é baseada em Mykonos na Grécia e tem um aspecto mais costal com ilhas, cataventos, casas simples e brancas, a segunda é baseada em cidades da Europa, em especial a Itália e a Inglaterra, cheia de arquitetura característica da região, torres de relógio, tetos laranjas... E aí tem a última citada que é uma cidade moderna baseada em Nova York nos Estados Unidos com prédios altos e rodovias. Apesar de serem cidades, as três são muito diferentes uma da outra tanto em visual quanto atmosfera, e isso é uma coisa bem interessante que eles fizeram aqui.

Além das cidades, tem também a Adabat que é uma ilha tropical, a Holoska que é quase uma Ice Cap 2.0, a Mazuri que é uma vila localizada em uma savana, a Shamar que é uma vila com ambientação de deserto, a Chun-Nan que é baseada na China e é cheia de templos, muralhas, pistas em forma de dragões... É fantástico, eu realmente tô impressionado com o quanto eu passei a gostar dos visuais desse jogo dando uma olhada melhor nisso hoje em dia.

Claro que nem sempre tudo corre totalmente bem, tem umas quedas de frame rate aqui e ali, especialmente durante as fases do Sonic em momentos onde aparece mais coisa no meio daquela ação toda em alta velocidade do que o jogo pode suportar. Mas ok, eu vou perdoar porque não acontece com tanta frequência assim e quando acontece geralmente nem atrapalha muito.

A dolorosa diferença entre o dia e a noite


Aqui geralmente é onde as coisas ficam mais complicadas... Muita gente ainda não consegue chegar num consenso sobre o gameplay desse jogo ainda hoje, e talvez nem eu mesmo consiga fazê-lo também, porque eu já cheguei a adorar Sonic Unleashed, assim como já cheguei a odiar o jogo, e hoje em dia... Bem... Eu faço um pouco das duas coisas. Estranho? Talvez, mas eu disse que tento ser honesto acima de tudo quando escrevo nesse blog, e eu honestamente não sei o que diabos eu de fato penso desse jogo, mesmo quase 7 anos depois do seu lançamento.

Pra início de conversa, Sonic Unleashed é um jogo bem produzido, ao contrário dos jogos 3D do Sonic anteriores a esse em maioria, tem muito mais polimento aqui e o risco de você morrer por causa de algum bug ou porque os controles do jogo são tão precisos quanto os de um unicíclo com pneu furado andando numa pista molhada de mel é bem menor do que se esperaria a essa altura do campeonato. Você pode correr, pular, dar seu Homing Attack que agora é mapeado no botão X e não mais no botão de pulo... Por algum motivo... E esse botão X também é o Boost, habilidade herdada de Sonic Rush onde o Sonic sai correndo em alta velocidade e pode sair atropelando qualquer coisa que ficar no caminho dele como se fosse um monte de esterco, exceto stage hazards que ainda causam dano nele.

Sim, o Boost, provavelmente a adição mais polêmica ao arsenal do Sonic desde o Homing Attack... O que eu penso do Boost? Eh, é legal, sério, mó doideira passar correndo com o Sonic mandando tudo pra longe enquanto se tá tão rápido que parece que o mundo ao seu redor é um monte de blur, eu devo dizer que a sensação de velocidade desse jogo é bem satisfatória na maior parte do tempo. Mas por outro lado... O Boost também é uma maneira de te dar velocidade alta instantânea sem que você tenha que se esforçar muito pra merecê-la, como você precisava fazer com o Spin Dash nos clássicos e parcialmente no primeiro Sonic Adventure, e isso meio que torna a "graça" do Boost bem menor pra mim, especialmente quando segurando o botão do Boost em si eu nem sinto que estou fazendo muita coisa além de assistir o Sonic correr e matar tudo que vier no caminho dele, ainda mais porque o jogo é bem generoso quanto ao método de encher a barra do Boost, ela é enchida por anéis sendo que as fases têm um mar de anéis por toda a parte e também dá pra fazer isso derrotando inimigos.

Mas em defesa do Boost, nem sempre usar ele é uma boa ideia, porque a tela fica mais borrada mesmo já que você tá correndo rápido pra caralho e algumas vezes fica difícil enxergar pra onde diabos você tá indo, então vai ser necessário ter um certo conhecimento da fase caso queira aproveitar o Boost e usar ele com uma frequência maior. O level design é basicamente montado em cima do uso do Boost, se você dar Boost em alguma rampa, o Sonic pode voar mais alto e acessar algum caminho diferente da fase, assim como em alguns casos você precisa usar o Boost pra manter o Sonic correndo sobre a água, usar o Boost pra lidar com uns minibosses ocasionais derrubando inimigos neles ou no caso do robô gigante lá que solta lasers em você, fugir dele e manter o Boost caso contrário ele te dá uma porrada por trás. Algumas vezes você pode fazer um truque de dar um "tap" no Boost e pular e então dar um outro tap no Boost no ar após pular de um terreno mais elevado, um pouco parecido com o lance de sair voando com o Spin Dash nos clássicos ou nos Adventure, e aqui se usado de uma forma inteligente você até pode pegar uns atalhos ou fazer speedruns.

Também novos pro arsenal do Sonic são o Quick Step e o Drift, o primeiro mencionado são passos que o Sonic dá pros lados usando o LB e o RB enquanto corre, podendo assim desviar de coisas que vierem no caminho enquanto corre em linha reta... Ou podendo "mirar" em inimigos pra atropelar com o Boost e usá-los pra acertar os minibosses que aparecem de vez em quando nas fases. O Drift é... Bem... Um Drift,  que nem o de um carro, você segura B enquanto vira uma curva e o Sonic começa a derrapar, mas eu juro que esse movimento é bizarramente impreciso do jeito que é nesse jogo.

Tem hora que ele funciona bem e eu consigo fazer a maioria das curvas sem problemas, mas tem momentos em que eu faço o Drift e o Sonic continua indo mais pra frente do que pro lado onde eu quero que ele vá enquanto faz o drift, nas fases mais tardias eu cheguei a perder umas vidas com isso até decidir que é melhor simplesmente correr mais devagar e fazer as curvas que têm abismos nas beiradas com calma... Só é um pouco difícil porque o Sonic é meio duro de controlar nesse jogo, ele parece um caminhão desgovernado e nas seções mais abertas é um pouco difícil fazer ele se locomover com a fluidez que você queria, mas eh, o level design desse jogo na maior parte do tempo acomoda bem mais esses controles duros, então não é um problema tão grande assim, só ocasionalmente mesmo.

E isso me leva às fases em si, o que também é um outro aspecto polêmico sobre esse jogo... Sabe quando eu mencionei que Sonic Adventure 2 tinha um level design com mais foco em mostrar como o Sonic corre pra caralho do que no resto dos aspectos da série? Digamos que Sonic Unleashed em suas fases de dia é esse mesmo conceito aí com esteroide de cavalo misturado com Sonic Rush. Você corre segurando o Boost, sai atropelando tudo, passa por umas seções de platforming aqui e ali, tem umas seções puramente automáticas onde o Sonic corre sozinho e você só tem que usar o Boost e desviar dos obstáculos ou atropelar os inimigos, seções com puro script onde você nem precisa apertar nenhum botão existem aos montes, áreas abertas são bem escassas e mesmo nas áreas 2D o jogo não fica nem um pouco mais lento, tem um ritmo rápido bem contínuo em 90% do tempo e você é sempre motivado a continuar indo pra frente.

Muita gente não gosta desse tipo de estrutura de fase pra Sonic e muita gente gosta. Eu? Bem... Ok, eu admito que gosto de passar correndo pela maioria dessas fases, a sensação de velocidade desse jogo é sensacional e é  bem satisfatório quebrar tudo com o Boost como se não fosse nada. Eu até poderia dizer que depois de um tempo isso fica enjoativo, que o espetáculo visual da maioria delas acaba ficando velho rápido... Mas sinceramente, isso não chegou a acontecer comigo enquanto rejogava esse jogo aqui, sempre que eu jogava uma fase de dia, eu tinha uma boa experiência do começo ao fim dela.

É, ok, o level design não é perfeito, o jogo flui bem na maior parte do tempo, mas pode acontecer de você ser motivado pelo próprio jogo a usar o Boost pra então dar de cara com um espinho ou algum outro tipo de stage hazard que não dava pra ver chegando porque o jogo tem blur pra caralho durante o Boost e as áreas fechadas limitam a sua visão, na Apotos Act 2 mesmo isso acontece. Mas quando essas coisas não acontecem, eu até acho as fases bem estruturadas... Rasas? Bem, sim, não são exatamente criativas, mas funcionam dentro da proposta do jogo, não tem tantos trechos de design ruim com inimigos/hazards/abismos mal posicionados assim e honestamente eu até acho que elas melhoram bastante na medida em que o jogo progride... E por melhorar, eu não quero dizer que esperar até perto do final do jogo pra começarem a ficar criativas que nem Sonic Adventure 2 e sim a partir da metade mesmo.

Pra ser mais preciso, a partir da Chun-Nan as fases de dia já começam a ficar com um pouco mais de "carne", tem mais seções de platforming, mais caminhos alternativos, você tem umas habilidades extras como o Stomp, o Lightspeed Dash e o Boost aéreo, as fases começam a exigir mais reflexos seus e sair correndo desenfreadamente sem pensar muito com o Boost nem sempre é uma boa ideia. Sim, elas ainda são mais focadas em velocidade, mas eu gosto de como as duas coisas são um pouco mais divididas nessas fases, principalmente na Empire City, na Shamar e na Adabat que são as minhas três fases de dia favoritas do jogo, elas mantêm o ritmo frenético das outras, mas você tem que trabalhar mais caso queira ter a mesma sensação de velocidade que era dada praticamente de graça nas primeiras fases do jogo.

Isso torna essas fases bem mais satisfatórias de rejogar e dominar pra conseguir aquele Rank S com o seu esforço... E olha, é bem difícil conseguir Ranks altos dessa vez, geralmente se você leva uma porradinha sequer na metade de uma fase, é possível que seu Rank S já não vai ser mais uma coisa que dê pra conseguir. Fora que a maioria dessas fases também têm trechos memoráveis. Ou por acaso você vai me dizer que não gostou de descer a torre de relógio da Spagonia numa rail circular ou de correr por cima de uma baleia gigante e ser arremessado pra cima pelo espiráculo dela na Holoska por exemplo?

Se você quer que eu reclame mais um pouco da parte diurna desse jogo antes de ir pro resto dele... Bem, eu não gosto de como o Homing Attack é mapeado no mesmo botão do Boost porque depois que você destrava o Boost aéreo, algumas vezes você pode usar o Boost no ar sem querer quando só queria usar um Homing Attack, seja porque você não apertou o botão quando a mira tava no inimigo mesmo ele estando próximo o suficiente de você pra ela aparecer, ou porque você errou o timing de um pulo e um dash aéreo com o Homing Attack te salvaria. Isso é uma decisão idiota, principalmente quando não tinha absolutamente nada de errado com o Homing Attack ser mapeado no botão de pulo nos jogos anteriores, e pior que esse até resolve o problema com o Light Dash deixando ele em um botão próprio e o Stomp também tem seu próprio botão... Então por que caralhos fizeram isso com o Homing Attack? Eu não sei, mas é estúpido... Assim como a ideia de ter QTEs pra determinar o caminho que você pega nas fases é boa, mas isso é inconsistente e algumas QTEs simplesmente te matam caso você errar, não dá pra saber exatamente quando você pode ou não pode errar uma dessas.

E tem umas falhas técnicas aqui e ali também, tipo quando você vai dar Homing Attack em uma daquelas barras horizontais onde o Sonic balança e você tem que pular pra fora delas no momento certo, um monte de vezes o Sonic passou direto por elas comigo ao invés de prender nas mesmas quando eu usava o Homing Attack pra chegar até elas, o que já me custou uma vida na Mazuri. Mas fora isso... Eh, eu gosto das fases de dia, acho elas bem melhor projetadas e mais consistentes do que as do Sonic/Shadow no Adventure 2, mas em contrapartida, aquele jogo tem uma movimentação melhor pros personagens ao menos.


Agora fica de noite e Sonic Unleashed a partir daí vai começar a te fazer questionar o que você está jogando, por que você está jogando isso, por que isso é isso, qual é o sentido da vida, se você é heterossexual ou não... Enfim, você vai fazer muitas perguntas, porque a parte noturna desse jogo tem tanto a ver com Sonic quanto o Osama Bin Laden tem a ver com um episódio de Dragon Ball Z. 

E o que eu quero dizer com isso é que o Osama atacou as Torres Gêmeas lá em 11 de Setembro e isso fez a Globo parar de exibir Dragon Ball Z bem na hora em que o Goku ia virar Super Saiyajin 3 pela primeira vez pra mostrar um plantão sobre o ataque do Osama. Imagine que as fases de dia sejam você lá assistindo Dragon Ball Z todo empolgadão e que as fases noturnas sejam o plantão da Globo te interrompendo pra passar notícia triste. Então, é mais ou menos isso, só que nesse caso existem várias Torres Gêmeas que são atacadas constantemente e interrompem seu DBZ sempre.

... Por que diabos o 11 de Setembro tá virando um assunto recorrente em uma porra duma review de um jogo do Sonic? Eu algumas vezes não entendo a mim mesmo. Mas enfim, como uma leve trivia, sabia que em 11 de Setembro além do ataque às Torres Gêmeas, foi lançado o álbum Silver Side Up do Nickelback? Verdadeiramente foi um dia difícil, nem sei como o mundo sobreviveu a tanta tragédia de uma só vez... E eu só me toquei agora que 11 de Setembro foi ontem, wow!

Mas sim, as fases de noite desse jogo não têm porra nenhuma a ver com Sonic. O Werehog é bem lento, o combate e o gameplay geral dele é uma cópia literal de God of War, você luta contra hordas de inimigos e faz upgrades nele pra abrir mais combos e melhorar outros atributos como força, defesa, aumentar a barra de vida, etc. Tecnicamente, dá pra você fazer upgrades no Sonic também, no caso pra aumentar a barra do Boost e a velocidade dele, mas honestamente... Não se importe com isso, o Sonic já é rápido o suficiente e só com a barra de Boost inicial você consegue passar a maioria das fases dele sem problemas, guarde a experiência que você consegue com ele pra gastar no Werehog e ir fazendo upgrades nele pra deixar ele mais forte logo de cara.

Por que eu estou dizendo isso? Porque assim você fica até um pouco overpowered nas fases do Werehog e pode acabar com os combates mais rápido, e isso é bom porque lutar contra inimigos é o que você mais vai fazer nessas fases... Hordas e mais hordas de inimigos, e geralmente matar todos eles é quase sempre mandatório pra poder progredir pela fase. Na verdade, a maioria das fases do Werehog seguem essa estrutura: Anda > Luta > Platforming > Luta > Anda > Puzzle > Luta > Anda > Platforming > Luta. Você achou essa classificação repetitiva? Bem, sinto muito, pois essas fases são repetitivas dessa mesma forma. Mas em defesa do Werehog, pelo menos o gameplay dele no geral é bem feito, apesar de ser um button masher, geralmente usar os combos até te ajuda a causar mais dano nos inimigos e acabar com as lutas mais rápido também, as finalizações com os QTEs são legais de assistir e... Bem, algumas seções de platforming não são das piores, eu até gosto de algumas na Holoska ou aquela parte dentro da torre de relógio na Spagonia, essas seções costumam usar os braços elásticos (não me pergunte como) do Werehog pra agarrar em coisas, balançar em barras, fazer uns saltos, algumas vezes você precisa se equilibrar em áreas estreitas que nem o Kratos.

As fases do Werehog, apesar de geralmente serem bem feitas, me incomodam porque não só essa coisa toda parece completamente fora de lugar em um jogo do Sonic como também as fases dele duram uma quantidade absurda de tempo... Tipo, muito tempo mesmo. Se você demora de 3 a 5 minutos em uma fase do Sonic, o mínimo que você vai demorar em uma fase do Werehog é 10 minutos, e no pior dos casos uns 20 a 30. Talvez eu não me incomodaria tanto assim com as fases do Werehog se elas não tivessem essa duração absurda, e pra ofender ainda mais, você precisa explorar essas fases pra achar Sun e Moon Medals, porque é bem mais fácil fazer isso nelas do que nas fases de dia com o Sonic onde você corre rápido demais pra ao menos saber que coletou alguma coisa. Por que você tem que explorar nas fases do Werehog pra achar essas medalhas? Simples, porque o jogo pode barrar seu progresso e tornar uma fase da história principal não acessível por não ter Sun ou Moon Medals o suficiente.

Sabe o que isso significa? Que você vai ter que revisitar as fases do Werehog pra dessa vez procurar pelas benditas Sun e Moon Medals, e isso é a última coisa que você vai querer fazer, então é mais aconselhável explorar cada canto das fases do Werehog logo na primeira vez em que você as joga. Isso é outra decisão retardada que esse jogo toma, exploração não é uma coisa que você devia forçar no jogador, a menos que o jogo em si seja montado em cima de exploração, mas isso aqui não é o caso. Quando eu exploro um jogo que claramente não tem um foco principal em exploração, eu o faço porque quero, porque gosto do jogo o suficiente pra querer explorar e achar coisas escondidas e não porque o jogo me força a fazer tal coisa, e quando eu não vejo a hora de acabar uma fase do Werehog, mas mesmo assim ainda tenho que me certificar de que explorei tudo e peguei o máximo de medalhas possível nelas, isso só me dá mais raiva das fases ainda.

Não que esse seja meu único problema com as fases do Werehog, na melhor das hipóteses elas têm uns momentos legais, mas nem de longe conseguem se manter interessantes durante todo o tempo em que elas duram. Na pior das hipóteses, elas ficam frustrantes porque a câmera resolve foder comigo em momentos onde eu deveria realizar saltos precisos ou então eu caio em algum abismo, isso quando ela não se posiciona em ângulos horríveis com uma perspectiva que não dá pra julgar direito se eu tô realizando meu salto corretamente ou não. Nem sempre acontece isso, mas nas seções de equilíbrio da Empire City aconteceu, e elas são ainda piores porque caso você perca o equilíbrio, o que é fácil de acontecer porque a câmera muda de ângulo do nada e aí a direção pra onde você tá segurando o analógico passa a ser errada, você não pode pendurar na beirada porque tem espinhos lá, aí você cai e morre... A última fase do jogo, Eggmanland, é uma fase onde você joga com o Sonic e aí em alguns momentos tem que trocar pro Werehog no meio da fase, as seções do Werehog dessa fase são horríveis porque 90% das vezes você vai morrer por causa da câmera, ela é horrível nessas partes de platforming preciso.

Mas sabe por que existe essa duração toda das fases do Werehog e essa exploração forçada? A resposta pra isso é simples: Encheção de linguiça. O pessoal da Sonic Team percebeu que as fases do Sonic eram rápidas pra caralho e que o jogo seria bem curto dessa forma, então decidiram tornar as fases do Werehog absurdamente longas pra que esse jogo não possa ser finalizado em algumas horas, como se isso fosse uma boa solução pro problema. Como eu disse, a própria ideia do Werehog já é idiota e esse jogo não pioraria nem um pouco se ele não existisse, mas como eles tinham que "expandir o público" do Sonic, fizeram isso e tornaram a parte mais longa. Sei lá, caras... Talvez vocês podiam fazer mais fases pro Sonic? Ou tornar as fases mais rejogáveis com um level design mais robusto e uma exploração maior? Sabiam que os jogos do Sonic também contavam quase sempre com um bom fator replay? Acho que não, né?

Enfim... As fases do Werehog não são horríveis, com exceção das já mencionadas Eggmanland e Empire City por causa da câmera, mas elas são tão monótonas na maior parte do tempo que eu sempre me sinto fisicamente cansado depois de terminar uma. São polidas? Sim, mas demoram tempo demais, são dolorosamente derivativas, o combate apesar de competente não tem nada muito interessante e até os "puzzles" lá onde você tem que achar um objeto de uma cor e colocar no slot com a mesma cor pra abrir a porta também são mundanas até dizer chega. A única maneira que eu consigo ver de uma pessoa realmente gostar dessas fases é se ela tiver muita paciência, não se importar com repetitividade em jogos e gostar de Hack 'N Slash, porque como tal, elas são inofensivas na maior parte do tempo, só são ridiculamente longas mesmo.

Bem, pelo menos jogar com o Werehog ainda é melhor do que pescar com o Big... Ou jogar qualquer fase que não é do Sonic ou do Shadow  no Adventure 2.


Depois das fases, geralmente tem um boss em cada continente, de dia você controla o Sonic e luta contra o Eggman ou algum robô que ele construiu, e de noite você controla o Werehog lutando contra alguma cria do Dark Gaia. Caso você não tenha jogado Sonic antes, o histórico da série com bosses não é lá o melhor que existe, e Sonic Unleashed é parcialmente foge desse histórico... Parcialmente. Por incrível que pareça, as lutas de boss do Werehog até são legais, tudo se resume a fazer alguma coisa que enfraqueça o boss e encher ele de porrada, mas eu consigo tirar algum proveito disso, e as QTEs nelas também são bem executadas. Meu boss do Werehog favorito é o Egg Dragoon, é o mais desafiador apesar de ainda não ser muito difícil, mas eu gosto de como a luta vai ficando mais intensa e mudando de cenário na medida em que os personagens vão se aproximando do núcleo da Terra.

Os bosses do Sonic me empolgaram um pouco menos porque a maioria é só "encontre a brecha pra spammar o Boost no chefe", mas são decentes, eu acho. O Egg Lancer é o que eu mais gosto porque ele te joga mais coisas pra desviar antes de sair dando Boost, e aquela seção de correr na parede na luta dele é legal também. A luta contra o Dark Gaia no final do jogo tem um começo bom onde você joga com o Sonic por dentro do Megazord (?) de templos de Gaia em que o Chip se transformou, uma metade irritante onde você controla esse Megazord pra desviar dos meteoros que o Dark Gaia manda e dar porrada quando chegar lá, mas aí descobre que o Mega Zord é lerdo pra caralho e é uma luta desviar dos meteoros por isso... E tem a última parte com o Super Sonic que tem uma música sensacional e é ok o suficiente, apesar de eu achar que podia ter sido mais do que só derrotar umas cobras lá em volta da barreira do Dark Gaia e o resto ser QTEs, mas ok então.

Fora das fases e dos bosses, você explora os hubs, que dessa vez são vários, cada um em um continente com uma temática/cultura/arquitetura/etc específica e com pessoas diferentes também. Enquanto eu acho legal a ideia de ter hubs variados assim dentro do jogo, eu não gosto de como a sua movimentação dentro desses hubs é limitada com aquela  velocidade capada... Meh, pelo menos esses hubs têm coisas pra fazer, umas Sun/Moon Medals escondidas por aí e outras coisas destraváveis pra coletar como Concept Arts, músicas, cutscenes da história do jogo, algumas cutscenes especiais com o Sonic e o Chip pra cada continente, uns desafios que alguns dos personagens dão, algumas dessas coisas também podem ser compradas nas lojas que vendem souvenirs, comidas que na verdade aumentam pontos de experiência. Não que eu adore esses hubs, mas já que eles existem, que bom que eles ao menos servem de alguma coisa e não são como a Cidade Fantasma de Soleanna do jogo anterior.

É dentro desses hubs, ou melhor, dos templos de Gaia, que você acha alguns power-ups pro Sonic, como os já mencionados Stomp, Boost Aéreo e Lightspeed Dash, e algumas áreas das fases até têm caminhos que são acessados por essas habilidades quando você as tem. Além de que nessas áreas a sua movimentação não é mais limitada, dá pra acessar as fases normais por elas além de você explorar e achar mais outras coisas coletáveis e Acts adicionais das fases. Honestamente, os Acts adicionais são meio que misturados pra mim, eu gosto da Apotos Act 3 e o platforming baseado em rails dela, gosto dos acts adicionais da Chun-Nan, da Shamar, da Holoska e da Adabat também que têm uns level designs mais desafiadores... Mas alguns acts adicionais são meio que preguiçosos, tipo os da Spagonia, uma são só plataformas genéricas flutuando sobre abismos, e o comando de pulo do jogo é meio atrasado pra esse tipo de estrutura de fase, então acaba sendo frustrante passar por ela... Assim como é frustrante passar de um Act adicional da Mazuri que é baseado em fazer o Drift em curvas com abismos dos lados.

Alguns Acts adicionais têm umas missões de encontrar chaos também, mas essas eu geralmente ignoro mesmo. Todos esses são opcionais pra falar a verdade, mas os Acts adicionais bons definitivamente valem a pena jogar, e a melhor parte é que você não tem que completar nenhum pra abrir o outro, basta ter passado o Act principal da fase naquele continente e ter Sun Medals o suficiente pra abrir tal fase, podendo jogar qualquer uma que te der na telha desde que esteja aberta. E se por acaso você não estiver contente com esses Acts adicionais, tem os Adventure Packs pra baixar por DLCs aí, eu nunca joguei esses, mas pelos vídeos que eu vi, são fases mais desafiadoras, apesar que algumas me pareceram só a mesma fase com um monte de espinhos e... Isso é meio que preguiçoso pra caralho, mas ok.

Som novo e ao mesmo tempo familiar


Como era de se esperar, Sonic Unleashed não decepciona nem um pouco quando se trata de trilha sonora. Uma coisa que o pessoal aponta de vez em quando sobre Sonic '06 e a trilha sonora lá era que uma boa parte da trilha sonora não soava muito como música de Sonic, e talvez isso seja verdade, a trilha sonora lá tentou ser mais cinemática e orquestral em vários pontos, ainda mantendo a identidade da série em várias músicas, talvez por isso eu goste tanto assim dela, é única no meio dos outros jogos 3D do Sonic. Mas pra quem se incomodava com isso, Sonic Unleashed tem músicas que (ao menos nas fases de dia) remetem muito mais ao estilo característico de Sonic de ter músicas frenéticas com melodias cativantes.

Mesmo assim, raramente as músicas parecem meio "samey" porque o Jun Senoue não tá no meio dessa trilha sonora e por isso ela abandona essa mentalidade dele de que tudo tem que ter guitarra e rock e coisas do tipo. As músicas são mais apropriadas pros ambientes, a Savannah Citadel tem um som meio tribal, a Arid Sands tem a música perfeita pra se tocar quando alguém estiver correndo por aí no meio de um deserto, a Jungle Joyride tem provavelmente a minha música de ilha tropical favorita dos jogos 3D do Sonic e a música da Cool Edge é quase uma Ice Cap 2.0... Basicamente, eu gosto de todas as músicas das fases de dia desse jogo, essas aí são as minhas favoritas, mas também tem a Rooftop Run e a Eggmanland.

As músicas dos hubs também seguem esse padrão de capturar a atmosfera do local no contexto do que se passa na tela, mas são muito mais tranquilas considerando que você não sai correndo por eles e nem nada do tipo, mas elas mudam de calmas nos dias pra extremamente comfy nas noites quando você anda por eles com o Werehog. No caso, as fases também fazem isso e, apesar de não gostar tanto quanto as músicas das fases de dia, eu gosto das músicas das fases noturnas, especialmente a Cool Edge, a Dragon Road e a música dos bosses.

... Mas pois é, pena que a maioria das músicas das fases de noite são ofuscadas pela música de cabaré irritante que toca toda vez que o Werehog encontra um inimigo e tem que lutar contra ele. Essa música é chata, cansativa e depois de ouvir ela pela terceira vez seguida, você não vai mais querer ouvir de novo, seria muito melhor se a música da fase simplesmente continuasse rolando mesmo com os inimigos e tudo mais. Mas eh... Pelo menos o resto da trilha sonora compensa isso, especialmente a Endless Possibility orquestrada que toca na última parte da luta com o Dark Gaia e até me faz gostar dela só por causa da música, ela é tão boa assim.

A dublagem é bem melhor do que as dos dois jogos anteriores, especialmente porque dessa vez o Jason Griffith conseguiu pegar o jeito de como dublar o Sonic, capturando esse aspecto "aventureiro porém nobre" que ele andou desenvolvendo há um tempo. O Mike Pollock como sempre é um Eggman excelente, os outros personagens têm dublagens decentes e até mesmo a Amy soa meio que convincente já que ela era pra ser uma garota irritante de qualquer forma... Só que eu ainda me incomodo com a voz de menininha que o Tails tem durante essa dublagem do povo da 4Kids.

Considerações finais

Eu confesso que nesse tempo que eu passei rejogando Sonic Unleashed, eu meio que fiquei surpreso com o modo como isso acabou se desenrolando. Muita coisa sobre esse jogo que eu absolutamente não gostava ou só era indiferente sobre há anos atrás eu acabei gostando agora e até mesmo as fases do Werehog que eu achava insuportáveis agora só acho monótonas, mas nada ofensivo, provavelmente até diria que são aceitáveis se fossem mais curtas. Mas pois é, eu realmente não odeio esse jogo tanto quanto eu achei que odiava antes, diria que até gosto dele apesar dos problemas e tudo.

Só que eu ainda não vejo Sonic Unleashed como um jogo necessariamente bom porque, mesmo sendo geralmente polidas, as fases do Werehog não precisavam existir e muito menos serem tão longas quanto elas são, e apesar de eu ter "amolecido" um pouco com relação a elas, eu consigo entender perfeitamente por que alguém não gostaria desse jogo por causa dessas fases. Não que as fases de dia com o Sonic sejam perfeitas, mas ao menos elas são em maior parte o que você esperaria de um jogo 3D do Sonic, apesar da linearidade, as fases em si são bem feitas e eu consigo tirar proveito de passar correndo por elas.

Pra dar créditos a esse jogo, ele é melhor do que praticamente todos os outros jogos 3D do Sonic lançados antes dele, geralmente ocorrem menos falhas técnicas do que nos outros, o gameplay é mais consistente, os hubs são inofensivos e até mesmo a parte alternativa do gameplay pelo menos tem alguma profundidade mesmo sendo desnecessária. Sonic Unleashed não é um jogo ruim e você talvez pode até gostar mais do que eu gostei dependendo do tipo de jogador que você for e da sua tolerância pras fases do Werehog.

No fim das contas... Eh, pra um jogo que antes eu não gostava nem um pouco, Sonic Unleashed cresceu um bocado em mim, talvez eu era mais negativo antes porque tinha um certo pessimismo em volta do futuro do Sonic na época. Pensei que por causa das fases de dia aqui, os próximos títulos do Sonic seriam jogos "autorama" com pouca interação do jogador e foco maior em velocidade e eye candies, mas Sonic Colors e Generations provaram que eu estava enganado e que a Sega algumas vezes sabe ouvir feedbacks. Então agora eu não consigo odiar Sonic Unleashed, especialmente porque foi esse jogo que estabeleceu as fundações pro Sonic melhorar o tanto que melhorou com os jogos seguintes, e ao menos por isso eu tenho uma espécie de respeito recém-descoberto por esse jogo, não é perfeito, mas foi importante pra franquia de qualquer maneira. Se o Werehog não existisse nesse jogo e tivessem mais fases pro Sonic ao invés disso, provavelmente eu daria uma nota 7 ou até um 8 pra ele.

Prós:
+ Gráficos e visuais deslumbrantes mesmo hoje em dia.
+ Quantidade saudável de coisas pra se fazer e destravar além da história principal.
+ As fases do Sonic não são livres de falhas, mas pelo menos são divertidas e memoráveis.
+ Alguns bosses são surpreendentemente bons.
+ Algumas fases específicas do Werehog chegam a ser legaizinhas... Algumas.
+ Trilha sonora fantástica.

Contras:
- As fases do Werehog são repetitivas e dolorosamente longas.
- Quem foi o animal que colocou o Homing Attack no mesmo botão do Boost?
- Maldita seja essa música de cabaré que toca nas lutas do Werehog.
- Não é legal quando o jogo te força a explorar por medalhas mesmo contra a sua vontade?
- A história podia ter sido muito melhor do que acabou sendo.

Gráficos: 9/10
Enredo: 5/10
Gameplay: 6/10
Som: 8/10
Conteúdo extra: 7/10

Veredicto:

{ 56 comentários }

  1. Eu acho esse o melhor jogo 3D do Sonic, até gosto das fases do Lobisonic mesmo elas sendo longas, mas deve ser pq eu gosto de God Of War.

    Mas concordo que a história é bem bostinha e as fases do Sonic normal são muito melhores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dos 3D que tiveram de 1998 até 2008, eu considero esse o melhor, mas o Colors e o Generations engolem ele pra mim.

      Excluir
  2. Com a nota e a maioria dos pontos sobre as fases diurnas e as medalhas eu concordo, mas discordo sobre as fases do Werehog serem melhores do que as fases dos outros personagens no Sonic Adventure 1 e 2. Pensa bem, Ryu, a jogabilidade do Werehog não tem nada a ver com Sonic, como você mesmo disse nesse texto, já as fases do Knuckles e da Rouge no SA2 pelo menos te deixavam ser rápido e acrobático enquanto procurava pelas esmeraldas, e se você soubesse bem o layout das fases dá pra terminar elas em um curto tempo, exceto as últimas fases no espaço que são ruins.

    Até o Big no SA1 dá pra terminar rápido se você souber como pescar com ele, depois de conseguir aquela boia eu sempre acabei as fases dele em uns 3 minutos no máximo. As fases do Werehog serem longas é uma coisa inevitável porque você é obrigado a explorar ela e o jogo sempre faz questão de te parar pra enfrentar um monte de inimigos pra poder progredir pela fase, eu acho isso muito mais chato do que qualquer coisa fora das fases de velocidade dos Adventures.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As fases do Knuckles no Adventure 1 podiam ser rápidas e mais "Sonic" sim, mas as do Adventure 2 nem tanto porque a única que te dá algum espaço pra passar correndo é a Death Chamber, nas outras geralmente você ou fica planando por aí em 90% do tempo, ou então tem a Aquatic Mine que é provavelmente a fase mais lenta das de caçar esmeraldas. E olha só, isso ainda é só uma parte do Adventure 2, tem as fases dos mechas que não são rápidas nem se você tentar torná-las assim, e o Adventure 1 tem a Amy, o Big e o Gamma que também têm pouco a ver com Sonic.

      Excluir
    2. Prefiro os gameplays alternativos do SA1 ao Werehog, mas os do 2 não.

      Excluir
  3. To rindo com as partes do 11 de setembro jkldskjpod

    ResponderExcluir
  4. porra tu da 6 pra esse jogo
    tu e fanboy hein
    serião memo
    Como diabos um jogo que tem o Botão de Homing Attack no mesmo do Boost consegue tirar SEIS.
    Porra.
    vsf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podia ser pior, Sonic '06 tem o botão do Homing Attack no pulo e é uma bosta.

      Excluir
  5. te dou a pior faze o werelixo: dragon road act 3(faze puzzle que tem que ficar levando keys sobre rails só que cons as key ele não faz a animacão de equilibrio e cai pra morte com uma facilidade absurda peguei odio desse game nessa faze)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que eu nem me importei em jogar as fases opcionais do Werehog.

      Excluir
  6. Eu garanto que se o Werehog fosse um jogo separado ao invés de estar em um do Sonic, pouca gente reclamaria tanto quanto reclama dele hoje em dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ehhhhh... Talvez, mas eu duvido que seria um jogo exatamente aclamado também.

      Excluir
    2. Eu não me ofendi tanto com o Werehog mesmo quando joguei esse jogo pela primeira vez, mas prefiro muito mais as fases de dia, claro.

      Excluir
  7. Tem muitas diferenças pra versão SD?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não lembro muita coisa da versão SD, só que cada continente tinha uma fase do Sonic e umas 3 do Werehog.

      Excluir
  8. Esse jogo foi que de certa forma, conseguiu trazer de volta boa parte do publico que jogava Sonic.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, foi um passo na direção certa e vendeu bem apesar das polêmicas e tudo mais, então de certa forma eu fico feliz que esse jogo exista.

      Excluir
  9. Eu pensei que ce ia falar mal desse jogo

    ResponderExcluir
  10. Alguns acreditam que a SEGA planejava queesse seria o ultimo do Sonic, com a luta grandiosa contra Dark Gaia, a morte de Chip e a cena dos creditos com Tails.
    Felizmente, o jogo no geral agradou grande parte dos antigos fãs do Sonic, que gerou um grande sucesso em vendas(5 milhoes de unidades) e fez com que a SEGA continuasse com a franquia.

    ResponderExcluir
  11. "Werehog, um lobisomem-ouriço que tem a nomenclatura mais errada possível."

    comassim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Werewolf é "Lobisomem" em inglês e "Were" era um termo arcaico de dizer "Homem".

      Were = Homem
      Wolf = Lobo

      Chamando o Sonic de "Werehog", você não tá dizendo que ele é um "Lobouriço" e si um "Homem-ouriço". O certo seria algo tipo Wolfhog ou Hedgewolf ou sei lá.

      Excluir
  12. Pra mim, esse jogo possui a melhor luta contra um Boss Final, com uma atmosfera que recria muito bem uma sencaçao de urguencia.
    Junto com a musica...alias, eu acho que esse jogo possui a melhor de toda a franquia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim a luta do Dark Gaia só perde pra do Finalhazard.

      Excluir
    2. Talvez a batalha com o Dark Gaia seja o final boss que eu mais gosto dos jogos 3D do Sonic também, só não gosto daquela seção com o Chip lá, mas o resto da luta me agrada apesar de querer que a parte do Super Sonic tivesse mais. Mas é a melhor produzida dessas lutas finais, a do Final Hazard é boa, mas tem aquele erro na colisão do ponto fraco dele que é um pouco irritante.

      Excluir
  13. Qual os jogos do Sonic que voce ainda pretende analisar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falta o Colors e o Generations, depois disso eu vou dar um tempo de vez do Sonic por aqui.

      Excluir
  14. Ryu, acompanho se blog e acho suas criticas muito boas, mas, se for possivel, fale de outros jogos menos populares como:
    -Jak and Daxter
    -Ratchet and Clank
    -Sly Cooper
    -Spyro the Dragon

    Estou dando apenas opinião,mas enfim...
    Excelente trabaho,continue assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desses eu só cheguei a jogar Spyro, mas Jak & Daxter sendo da Naughty Dog me lembrou que eu andei considerando jogar Crash e falar sobre os jogos aqui.

      Excluir
    2. Se voce for analisar, de prioridade aos jogos principais:
      -A triologia Crash de Ps1
      -Crash The Wrath of Cortex
      -Crash Twinsanity
      -Crash of the Titans
      -Crash Mind Over Mutant

      Depois voce considera analisar as franquias ja citadas anteriormente.

      Excluir
  15. Ryu, você acha que em 2016 a SEGA lança Sonic Adventure 3?
    Ja que será o aniversario de 25 anos da franquia, seria legal a SEGA presentear os fãs com esse jogo tão especulado e aguardado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algo me diz que Sonic Adventure 3 não é muito provável, mas se acontecer... Bem, eu espero que seja um jogo bom, assim como esperaria que qualquer outro jogo que fosse anunciado no aniversário de 25 anos do Sonic seja bom.

      Excluir
  16. Ryu voce ja chegou a ler alguma HQ do Sonic?

    ResponderExcluir
  17. Se tivessem chamado a platinium para produzir as fases do werehog,,,,

    ResponderExcluir
  18. Curti a análise, penso parecido em muita coisa. No entanto, creio que a nota merecia ser mais alta por eu crer que os pontos positivos superam, de muito longe, os negativos. Mas não dou nota nas análises, pois acho elas bem limitadoras.

    O Werehog é uma jogabilidade bem produzida, variada e divertida, mas peca por ser muito diferente do "ser Sonic", e isso faz com que ele soe fora de contexto, e agride mais ainda pela absurda velocidade nas fases de dia. São gameplays muito discrepantes, e fica naquelas "eu só gosto do Werehog" ou "eu só gosto do Hedgehog" (que são a maioria das pessoas), e geralmente quem curte ambos, gosto mais do Hedgehog.

    Eu como fã curtiria que o game fosse só as fases diurnas, mas a gente tem que ter mente aberta pra entender que o Yoshihisa Hashimoto quis trazer novos jogadores, com um sistema que estava em moda na época. Atualmente, os jogos de plataforma ocupam a última posição na preferência do povo em geral, e comercialmente não são muito vendáveis.

    Tanto que o Unleashed vendeu mais que o Sonic Colors e o Generations, e ele é o jogo mais popular do Sonic na atualidade. Todos os vídeos que coloco no Planeta Sonic, foto no facebook, ou qualquer coisa em qualquer outro lugar é o mais visto, compartilhado e comentado comparado a todos os outros.

    Quanto a história, aqui eu discordo bastante. Não dá pra ter uma visão tão "engessada" da trama assim rapaz. A ideia de histórias de super herói é você "entrar na brincadeira", e nem tudo precisa fazer sentido. O Dr.Eggman corre mais rápido que o Sonic no Sonic 2, o que não faz sentido nenhum; aliás o próprio fato do Sonic ser um ouriço bípede que fala e se transforma em Super com sete esmeraldas também não tem sentido.

    Portanto o fato dele absorver o poder do Dark Gaia do espaço não fazer sentido por ele estar "longe da Terra", ou então dele não mudar a personalidade dele são coisas que fazem tanto sentido quanto ele virar um super saiyajin. Já sobre o Chip, acho ele um personagem bem carismático, e a equipe mandou bem na construção dele, apesar de retornar ao velho clichê. E o Dark Gaia não trai o Eggman, o Eggman quis controlar o poder do Dark Gaia e não conseguiu, o que é bem diferente de ser enganado por outro ser como foi nos dois Adventures.

    Mas no geral concordo com sua análise nos erros e acertos, apesar de achar que os acertos superam, de muito longe, os erros que este jogo tem.

    Abraços!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geralmente quando eu dou uma nota 6, é porque os pontos positivos se sobressaem nos negativos, só não por muito, mas ainda assim 5 ou 6 eu costumo dar pra um jogo que eu acredito que a nota pode variar de pessoa pra pessoa dependendo do gosto e algumas vezes da paciência dela. No caso desse, é justamente porque as fases do Werehog parecem muito fora de lugar em um jogo do Sonic e nem todo mundo vai reagir positivamente a elas, assim como alguns podem gostar ou simplesmente não se importarem. Se dependesse só das fases de dia, a nota seria maior sim, disse no texto que poderia dar um 8 até caso o jogo tivesse bem mais delas.

      Entendo o que a Sonic Team quis fazer com o Werehog pra que o jogo vendesse mais e alcançasse um público maior, mesmo eu ainda pensando que é desnecessário. Como eu falei no texto, eu até engoliria as fases do Werehog se elas não demorassem tanto e o jogo não te forçasse a explorar nelas, porque a impressão que me passa quando eu completo uma fase do Sonic e depois uma do Werehog é que o Werehog era pra ser a parte principal do jogo enquanto o Sonic é a parte alternativa do próprio jogo dele.

      Uma coisa que eu gosto no primeiro Sonic Adventure é que, apesar de ter o Sonic e mais cinco personagens com gameplays alternativos, o jogo ainda tratava o Sonic como o personagem principal, a história dele é a mais longa e ele é o que tem mais fases, então você vai passar mais tempo jogando com ele do que com os outros personagens. Mas no Unleashed o que acontece é o contrário: O Werehog é com quem eu passo mais tempo jogando. Isso é o que mais me incomoda, porque se fosse mais balanceado, ou pelo menos se as fases do Sonic tivessem mais Acts pra deixar a parte dele com a mesma duração que a do Werehog, eu nem me importaria muito.

      Sim, o Unleashed vendeu mais do que o Colors e o Generations, mas não podemos esquecer que ele saiu pra mais plataformas também, foi pra Xbox 360, PS3, PS2 e Wii, enquanto o Generations foi pro Xbox 360, PS3 e 3DS e o Colors foi só pro Wii e o DS. Enquanto o Unleashed vendeu mais contanto tudo acumulado, se você for dar uma olhada nas vendas dele só pro Xbox 360 e pro PS3 e comparar com o Generations nesses dois consoles por exemplo, vai ver que o Generations ganha por um bocado até.

      Unleashed: 1.94m
      Generations: 2.84M

      Creio que se o Generations tivesse sido lançado pro Wii também, que foi o console mais vendido da geração passada, ele teria vendido ainda mais do que já conseguiu vender nos consoles em que saiu e passaria o Unleashed.

      Agora sobre a história... Eu sei que tem muita coisa em Sonic que não faz sentido desde os clássicos, mas no caso da história do Unleashed, é que a transformação do Sonic no Werehog, que é tratada como um elemento chave da história, simplesmente acontece sem mais e nem menos. E pra uma coisa que devia ser importante na história, ele realmente não adiciona nada nela, não muda nada se o Sonic tá normal ou na forma do Werehog porque ele continua a mesma coisa, mesmo que você vê outras pessoas no jogo sendo dominadas pela influência deles no Dark Gaia, mas com o Sonic isso não acontece, também sem nenhuma explicação de verdade, isso é inconsistente, e eu também acho que o Eggman podia participar mais da metade da história, ou que alguma coisa podia acontecer, porque a partir daí fica monótono. Tudo bem que eu geralmente abaixo meus padrões pra histórias em certos gêneros de jogos, tipo Platformers mesmo eu não faço a menor questão de ter histórias complexas e nem nada do tipo, mas esse jogo quer que eu simplesmente engula muita coisa, a história dos Adventure mesmo tendo lá umas falhas de narrativa aqui e ali ainda eram melhor contadas do que essa.

      Mas de qualquer forma, eu entendo o seu ponto de vista sim.

      Excluir
    2. O Werehog eu consigo aceitar, mesmo a transformação não fazendo muito sentido e o Sonic não ser afetado por ela realmente ser inconsistente com o modo como a história trata a influência do Dark Gaia sobre os outros. Não gosto mesmo é do Chip, acho ele chato também e ele é inútil por quase toda a história do jogo, tão inútil que eu até esqueci que ele tinha amnésia até aquela cena dele recuperando ela porque foi sugado pra dentro de um quadro num templo. Quando eu vi essa cena pela primeira vez, minha reação foi falar "hã?" e depois não pensar mais nisso porque não achei que valia a pena.

      A jogabilidade pra mim é boa nas duas metades, claro que as fases diurnas são as melhores, mas gosto das noturnas também, mesmo admitindo que elas não repetitivas e não se encaixam muito bem em um Sonic. Sempre dou pontos quando tentam alguma coisa diferente, mesmo ela não dando 100% certo, mas pelo menos valeu a tentativa e o Werehog podia ter sido pior se você olhar o histórico do Sonic com jogabilidades alternativas e o refinamento delas nos jogos passados.

      Se eu fosse dar uma nota pro SU, ia ser um 8 talvez.

      Excluir
    3. O Chip não tem desenvolvimento de personagem, ele só faz umas piadinhas toscas em toda cutscene onde ele aparece e aí lá perto do final acontece isso do painel lá no Templo de Gaia magicamente dar a memória dele de volta sem mais e nem menos. O mais lógico a se fazer seria o Chip gradualmente recuperar a amnésia dele e ficando mais maduro aos poucos na medida em que a aventura vai prosseguindo, isso enquanto ele vai ficando mais amigo do Sonic e tal.

      Mas tá aí, você é um dos exemplos do porquê de eu ter dito que a nota desse jogo pode variar muito de pessoa pra pessoa. Você gostou ou pelo menos não se incomodou com o Werehog, não tem nada de errado com isso, mas tem gente que não suporta, assim como tem gente que se incomoda pelo menos um pouco, e isso acaba sendo justamente porque o Werehog é tão fora de lugar dentro de um jogo do Sonic. Claro, foi decisão da Sonic Team pra fazer o jogo alcançar outros públicos e tal, mas isso não significa que todo mundo tenha que gostar.

      Excluir
    4. "Eu como fã curtiria que o game fosse só as fases diurnas, mas a gente tem que ter mente aberta pra entender que o Yoshihisa Hashimoto quis trazer novos jogadores, com um sistema que estava em moda na época. Atualmente, os jogos de plataforma ocupam a última posição na preferência do povo em geral, e comercialmente não são muito vendáveis."

      Isso só mostra como o Sonic decaiu, precisa virar clone de jogo modinha da época pra vender bem.

      Se ele fosse tão popular assim hj em dia, não ia precisar disso, o Mario nunca precisou porque a Nintendo sempre manteve ele firme e forte. É triste ver um personagem que já foi um ícone dos games tendo que recorrer a esses métodos pra ficar relevante...

      Excluir
  19. Porque a SEGA não faz com o Sonic o mesmo que a NINTENDO faz com o Mario, produz jogos 2D com o Sonic Classico e tambem jogos 3D com o Sonic Moderno, so que os se passam em Eras diferentes, seria a maneira perfeita de agradar os fãs de todas as idades e atrair mais pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles tentaram fazer isso com o Sonic 4, mas não deu certo.

      Excluir
    2. Nah, o que eles tentaram com Sonic 4 foi criar um jogo moderno com influências dos clássicos e botaram o nome "Sonic 4" pra ver se vende.

      Por mim o que eles fariam é ter a série clássica em 2D e a série Adventure em 3D, as duas continuando paralelamente, mas sem relação muito direta uma com a outra. Mas a esse ponto a Sega já fez cagada demais, então...

      Excluir

  20. Eu considero esse jogo o como uma levantada depois do massacre violento e sanguinário que Sonic the Hedchog 2006 fez para os fãs.O jogo não chega perto dos clássicos do gênesis,é jogável pode se divertir,mas achei um pouco a historia meio ridícula.A sega não pode voltar ao estilo de antes de um simples ouriço pulando em maquinas para salvar seus amigos,sem ter que sonic pule o tubarão mais de 1000 vezes como eu já vi ?

    ResponderExcluir
  21. To no mesmo barco que o Victor tesão, concordo com a maioria do texto, mas daria uma nota maior porque pra mim as qualidades superam muito os defeitos desse game.

    Mas aí vai de cada um, parabéns pelo post cara. :)

    ResponderExcluir
  22. Gente boa, esses Sonics até que são maneiros, mas a fase do Mega Drive foi a melhor.

    ResponderExcluir
  23. Dei uma jogada recentemente nesse jogo pra pegar os troféus restantes, fazia muito tempo que eu não o jogava. Uma coisa que me surpreendeu bastante nele foi que não encontrei nenhum bug significantemente prejudicial, como falhas de câmeras, botões com demora de resposta, quedas inexplicáveis do Sonic no cenário ou grandes quedas de FPS (na verdade eu só tenho um problema de FPS, que é quando eu entro na área de NPC's da Empire City, parece que o FPS fica oscilando de 15 para menos, tanto de dia quanto noite, lembrando que a minha versão é PS3). O que desanima mesmo é o Werehog, talvez se fosse only Day Stages e sem presença de bugs o jogo seria considerado de bom à muito bom. A ideia do Werehog não é tão ruim, o problema é que a jogabilidade do Werehog é muuuuuito tediosoa. Tipo, você joga um jogo de Hack 'n' Slash esperando muita variedade de inimigos, chefes épicos, sangue (tá, isso não funcionaria em Sonic, mas a maioria dos fãs desse estilo de jogo curtem sangue), movimentos rápidos, e a jogabilidade do Werehog não possui isso. Sem contar aquela música horrenda de batalha. Enfim, eu agradeço muito esse jogo por ter existido, pois graças à ele tivemos Colors e Generations, e graças aos céus nunca vimos Werehog novamente (mas vimos o Boom, então ficamos na merda do mesmo jeito, mas eu engoliria um jogo inteiro do Werehog à Boom). E bom review Ryu, achei a nota justa.

    ResponderExcluir
  24. I'm addicted to video games it's a good way to pass time and get rid of stress but overall I just love the enjoyment...
    popular video games

    ResponderExcluir
  25. Gente, eu fiz uma analise de smash bros em mei blog, por favor, visitem!

    ResponderExcluir
  26. Esse jogo é a prova de que a Sega consegue ter boas ideias, o principal problema é que ou eles sempre tentam enfiar gameplay alternativo ou colocam elementos que não tem menor relevância na formula da franquia (vide armas do ShadowTH), desde os Adventures ficam com essa merda. Acho que só em Sonic Heroes “tenham” gameplay alternativo, mas que foi adaptado para formula de Sonic e por isso não chega me incomodar muito.

    Já SU acredito que essa formula é a perfeita para franquia, tanto foi dai que saiu Colors e Generations, mas como eles consegue ter boas ideias, eles tbm mudam dela facilmente tanto que lançaram Lost World... aquilo me lembra os Adventures e tenho nervoso só de olhar.

    Até daria outra chance para o Unleashed depois de ler essa análise, mas troquei ele pelo Prototype... nah

    ResponderExcluir
  27. mais uma vez sonic chego rapidinho com esse jogo excelente

    ResponderExcluir
  28. Tenho esse jogo desde 2008 e até hoje nunca zerei, sempre desanimo quando vem fase do lobão

    ResponderExcluir
  29. Boa matéria, só discordo da nota

    ResponderExcluir
  30. Vcs falam que esse jogo copia God of War, mas esquecem que God of War copiou Devil May Cry e nem por isso caíram matando em cima do game.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que? GoW copiou DMC?

      Essa erva aí foi da boa, hein.

      Excluir

- Copyright © Blog do Ryu - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -