Posts Populares:

Archive for Fevereiro 2017

Mortal Kombat: O Filme [Parte 1]

By : Ryu

MORTAL KOMBAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAT!

TAM TAM TAM TARAM TAMTAMTAM TAM TAM TARAM TARAM! (umas 10x)
MORTAL KOMBAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAT!
TARAM TARAM TARAM TARAM TARARAM TARAM TARAM TARAM TARAM TARARAM!

Qual é? Quem nunca se hypou com essa música na vida? Durante anos ela foi a música tema não-oficial de Mortal Kombat como um todo, e provavelmente ainda é! Duvido que se você pesquisar "Mortal Kombat Theme" no Google ou no Youtube vai achar algum resultado que não seja essa música, mesmo ela sendo na verdade só o tema principal do filme.

... É, o filme de 1995 de Mortal Kombat, que é o assunto desse post! Nostalgia define essa porra desse filme, uma das poucas adaptações de video game pra telona que não são uma pilha de fezes de orangotango sem nada que se salve. Eu já peço desculpas por ter demorado anos (literalmente) pra fazer esse maldito post... Sim, na verdade Mortal Kombat foi o vencedor de uma enquete de muito tempo atrás, que perguntava qual deveria ser o próximo filme a ter uma review aqui. Mortal Kombat venceu outros filmes como Street Fighter II: O Filme, Final Fantasy VII: Advent Children, Pokémon 2000 e (se não me engano) Resident Evil. Minha intenção original era fazer uma review em vídeo, mas percebi que escrever scripts pra isso é um saco, algumas piadas não se transferem tão bem assim de texto pra vídeo, e também reviews de filmes com footage dos próprios filmes no Youtube costumam ser removidas por frescuras de Copyright, então... Vou deixar essas coisas por texto mesmo.

Já que mencionei Resident Evil... Mortal Kombat é dirigido pelo Paul W. S. Anderson, o mesmo cara que dirige os filmes de Resident Evil até hoje... A diferença é que Mortal Kombat tem um filme legal que foi o primeiro, enquanto Resident Evil não tem nenhum filme que mereça um rótulo acima de medíocre.

E olha que Mortal Kombat teve uma sequência pelo mesmo diretor, que diga-se de passagem, foi horrível... Então o que diabos aconteceu? O que deu certo no primeiro Mortal Kombat como adaptação de video game pros cinemas que o nosso camarada Paul Anderson nunca conseguiu repetir? Bem... Vamos tentar descobrir isso na medida em que esse post caminha.

Mas não venha me falar que você nunca gostou desse filme quando era uma criança que não sabia porra nenhuma de nada e só queria ver seus personagens favoritos da série se espancando! Não sei quantas vezes eu aluguei a VHS de Mortal Kombat, e sempre assistia nos fins de semana pelo menos uma vez por dia, eram tempos mágicos sem sombra de dúvida.

Wow, o fato de eu me lembrar que VHS é uma coisa que existiu só mostra que eu realmente tô ficando velho...

Pois é! Vocês aí, crianças de hoje em dia, não sabem como é terminar de ver um filme e ter que rebobinar a fita toda até o começo se quiser assistir de novo! Cheios de mordomias com seus DVDs, Blu Rays, filmes disponíveis na internet pra qualquer animal baixar ou até mesmo assistir online... Na minha época de criança não tinha isso não, eu tinha que ou esperar o filme passar na TV e ainda por cima pegar o horário certo pra não perder, ou então pegar o filme na locadora. E eu tô parecendo o meu pai com esses discursos sobre como tudo era mais difícil na minha vida... Melhor eu parar com isso, não tô tão velho assim também.

Ok, vamos pro filme logo!


... E o filme já começa com porrada, bem do jeitinho que o Brasil gosta.

Um chinês aleatório aí tá lutando contra ninguém menos do que o próprio feiticeiro Shang Tsung, icônico vilão principal do primeiro jogo da série, assim como antagonista de outros jogos e também vilão principal desse filme. Mas as coisas não parecem boas, porque o moleque apanha mais do que bandido linchado no meio da rua e é pego pelos cabelos ainda por cima.

Então Shang Tsung manda um "A alma do seu irmão é minha!" enquanto o carinha grita "Liuuuuu!", e aí...


"FICA DE OLHO NESSE TEU CU QUE TU É O PRÓXIMO!"


E na verdade isso era tudo um pesadelo do nosso herói: Liu Kang. Compreensivelmente, o maluco acorda apavorado e decide não tentar dormir outra vez.

Então já temos aqui uma coisa estabelecida: Liu Kang teve seu irmão morto por Shang Tsung, um garoto chamado Chan... Chan Kang? Provavelmente, não sei como nomes chineses funcionam, mas tanto faz. O que importa é que Shang Tsung apagou o garoto no torneio passado de Mortal Kombat, isso traumatizou Liu Kang o suficiente pra ele ter fugido pro Acre e ainda assim até hoje ele é atormentado por pesadelos relacionados ao ocorrido.

Liu Kang vai checar suas correspondências e vê uma carta do seu avô, pedindo pra que ele volte pra China.


Enquanto isso em Hong Kong, a policial Sonya Blade tá invadindo uma balada junto com sua equipe em uma operação pra matar/capturar um bandido chamado Kano... Que na dublagem brasileira é literalmente chamado de "Cano" e por isso não consigo levar essa porra a sério quando a Sonya fala "Eu quero o Kano" no meio dessa cena. Sim, eu tô vendo a versão dublada, não encontrei a legendada em lugar algum e se não me engano a dublada é melhor, porque os momentos de atuação ruim conseguem ser mascarados pela dublagem decente... Algo parecido com as prequels de Star Wars.

Um dos membros da equipe da Sonya diz que o perímetro foi isolado e que é pra ela confiar nele, mas ela manda o cara ir dar pro cavalo e fala que a única pessoa em quem ela confia no planeta inteiro é ela.


Enquanto Sonya troca tiros com criminosos, temos então a revelação chocante de que Cano trabalha pro Shang Tsung! Ele matou um parceiro da Sonya só pra atrair a moça até aquele lugar, pois Shang Tsung quer que ela entre no torneio do Mortal Kombat, inclusive ameaça Cano quanto a matá-la antes do torneio, dizendo que se encostar um só dedo nela, ele se transforma no Johnny Cage só pra meter um soco nas bolas do bandido.

E falando no Johnny Cage...


... A cena de introdução dele é uma das minhas favoritas do filme. Começa com ele entrando em uma sala escura enquanto um grupo de homens de terno se preparam pra lutar contra ele usando armas brancas de vários tipos, obviamente ele sola todos esses aí, então no final da porradaria ele dá um chute no último cara e aí... E aí...?


Uhhh...


Johnny olha pro infeliz com uma cara de quem acabou de ouvir alguém falando que Shadow the Hedgehog é um bom jogo e diz "Agora você tinha que ter caído..."


... E o cara se joga no chão logo depois!

Essa cena é muito boa, e não tem um pingo de sarcasmo nessa afirmação minha. O modo como ela faz essa transição de uma briga séria pra um bando de atores desajeitados cagando a gravação de um filme é fantástico e captura perfeitamente o personagem do Johnny Cage. Eu nem gosto do Johnny Cage dos jogos, pra ser honesto, já não costumo ir muito com a cara de personagens douchebag como ele, mas o desse filme é talvez o meu personagem favorito da história.

Nessa versão, Johnny Cage não é bem um douchebag, ele ainda é um ator de Hollywood e artista marcial bem sucedido, esse detalhe da história dele não é diferente dos jogos. Mas aqui, apesar de bem sucedido, o cara é constantemente criticado pela mídia, acusado de não lutar de verdade e sim usar dublês ou efeitos especiais, e ao meu ver isso dá uma outra dimensão bem interessante pro personagem, mostra que a fama dele tem um gosto amargo por causa dessa má reputação que ele tenta ao máximo arrumar. E ele também consegue ser engraçado sem parece que força a barra que nem o Johnny Cage dos jogos, o humor desse aqui é bem mais situacional.

Frustrado com essa porra toda, Johnny sai do set de filmagem, apesar dos protestos do diretor que provavelmente era o Christopher Nolan, afinal eu não conheço outro diretor que faça coreografias de luta onde os personagens simplesmente se jogam no chão sem ter levado porrada de verdade.


Ao chegar na sua cadeira, Johnny é recebido por ninguém menos do que o seu mestre, que comenta sobre o quanto a mídia é injusta com ele, e diz que quando chegar em casa vai criar um site chamado Planeta Johnny Cage onde ele irá postar textos gigantes defendendo a honra do seu pupilo. Mas mais importante: Ele veio dar a Johnny a chance de provar que não é uma fraude pra todo mundo que duvida da sua habilidade.

Se o Johnny participar do torneio de artes marciais do Mortal Kombat, que ocorre uma vez em cada geração, e conseguir vencer, ganhará o respeito que merece e vai poder mandar um beijinho no ombro pro recalque. Tendo isso em mente, ele aceita o convite e se prepara pra viagem, enquanto seu mestre vai embora.

Mas espera aí!


Algo de errado não está certo...


Ahhhhhh, o mestre era o Shang Tsung o tempo todo, mas é claro! Material de Top 10 Anime Plot Twists aqui!


De volta pra China, Liu Kang se reencontra com o avô, põe as conversas em dia, fala pro tio que não tem namorada e descobre que seu irmão foi morto no Mortal Kombat. Liu Kang acredita que a ideia do mundo ser salvo por um mero torneio de artes marciais é tão estúpida quanto a do mundo ser salvo por um cardgame infantil, mesmo que todos os membros da Ordem da Luz acreditem e até mesmo seu irmão tenha morrido seguindo essa causa.

De uma forma ou de outra, ele resolve participar do torneio porque quer vingar a morte do seu irmão, já que o homem que o matou estará lá. Um dos monges diz "A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena!" e o Liu Kang então diz que também luta pelo destino do mundo, mas com uma convicção tão grande quanto a de alguém que faz em Janeiro uma lista de metas pra cumprir no ano.


A conversa é interrompida por um mendigo que chega no templo, então Liu Kang pensa "Pobre vítima da desigualdade social..." e resolve fazer sua primeira boa ação do dia, tirando uma esmola do bolso pra dar pro velho.


Infelizmente, o mendigo não reagiu muito bem a isso e derrubou nosso herói no chão por sua atitude desrespeitosa.


Pois na verdade o mendigo é ninguém menos que Raiden: Deus do trovão, e ninguém adivinharia isso por essas vestimentas também.

Olha... Não é como se o Raiden dos jogos clássicos da série tivesse exatamente o visual de um deus também. O Raiden dos dois primeiros Mortal Kombat parece a porra de um padeiro chinês!

De qualquer forma, Raiden diz que Liu Kang foi um cuzão por ter fugido da sua responsabilidade e que podia ter protegido seu irmão se não o tivesse feito, o que naturalmente deixa o cara muito pistola e ele sai do templo, jurando que vai comer o cu de quem ficar no caminho dele no torneio.


Algum tempo depois em Hong Kong, Liu Kang se encontra com Johnny Cage, que o confunde com seu empregado asiático, afinal pra ele todo asiático é igual, e o manda carregar suas malas pra ganhar uns trocados. Vendo essa atitude racista desse porco americano nojento de merda, Liu Kang pega o dinheiro do Johnny e carrega a sua mala...


... Depois joga ela na água, fala "Não sou suas negas." e segue seu caminho. Mais uma vitória do oprimido contra o opressor, fora Trump!


Enquanto Johnny tira seu iPhone pra postar um textão falando de racismo reverso no Facebook, Sonya e seu amigo da polícia estão stalkeando o local pra ver se acham o Cano.

Enfim... O barco chega, todo mundo entra a bordo e Liu Kang, Sonya e Johnny Cage acabam se encontrando novamente e vendo Shang Tsung em pessoa.


Lá eles se topam com Scorpion e Sub-Zero, que apesar de serem inimigos, foram escravizados por Shang Tsung.


Sub-Zero usa seu poder pra congelar a pistola da Sonya.


Scorpion revela que tem uma vagina na sua mão, porém de dentro dessa vagina sai uma cobra, o que significa que ele é um hermafrodita na versão do Paul Anderson.


Mas antes que esse filme acabe se tornando material +18, Raiden interfere com seu poder de gerar efeitos visuais de raios roubados dos vídeos do Angry Video Game Nerd!


Depois Raiden explica que o universo é dividido em vários domínios e que um deles é Outworld, dominado por um imperador com sede de poder que procura outros domínios pra escravizar, porque ele é tão filho da puta assim. Um deles é o domínio da Terra, Earthrealm, mas pra poder invadir nosso planeta ele precisa ganhar 10 vitórias consecutivas no torneio do Mortal Kombat, que é basicamente uma competição entre os lutadores de um domínio contra os de outro, e a cada vitória o outro domínio enfraquece. Shang Tsung é o feiticeiro desse imperador e esse é o décimo torneio, o que significa que tá todo mundo fodido se Outworld ganhar novamente.

A parte mais absurda dessa cena é quando o Raiden diz que "A essência do Mortal Kombat não é a morte, mas sim a vida". Claro, tecnicamente as pessoas lutam por suas vidas nesse torneio, mas não significa que deixa de ser um jogo de morte por isso. Estamos falando de uma série onde o vencedor arranca a espinha do perdedor e a levanta como se fosse um troféu, diabos!

Mas ok... No fim das contas, Raiden aconselha Liu Kang a não enfrentar Shang Tsung por vingança ou ele vai acabar tomando na jabiraca depois, e então Shang Tsung anuncia que o torneio já começou, pois acabaram de chegar na ilha onde as lutas acontecerão. Todo mundo desembarca, o Johnny cai na água com as suas malas porque esqueceu de levar o empregado asiático dele junto pra carregá-las e o Liu Kang provavelmente mijaria nas malas dele se fosse pedido pra carregá-las de novo.


Chegando no local marcado pros lutadores se encontrarem, nossos heróis avistam a Princesa Kitana, que aparentemente tem algum assunto a tratar com eles. Mas não vai ser fácil chegar perto dela, já que tá sendo vigiada não só por Shang Tsung como também por Reptile... Que aqui é um lagarto gigante em CG e é chamado de Réptil nessa dublagem. Cara, por que diabos vocês estão traduzindo nomes aleatoriamente assim? Scorpion não foi traduzido pra Escorpião, Sub-Zero não foi traduzido pra Abaixo-de-Zero, então... Pra que?

Até mesmo depois quando todo mundo tá naquele banquete antes do torneio e o Shang Tsung resolve dar uma amostra do que vem pela frente, fazendo o Sub-Zero congelar um cara e explodir ele em pedaços... O Shang Tsung fala "Vitória Limpa" ao invés de "Flawless Victory", é estranho! E ainda por cima é uma tradução errada, porque flawless é algo perfeito, sem falhas, então "Vitória Perfeita" faria mais sentido.

... Quer saber? A partir de agora eu vou falar tudo traduzido também, já que eu tô vendo o filme com a dublagem brasileira, eu abraçarei nosso idioma com todas as minhas forças!


Enquanto isso, Cano tem uma discussão com Goro, o príncipe da raça Shokan e atual campeão do Mortal Combate, e essa discussão basicamente se resume ao quão grossa a piroca do Shang Tsung é. O próprio feiticeiro ouve a conversa e resolve participar da mesma, mas também os avisa que Liu Kang, que aparentemente nesse filme é o descendente do Kung Lao que Goro matou em um dos Mortal Combates passados, está participando do torneio e por isso é melhor tomarem cuidado. E também a Kitana tá de olho nele, e ela não pode se juntar às forças do Terradomínio de maneira alguma, já que é a próxima herdeira do trono de Foramundo.

Liu Kang, Sonya e Joãozinho Gaiola tavam seguindo Shang Tsung e espiando isso tudo, porém na hora de sair eles acabam sendo descobertos, o que os leva a fugir e seguir a Kitana, que aparece lá por perto e depois some. No fim, isso tudo leva a eles serem encurralados pelos capangas do Shang Tsung e rola uma cena de luta bem legal pra quebrar a monotonia que o filme andou tendo nos últimos minutos.


Porém mais capangas aparecem e todos estão armados, e isso acaba fazendo com que Raiden interfira de novo pra proteger os três. Então mais conversa sobre como o Shang Tsung é pica-grossa acontece, Raiden diz que enfrentar o feiticeiro é como enfrentar uma legião de pessoas por causa das almas que ele absorveu... Ok, já entendi. Agora que comece o torneio.


No outro dia, a primeira luta do torneio é entre Liu Kang e um lutador negro que certamente deve ter entrado no torneio através do sistema de cotas de Foramundo. Cada um dos dois trouxe uma vara grande de bambu pra luta, e o perdedor vai ter sérios problemas pra se sentar após o fim dela, caso ele sobreviva, isso é.

Também dá pra perceber que o Liu Kang veio lutar com a camiseta que ele usa pra ir malhar na academia, vai ver o Shang Tsung tem academias pela ilha e o Liu Kang acordou pra ir lá se exercitar antes, tomou aquele café da manhã proteico com batata doce e frango, um caneco de Whey e foi lá botar os músculos pra trabalhar. Depois de descansar um pouco, Liu Kang saiu da academia e foi direto pro torneio pra não perder o pique. Isso sim é que é atleta! Faça melhor, Kleber Bambam!


A cena da luta entre Liu Kang e o cara aí também é boa, na verdade as cenas de luta sem dúvidas são o ponto de maior destaque no filme, todas elas são muito bem coreografadas e a maioria exceto uma delas têm um ótimo ritmo, não sendo mais longas do que deveriam ser e nem curtas demais também. De qualquer forma, apesar de boa, essa cena de luta tá longe de ser a minha favorita do filme.


Apesar da disputa acirrada pra ver quem alcança a retaguarda do outro com a vareta primeiro, Liu Kang se mostrou mais esperto e quando surgiu a oportunidade ele socou a sua vara tão forte que o cara nem conseguiu levantar do chão mais. Logo em seguida, Shang Tsung percebe que um subordinado sem pregas e possivelmente paraplégico não é muito útil e absorve a alma do cara, depois falando "Fatalidade".

... Não, eu não tô traduzindo dessa vez, ele realmente falou "Fatalidade", ok?

Mas é isso aí!

Liu Kang vence! 
FATALIDADE

E falando sério por um momento aqui, os "Fatalities" desse filme são bem não-violentos pra algo baseado em Mortal Kombat. A parte mais violenta do filme todo é o Sub-Zero congelando o cara lá e depois ele explodindo... E nem é tão violenta assim também. Entendo que não podiam deixar isso violento demais porque muitos jovens e crianças gostam de Mortal Kombat, mas ainda assim...


Os próximos lutadores são Cano e Sonya.

Posso parar um pouco aqui pra falar sobre o quanto esse ator do Kano é incrível? A atuação dele foi tão boa que honestamente definiu o personagem, toda a personalidade dele nos jogos posteriores foram baseadas no Kano desse filme, especialmente o Kano do Mortal Kombat de 2011 que até se parece com ele visualmente também! O cara conseguiu passar aquela atitude psicótica com humor negro do Kano melhor do que até mesmo qualquer aparição dele nos jogos até hoje, meus parabéns pra ele.

Voltando pro filme... Pois é, Cano provoca Sonya pra caralho, pegando a faca que ele usou pra cortar o pescoço do amigo dela e fazendo piadinhas de mau gosto. Aparentemente, Shang Tsung não quer que Cano mate ou fira Sonya gravemente, apenas a humilhe... Algo me diz que isso não vai dar muito certo, mas ok.


E essa é provavelmente a cena de luta que menos me empolga no filme, porque o Cano obviamente tá se resguardando pra não machucar demais a Sonya, e isso resulta em vários momentos onde ele fica só parado esperando ela encher ele de chutes e socos na cara. Nas vezes em que ele acerta uma porrada nela, ele... Continua parado, não faz mais nada.

Isso faz parecer que a Sonya não ganhou essa luta por mérito próprio, mas sim porque ela é basicamente a waifu do Shang Tsung nesse filme e é protegida pelo próprio feiticeiro, ainda que isso não exatamente justifique ele ficando parado sem fazer nada na maior parte do tempo. Seria melhor se o Cano tacasse o foda-se pras ordens do Shang Tsung uma hora e passasse a lutar com tudo mesmo, e depois a Sonya acabasse o derrotando na raça porque ela é tão fodona assim.


Enfim... A luta acaba com Sonya pegando Cano pelo pescoço em uma chave de perna e o derrubando, em seguida quebrando seu pescoço quando ele ainda tem a cara de pau de pedir à moça que tenha piedade. Imagino quantas ereções devem ter se manifestado na plateia durante esse momento da luta, olha só como essa galera ali no fundo tá empolgada com isso!


Menos esse cara. Esse cara provavelmente tem outras preferências, ou ele é tímido demais pra se juntar aos seus colegas mais extrovertidos.

De qualquer forma...

Sonya Lâmina vence! 
FATALIDADE


Em alguma floresta, Escorpião e Joãozinho Gaiola se encontram e estão prestes a lutar também. Enquanto isso pode parecer meio aleatório, porque as lutas do torneio que ocorreram antes tiveram plateia, ringue e tudo mais enquanto essa aqui pelo visto acontece do nada na floresta... É uma coisa que não acontece só nesse filme, essa aparente "falta de regras" quanto às lutas do torneio. O modo história do Mortal Kombat de 2011 também tinha dessas, algumas lutas aparentemente decisivas ocorriam com plateia e tudo, enquanto outras simplesmente aconteciam em locais aleatórios sem quase ninguém pra assistir.

Vai entender... Talvez se os lutadores se encontrarem fora das arenas "oficiais" e resolverem sair na mão ali mesmo, também conta como vitória se algum deles ganhar, sei lá. Não fui eu quem organizou esse torneio mesmo, vai discutir as regras dele com o Shang Tsung e não comigo.

No meio da treta, Escorpião tenta usar sua cobra pra fazer um "VENHA CÁ!" no Joãozinho, porém sem muito sucesso.


Eventualmente, Joãozinho acaba desviando da cobra e fazendo com que ela dê de cara em uma árvore e assim efetivamente castrando Escorpião, que a partir de agora é uma mulher ao invés de um hermafrodita já que o único órgão genital que lhe sobrou foi a vagina em sua mão... E foi aí que Escorpião percebeu que é melhor usar uma ponta de lança pra isso do que a porra de uma cobra.


Antes que Joãozinho atacasse de vez, Escorpião os transporta pra um outro lugar que eu não faço a menor ideia de onde seja... Mas é bem maneiro. Então a luta começa de verdade, e a Escorpião desce a porrada no Joãozinho sem dó, eu gosto dessa luta porque é bem aparente que o Joãozinho não dá conta de peitar a Escorpião fisicamente, ele mais apanha do que bate e isso o força a se afastar e dar um jeito de arrumar uma estratégia.

E mesmo isso falha, porque quando Joãozinho consegue tomar distância indo pro andar de cima, Escorpião chuta a estrutura da plataforma e ele cai lá pro fundo do cenário, felizmente tinha coisa pra caralho pra amortecer a queda até lá. Mas é isso aí, Joãozinho Gaiola vai ter seu fim agora, sem opções restantes e prestes a receber um Fatalidade da Escorpião: O clássico Fatalidade do Toasty, ou melhor... Do Torradinho!


Viu só? Escorpião até tira a sua máscara só pra isso, o Joãozinho Gaiola tá fodido!


Mas espera, nem tudo está acabado ainda! Joãozinho acha um escudo bem na hora que a Escorpião ia soltar sua labareda, então ele conseguiu bloquear seu Fatalidade. É por isso que a gente guarda esses movimentos pra usar quando o oponente tá tonto e sem poder reagir, caras.


E agora usando uma lança junto com seu escudo, Joãozinho corta Escorpião em pedaços, deixando ela toda queimada e a explodindo subsequentemente. Então voam entranhas pra todos os lados e... Ok, eu retiro o que eu disse quanto à cena do Sub-Zero congelando o cara lá ser a mais violenta do filme, essa aqui sem dúvidas é mais, mesmo ainda não sendo nada extremamente violento.


Aparentemente, Escorpião era fã do Joãozinho, já que essa foto saiu no meio da explosão.

É, eu sei que isso é uma referência ao Friendship do Johnny Cage em Mortal Kombat 2, mas é meio engraçado que isso tenha aparecido depois do oponente ter morrido... Normalmente Friendship vai antes da pessoa morrer, porque aí você fica amigo dela ao invés de matá-la.

De qualquer forma... Acabou a luta.

Joãozinho Gaiola vence! 
... FATALIDADE AMIGA?


Enquanto isso no outro lado da ilha, Liu Kang enfrenta Kitana no torneio, porém não tem intenção de machucá-la e ela aparentemente tá usando a luta pra ajudá-lo com conselhos. Kitana diz que pra vencer a próxima luta, Liu Kang terá que usar o "elemento que traz a vida".

Ok, Kitana... "elemento que traz a vida" é uma coisa vaga pra caralho pra se dizer. Não dá pra ser mais específica pra alguém que aparentemente você quer muito que vença?


Bem, não importa... Na próxima cena o Liu Kang já sai na mão com o Abaixo-de-Zero mesmo. Essa é uma luta meio que decepcionante, pra ser honesto... Considerando o quanto o Abaixo-de-Zero foi hypado no começo desse filme, pensei que a luta dele seria mais climática, mas ele nem usa o seu poder congelante até perto do final e a luta em si é bem típica: O Liu Kang começa apanhando, mas depois ele ganha a vantagem. Essa é a única luta que eu sinto que foi curta demais, podiam ter feito muito melhor com um personagem como o Abaixo-de-Zero.

O Escorpião teve uma luta melhor, sinceramente...


No fim da luta, Abaixo-de-Zero começa a fazer uma bola gigante de energia de gelo, ou algo do tipo.


Liu Kang é atingido, mas de alguma forma ele acaba não sendo congelado.


Kitana aparece, e então Liu Kang se lembra daquele lance de usar o elemento que traz a vida.

E depois de um tempo pensando, Liu Kang finalmente tem a resposta...


"Elemento que traz a vida... Mas é claro! Baldes!"


Rapidamente, Liu Kang joga o balde que ele encontra por perto na direção do Abaixo-de-Zero.


Pra sorte do nosso herói, tinha água dentro do balde e ela congela no meio do seu trajeto, se transformando em um gelo pontudo...


... Perfurando Abaixo-de-Zero e assim o matando. Pois é, morto porque o faxineiro esqueceu o balde de água que ele usou pra limpar a sala ali.

Meh, falando sério... O Sub-Zero foi bem mal usado nesse filme, esperava que ele fosse ser libertado do controle do Shang Tsung, então caçar o próprio rumo dele e isso acabasse o levando a enfrentar o Scorpion que também ficou livre do feitiço. Até porque, como esse aí é o Sub-Zero original, Bi-Han, isso também acabaria sendo fiel à história dos jogos, onde o Scorpion e o Sub-Zero se enfrentam, e no fim das contas Scorpion acaba matando seu arqui-inimigo e assim supostamente vingando seu clã. Mas não, aqui ele foi morto pelo Liu Kang, e o Scorpion foi "morto" pelo Johnny Cage, essa foi uma das liberdades criativas que esse filme tomou que eu achei bem questionáveis.

Pois agora o torneio vai começar a mudar de rumo... E isso é algo que fica pra próxima parte da review, porque se não isso aqui vai ficar mais longo do que já tá e vai deixar a página inicial do blog mais fodida do que já é. Caso você não saiba, não aparecem tantos posts na página inicial porque posts que ficam grandes demais ou têm imagens demais acabam pesando muito pra aparecerem todos na página inicial... Fazer o que, né?

Até a Parte 2 então!

- Copyright © Blog do Ryu - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -