Posts Populares:

Postado por: Ryu sexta-feira, 6 de março de 2015


Sim, é um novo Dragon Ball, claro que eu como fã da série por obrigação tenho que escrever uma review aqui. Mas o que exatamente eu deveria esperar depois de bombas como Battle of Z, aquela atrocidade do Kinect ou Ultimate Tenkaichi? Bem, talvez coisas boas porque Dragon Ball Xenoverse não só parecia ter um gameplay similar ao Tenkaichi 3 pelos vídeos como também a história não parecia ser só mais um retelling da série... E também porque esse jogo tava sendo feito pela Dimps. Pois é, antes de ser conhecida por fazer jogos do Sonic com level designs abismais, a Dimps foi a desenvolvedora de outros jogos de outras franquias, incluindo Dragon Ball Z.

Dragon Ball Z Budokai 3, Shin Budokai, Another Road e Burst Limit foram jogos bons e desenvolvidos pela Dimps, inclusive Budokai 3 ainda é um dos melhores da série... Então o que poderia dar errado? Bem... Esses jogos são todos diferentes dos Tenkaichi, mas se a Dimps fez eles, provavelmente eles dão conta de fazer sua própria versão da fórmula daqueles jogos já que a Spike aparentemente não sabe mais fazer isso. Então por mais triste que pareça, eu de todas as pessoas vou estar botando fé na Dimps, e eu espero não ser decepcionado.

No fim das contas, Dragon Ball Xenoverse já saiu, esse jogo tava sendo aguardado por bastante gente até... Mas será que ele faz jus a esse hype ou é só mais um jogo ruim pro catálogo gamístico da série? Apesar de ter aguardado esse jogo. eu tava levando isso tudo com um grão de sal, nunca descartei a possibilidade de acabar sendo ruim e também não achei que faria jus ao hype, mas nada o impediria de ser um jogo bom mesmo não sendo tanto quanto um monte de gente esperava que fosse. Dragon Ball Xenoverse poderia ser literalmente qualquer coisa, aguardá-lo foi como estar numa sala de um hospital esperando algum resultado sobre a saúde do seu amigo internado lá, se por acaso ele melhorou, se vai sobreviver, se morreu, se a doença dele passou pros médicos, se ele deu a luz... Enfim, foi um grande suspense.

Então não vamos mais perder tempo aqui, hora de botar Dragon Ball Xenoverse no Xbox 360, criar meu ORIGINAL THE CHARACTER pra protagonizar essa história e rezar pra que pelo menos eu não perca o interesse nesse jogo antes mesmo da metade como aconteceu com os três anteriores.

Tem alguém brincando com o tempo...


Ha! Você pensou que ia ser a história de Dragon Ball Z repetida e recontada pela milionésima vez, mas era eu, Towa!

Bem... Resumidamente, a história é isso, mas como eu tenho que digitar parágrafos falando dela, vamos lá... Existe a linha do tempo toda bonitinha de Dragon Ball Z onde tudo acontecia da maneira como todos nós sabemos: Raditz chega na Terra, tem aquela luta contra ele, Goku se sacrifica, depois o Vegeta e o Nappa aparecem e por aí vai até o fim de tudo isso... E por fim eu quero dizer a saga do Majin Buu e Battle of Gods, porque Dragon Ball GT não existe, foi só um pesadelo horrível do qual todos nós já acordamos e com certeza não queremos lembrar.

Só que de repente, algum infeliz aí tem interferido com a história e mudado o modo como ela se desenrola de modo que os vilões levem a melhor no fim das contas. Por exemplo... Quando o Gohan sai da nave em que ele tava aprisionado lá todo putasso e vai dar sua mega cabeçada [?] no Raditz, esse já consegue desviar, mata o Gohan, e quando Goku agarra ele por trás e começa a dar aquelas encoxadas pro Piccolo soltar o Special Beam Cannon dele, Raditz consegue se livrar do Goku e o ataque acerta apenas o nosso herói já que a cabeçada do Gohan não acertou ele e não o enfraqueceu no processo... E depois o Piccolo toma um raio de energia na cara, o que provavelmente matou ele.

Vendo isso tudo acontecer lá de uma cidade avançada no futuro, Trunks junta as sete Esferas do Dragão e pede ao Shenlong que traga um guerreiro que possa consertar isso tudo. Como Shenlong decidiu ser um cuzão e não mandar um cara com Level 99 de uma vez pra entrar nisso tudo, ele chama o ORIGINAL THE CHARACTER que você criar e que agora fará parte desse mundo, porém no Level 1 porque... Bem, o Shenlong decidiu ser um cuzão, e também porque o jogo não teria muita graça se você já começasse fortão, que nem o Megaman X não usa as armaduras de jogos passados dele nos mais novos pelo mesmo motivo.

Então ok, eu criei meu ORIGINAL THE CHARACTER, é um Saiyajin chamado Ryu... Porque foda-se a minha criatividade quase inexistente.

Ryu então aprende que Trunks é o líder dos Time Patrollers, um grupo que basicamente se encarrega de manter a linha do tempo estável e livre de qualquer ameaça que possa interferir com ela. Se vilões de Dragon Ball Z podem explodir galáxias inteiras com peidos cósmicos, o que diabos os impediria de viajar no tempo, né? Ainda bem que o Trunks foi olhar isso aí direito... Então ok, os Time Patrollers fazem isso e a base de operação deles é uma cidade avançada chamada Toki Toki que é interligada com o Time Nest, onde toda a história do mundo/universo/whatever fica guardada através de pergaminhos mágicos e isso tudo é vigiado pela Kaioshin do Tempo.

Então viajando por aí e consertando os eventos de Dragon Ball Z colocando de volta da maneira como deveriam ser, Ryu acaba descobrindo que dois indivíduos estão interferindo com a linha do tempo: Uma mulher chamada Towa, que conveniente é a irmã do Dabura e uma ex-cientista do Demon World, e seu parceiro, Mira. Esses dois estão fazendo isso porque querem coletar energia suficiente pra quebrar o selo do Demon World e dominar tudo por lá, são vilões fazendo coisas de vilões, então não tem nada de surpreendente nisso.

No meio dessa treta toda, um cara estranho que aparentemente também tem esse poder de viajar no tempo ajuda Ryu a resolver um dos paradoxos temporais lá pelo fim da saga do Cell. Bem, esse cara é um outro demônio conhecido como Démigra, e com certeza ele não é o vilão principal que está por trás disso tudo e nem nada do tipo, não mesmo.


Ok, você pode dizer que Dragon Ball Xenoverse não tem exatamente a premissa mais original que existe pra um enredo "fanservice" baseado em uma franquia já estabelecida. Mas e daí? Dragon Ball em si nunca foi conhecido por ser a coisa mais original do mundo, muito menos Dragon Ball Z que é a série em questão aqui. O Akira Toriyama com essa série sempre usou a sua criatividade não de formas originais ou inovadoras, mas de forma que ele consiga produzir algo bom com conceitos já conhecidos, e não só funcionou com o anime em si como funciona com Dragon Ball Xenoverse que também teve seu enredo escrito/supervisionado pelo próprio Toriyama por ser baseado no lore de Dragon Ball Online que ele mesmo criou.

No começo, eu tava pensando que ia ser algo bem básico onde o vilão vencia de uma forma meio fácil de imaginar e você só impedia isso, como foi o caso do Raditz. Só que em grande parte das sagas seguintes, Dragon Ball Xenoverse foi me surpreendendo aos poucos com as maneiras de como os vilões acabavam triunfando, na saga dos Saiyajins esse bagulho acabava com o Vegeta e o Nappa se transformando em macacos gigantes pra lutar contra o Goku e provavelmente matarem ele enquanto todos os outros já haviam sido mortos pelos Saibamen que haviam recebido boosts de energia pela habilidade da Towa.

O que eu imaginava era que quando fosse rolar aquela disputa entre o Goku com o 4x Kaioken Kamehameha e o Vegeta com o Gallick Gun, o Vegeta ganharia por causa desse boost e aí mataria o Goku assim como destruiria a Terra toda. Outra coisa que me vinha na cabeça também era que o Vegeta Macaco Gigante poderia ver que o Yajirobe tava prestes a cortar a cauda dele e evitar isso... Mas surpreendentemente, não foi nenhuma das duas coisas. O que eu mais gostei no entanto foi em Namek quando eles estavam enfrentando as Forças Ginyu, originalmente rola uma troca de corpo entre o Ginyu e o Vegeta, o segundo acaba sendo morto de alguma forma, e então Ginyu vai do Vegeta pro Goku com a troca de corpos, depois a equipe toda finaliza ele... E até mesmo a versão consertada tem umas trocas de corpo inusitadas e momentos até engraçados antes de tudo ser voltado a ficar como devia.

Aliás, é bom ver que esse jogo não se leva tão a sério assim e ainda tem aquele senso de humor do Toriyama, a Kaioshin do Tempo mesmo é uma personagem humorosa em um contexto sério e algumas vezes chega até a ser meio adorável, a introdução meio desajeitada dela me fez abrir um sorriso no rosto e o pássaro dela chamado Tokitoki contribui ocasionalmente pra isso. Os vilões são ok, apesar de eu ter achado eles meio genéricos, mas eu poderia condenar o Freeza e o Cell por isso também, então tá bem pra mim, eles não me ofendem, só acho eles meio sem personalidade comparados aos vilões passados da série... Mas de novo, esse jogo é baseado em Dragon Ball Online, então talvez no lore de lá eles tenham mais história e tal.

O que eu posso dizer? A história aqui foi mais do que eu esperava que fosse, e considerando tudo, é um fanservice muito bem feito até, melhor do que aquele "retelling" escroto e sem sentido da história que Battle of Z tinha. Os personagens novos são legais e os já conhecidos continuam sendo carismáticos, o Goku ainda é provavelmente o cara mais bro que existe, o Vegeta é um tsundere enrustido, o Gohan é uma versão um pouco mais responsável do pai dele, o Freeza é malvado, então tudo tá certo.

É tipo o anime, só que todo mundo tá lubrificado com gloss


Depois que eu joguei Battle of Z e fiquei horrorizado com aqueles gráficos que pareciam vindos de 2006, eu seriamente fiquei com medo de como diabos o próximo jogo de Dragon Ball iria ser visualmente... Pra minha felicidade, Dragon Ball Xenoverse não decepciona em maior parte, em alguns pontos ele faz até melhor do que todos os outros jogos da série que saíram na 7ª geração. As cutscenes são muito bem animadas e parecem mais naturais agora, sem aquelas expressões faciais repetidas, as animações fluem bem melhor entre si e os personagens parecem mais vivos do que antes... Eu só queria que eles fossem menos "brilhantes", porque isso é uma coisa que realmente me distrai um pouco.

É algo parecido com Sonic Heroes, os modelos dos personagens eram bons, mas tinha esse efeito de gloss que parecia que eles tomaram um banho de vasilina. Quando eles se transformam isso faz sentido, o Goku Super Saiyajin fica todo brilhante e tal, mas nas suas versões normais isso é meio esquisito... De qualquer forma, dá pra acostumar, só precisa de uma iluminação um pouco melhor pra esses modelos.

Isso nas cutscenes, é claro, porque no in-game as coisas já são meio misturadas... No hub em especial os personagens têm aqueles clássicos diálogos com falas que você tem que apertar A pra pular pro outro balão, similar a muitos RPGs aí. E então aí os personagens começam a fazer animações meio robóticas ou, quando a câmera dá um zoom neles, falarem sem abrir a boca... Qual é, caras? Estamos em 2015, façam-me o favor! Pelo menos botem alguma animação labial nisso, é estranho ver algo tão "PS2" num jogo da geração atual. Aliás, nas cutscenes os lábios não são muito bem sincronizados com o diálogo da dublagem americana, mas vou botar a culpa disso em seja lá quem localizou esse jogo aqui no ocidente.

Tirando essas reclamações, Dragon Ball Xenoverse é um jogo bem bonito sim, os cenários também são réplicas fieis do que você já conhece no anime, toda aquela "cara" de Dragon Ball tá aqui, só com alguns tropeços na apresentação, mas aproveitável de qualquer forma.


Bem... Sim, Dragon Ball Xenoverse tem cutscenes em anime também, caso você não reparou pelas screenshots nesse post, pelos trailers ou por vídeos de gameplay, você é meio estranho. A intro também é em anime e tem uma versão bem maneira da Cha La Head Cha La, mas não para só por aí, existem outras cutscenes e elas são tão boas quanto, é mais uma representação de como Dragon Ball seria com visuais atualizados... E eu ainda fico puto pela enganação que foi Dragon Ball Kai com aquela abertura orgasmante pra no fim das contas ser só Dragon Ball Z com filtros HD.

É, eu ainda não superei isso... Mas que se foda, pelo menos tivemos filmes novos, eu acho... Vai sair um filme aí no qual o Freeza dá respawn e se torna o vilão principal, provavelmente vou ver por curiosidade assim como vi Battle of Gods por isso também. A propósito, não acho esse filme tão ruim quanto dizem, mas o Goku Super Saiyajin God lá foi bem preguiçoso, é só o Goku avermelhado de modo um pouco parecido com o Kaioken... Que nem a nova forma do Freeza que foi revelada recentemente também é preguiçosa, aquilo é só o Cooler com uma armadura dourada, porra!

Mas tá, eu não tô aqui pra falar dos filmes ou dos designs dos personagens deles... E até que a Towa, o Mira e o Démigra são bem legais visualmente, são diferentes do resto, mas ainda assim reconhecíveis como personagens do Toriyama. Agora chega disso, próximo ponto!

Bem forte, mas ainda precisa de mais treinamento


Antes de mais nada, o ponto principal que apresentaram sobre Dragon Ball Xenoverse é que você poderia criar seu próprio personagem pra protagonizar a história do jogo. Ultimate Tenkaichi tinha um modo desse tipo, mas a criação de personagem lá é tão limitada e sem sal que eu ainda me pergunto por que diabos eles se importaram em colocá-la lá... Felizmente, Xenoverse não cai nessa mesma futilidade porque a criação dos personagens aqui é bem melhor em comparação.

Dá pra você escolher até cinco raças pro seu personagem: Saiyajin, Terráqueo, Namekian, Majin e a raça do Freeza que eu seriamente não sei o nome, mas é legal pra caralho, e cada um exceto pelos Namekians e a raça do Freeza têm opções de gênero, seus próprios atributos, vantagens e desvantagens. Saiyajins têm menos vitalidade do que os outros, porém têm alto poder de ataque e quando são reanimados após um nocaute, ficam mais fortes por causa do Zenkai Boost. Namekians não são tão bons quanto no ataque, mas têm maior defesa, vitalidade, a barra de Stamina enche mais rápido, podem regenerar a sua vida quando tão quase morrendo e os itens são mais efetivos com eles. Os terráqueos são os mais "balanceados", não são "especialistas" em ataque ou defesa, mas a barra de Ki deles sobe automaticamente e ele causam mais dano quando ela tá no máximo.

Os Majins são mais defensivos e a Stamina deles demora mais pra encher, porém quando enche completamente eles ganham mais defesa ainda, a velocidade deles depende se for homem ou mulher, como Majins homens só podem ser gordos por algum motivo, eles são lentos e as mulheres são mais rápidas. Os Freezas [?] são os mais fracos em ataque, porém são bem rápidos, têm ataques que podem paralizar o oponente e podem ficar mais rápidos ainda quando a barra de vida deles é diminuída até tal ponto.

Dá pra customizar todos os atributos e modificar um pouco, mas eu pelo menos quando escolho uma raça que é forte em tais atributos, eu procuro enfatizar eles enquanto nos outros progrido normalmente e tento melhorar um pouco mais o no qual eles são piores... Como o meu personagem é um Saiyajin, eu aprimorei os ataques dele e quis subir um pouco mais a barra de vida, por exemplo. Mas você faz o que quiser, e as opções de visuais são bem grandes até... Não na tela de customização inicial, dá pra modificar a altura, o cabelo, o rosto, as cores e essas coisas básicas do personagem, mas roupas diferentes e coisas do tipo você consegue em missões ou então comprando nas lojas do hub da Tokitoki City.

Aliás, o hub desse jogo é bem legal até, tem bastante coisa lá, dá pra interagir com os personagens já conhecidos da série, treinar com alguns deles e virar um aprendiz de personagens como Vegeta, Kuririn, Ginyu, Freeza, Goku e creio eu que todos os jogáveis. Também é possível interagir com outros Time Patrollers que talvez podem te dar itens, fazer várias poses/animações diferentes, dá pra comprar roupas, acessórios, técnicas, cápsulas... E ele nem é tão grande assim, só queria que desse pra voar ou correr mais rápido por ele porque fica meio cansativo depois de um tempo, mas ok então.

Uma vez que você já escolheu a aparência física do personagem, não dá pra trocar depois, apenas as roupas são customizáveis depois disso. Só se por acaso você coletar as sete Esferas do Dragão e fazer um desejo ao Shenlong pra poder modificar a aparência do seu personagem de novo.

... Sim, você junta as Esferas do Dragão só pra mudar a sua aparência. Eu imagino que o diálogo entre meu personagem e Shenlong seja algo mais ou menos assim:

Ryu: Apareça, Shenlong!

Shenlong: Você acaba de me invocar usando as sete Esferas do Dragão. Posso realizar um desejo seu, apenas diga-me o que quer, qualquer coisa.

Ryu: Eu quero um corte de cabelo novo.

Shenlong: ... Sério? Você pegou as sete Esferas do Dragão pra isso? Não vai desejar imortalidade, uma quantidade absurda de dinheiro, reviver o Kuririn ou tantas outras grandes coisas que posso realizar?

Ryu: Não, só quero um corte de cabelo novo mesmo.

Shenlong: Ma puta merda, hein, garoto? Eu reclamava que só o Goku e os amigos dele achavam essas porras de esferas, mas pelo menos eles faziam desejos úteis pra alguma coisa... Tá, realizei seu desejo, tchau.

Ryu: Até mais, quando eu enjoar desse corte eu procuro as esferas de novo!

Enfim... A customização em si é bem decente, pode ser mais expandida com certeza, mas é ok do jeito que tá aqui. Só queria que tivesse como fazer Majins que não sejam gordos. Mas fazer o que? Quem sabe na sequência. Assim como o roster dos personagens aqui é ok, nada impressionante como Tenkaichi 3, mas decente, com vários personagens já conhecidos, outros faltando, uns novos como soldados diferentes do Freeza, versões "malignas" dos personagens, o Bills e o Goku Super Saiyajin God em um jogo que não é uma merda total pela primeira vez... É ok, os personagens têm várias roupas diferentes pras lutas também, mas podiam ter formas variadas, o Freeza só tem a primeira e a forma final dele, o Gohan adolescente já começa como Super Saiyajin, o Broly só tem a forma de Lendário Super Saiyajin... Eh, dá pra engolir, mas eu só sinto falta de ter várias opções de transformações nas lutas, era uma das coisas mais legais dos jogos pro PS2 ou até mesmo dos Raging Blast.


Claro que enquanto você não estiver navegando por Tokitoki interagindo com personagens e comprando coisas, você vai estar lutando. Existe a história principal que você acessa através do Time Nest e as missões paralelas do hub ou então outras missões alternativas dadas por personagens e treinamentos do seu mentor, mas todas elas basicamente são lutas onde você ou derrota todos os inimigos ou então cumpre objetivos alternativos pra ter recompensas diferentes nelas. O combate do jogo é um só, e eu devo dizer que é daquele tipo que é bom, mas podia ter sido muito melhor.

As lutas são completamente 3D, os personagens têm combos de ataques físicos, podem voar, teletransportar, soltar poderes, usar Super Attacks como Kamehameha, Gallick Gun, Kienzan ou então Rushes, buffs através de cápsulas ou técnicas como o Kaioken por exemplo, e têm direito a dois Ultimate Attacks, tudo isso podendo ser mapeado nos botões quando você segura R ou R+L se quiser usar os Ultimate Attacks. A boa notícia é que as lutas podem ter até seis personagens lutando entre si, três de cada lado no caso, e esse jogo não é tão dependente de grupo que nem Battle of Z era, seu personagem é bem capaz de fazer vários movimentos por si só e lutas de 1 vs 1 são igualmente empolgantes.

Os combos são o que você espera de um jogo de luta: Ataques físicos mais fracos e mais pesados, cada um tem seu próprio combo e você pode ir alternando entre cada um. O que me decepciona um pouco é que, a menos que você dê cinco golpes fracos e aí aperta Y pra dar um mais forte no qual você joga o inimigo pra cima e aí pode perseguir ele no ar pra finalizar, os ataques em si vão ser sempre os mesmos com o meu personagem jogando o inimigo dele no ar... Pelo menos os combos de golpes pesados são mais variáveis, então ok, eu acho.

Isso é meio raso, mas eu não vou negar que é legal fazer chains de combos assim, principalmente porque esse jogo emula Budokai 3 e te deixa alternar livremente entre os combos normais e os super ataques, então é possível fazer um combo de quatro hits fracos, apertar Y pra jogar seu inimigo pra cima e então jogar um Kamehamehá nele logo em seguida, ou então cancelar um combo normal e finalizar ele com alguma técnica, ou o meu favorito que é no finalzinho de um combo usar um Rush. Você também pode usar seu Ultimate Attack, apesar de demorar um bocado pra você realmente soltar ele devido à animação, mas é efetivo quando você consegue fazer com o timing certo, outra coisa legal nas batalhas em grupo é jogar seu inimigo no Ultimate Attack do seu aliado, palavras não podem descrever o quão satisfatório foi jogar o Freeza direto na Genki Dama do Goku.

Sim, o combate é relativamente simplista e pode desagradar quem esperava uma lista de combos extensa e cheia de opções de ataque como Tenkaichi 3 tinha, mas eu ainda consigo tirar proveito do que tem aqui, é um combate raso que pode ser melhor aproveitado quando você resolve experimentar e explorar o que você pode fazer no meio dos combos fora alternar entre os golpes fracos ou pesados. E nem tudo gasta Ki também, a barra de Stamina que normalmente vai enchendo gradualmente serve pra coisas como teletransportar, defender, etc.

O que mais me incomoda nesse combate não é nem que ele é simples ou raso, eu tô ok com isso por ele oferecer opções de ataque suficientes pra me fazer sair da mesmice apesar de não ser muito profundo. Meu maior problema é a falta de impacto ou de agressividade nesse combate em comparação com jogos passados, os combos fluem bem, mas eles não são tão rápidos quanto você esperaria de um Dragon Ball, assim como os impactos e a destruição não são muito aparentes aqui.

Sabe quando você acertava um Kamehameha num inimigo jogando Tenkaichi 3 e não só a tela tremia como uma caralhada de efeitos de explosões e coisas do tipo aconteciam? Ou então quando você joga um inimigo em montanhas/prédios/etc e essa parte do cenário era destruída? Então, Xenoverse não tem muito disso, e o que fazia combates de Dragon Ball serem tão satisfatórios pra mim era essa sensação de poder, velocidade, o impacto dos seus golpes, etc... Aqui isso é meio fraco em comparação, só partes pequenas dos cenários são destrutíveis e os golpes especiais quando atingem os inimigos não têm muita sensação de que você realmente acertou aquele infeliz com um seu ataque supremo estuprador de planetas.

Cadê o exagero na ação? Cadê a destrutividade? Cadê os impactos satisfatórios? Cadê a velocidade absurda? É isso que me incomoda quanto ao combate de Xenoverse, ele é decente e eu realmente consegui aproveitar o que ele fez de certo, mas tá faltando uma presença maior desses elementos que pra mim sempre foram o que faziam jogos de Dragon Ball serem jogos de Dragon Ball. E se for pra eu ser chato, eu poderia dizer que aquele Ultimate que todo mundo tem de ficar jogando um monte de poderes aleatoriamente na tela é uma bosta e quase nunca serve pra nada porque quase nunca acerta alguém direito, mudem isso pelo amor de Kami-sama!

Ainda bem que o Ryu aqui é bem mais versátil do que esses outros personagens e pode literalmente aprender qualquer ataque desde que treine com um personagem que use determinado ataque. O Kuririn te ensina o Orin Combo que é a minha Rush favorita do jogo, o Kienzan, o Speed Shot Retreat que é um dos movimentos pra dar um "chega pra lá" em um ou mais inimigos que estiverem te combando, e por fim o Ultimate Attack dele que é o Scattering Blast. Isso vale pra outros personagens e vilões, cada um requer um nível ou um progresso específico na história principal do jogo pra ser destravado como mentor, e você tem que usar os ataques que eles te ensinam nas lutas ou trazer cápsulas específicas pra eles te treinarem mais e aí você aprender mais ataques.

Isso é sem dúvidas uma das coisas mais legais desse jogo, poder aprender quase todos os ataques e customizar seu personagem pra ter técnicas de vários personagens possíveis adiciona até um pouco mais de profundidade no jogo ao mesmo tempo que, ao menos pra mim, incentiva um pouco a rejogar com personagens de outras raças nas quais os ataques dos personagens da mesma raça parecem mais apropriados/efetivos. Eu já terminei o jogo com meu Saiyajin, mas tô seriamente considerando rejogar ele com um guerreiro da raça do Freeza pra ser notado pelo Freeza-senpai, usar os ataques dele pra explodir planetas e matar todos os macacos asquerosos afim de orgulhá-lo!

... Ok, quem sabe depois.


Olhando por esse lado, Dragon Ball Xenoverse parece ser um jogo bem acima da média então, certo? Eu reclamei de umas coisas, mas fui bem positivo sobre a maior parte do que eu falei até agora... Só que eu não comecei a falar do que realmente me frustrou nisso aqui, e infelizmente não foi pouca coisa que me deixou puto aqui.

Uma coisa que não necessariamente me frustrou, mas me deixou um tanto decepcionado é que as transformações não são bem transformações com movesets novos e sim buffs, seu personagem fica mais forte/rápido enquanto elas duram e acabam quando a barra de energia chega ao fim, um pouco similar a Dragon Ball Z: Budokai 3, compreensível já que aquele era um jogo da Dimps e esse aqui também é. Isso eu consigo engolir, mas não consigo engolir o fato de que os Saiyajins podem virar Super Saiyajins e... Bem, nenhuma das outras raças têm algum tipo de transformação, o que é uma merda porque a raça do Freeza obviamente se transforma, o próprio tem até quatro formas diferentes, oras!

No entanto, eu fiquei realmente nervoso com a IA dos meus aliados... Ela parece ok na primeira metade, mas quando o jogo começa a ficar mais difícil, inclusive nas missões paralelas a partir de quatro estrelas de dificuldade que quase sempre são lutas em grupo, os inimigos ficam bem mais agressivos enquanto seus aliados continuam sendo burros e quase inúteis em alguns casos. Nas missões paralelas isso é contornável porque você pode jogar elas com a ajuda de outros jogadores online se quiser, mas quando algumas missões da história resolvem fazer isso... Fica uma merda, se o controle do meu Xbox tivesse fio eu provavelmente estaria me enforcando com ele enquanto tentava pasar da luta contra o Bills e o Whis pela 50ª vez.

Qual é o problema com essa luta? Bem, você enfrenta eles com a ajuda do Trunks, só que os dois têm a Super Armor, que é uma espécie de barreira que deixa eles "imunes" a ataques físicos, levando dano, mas não reagindo a eles, assim podendo contra-atacar e interromper meus combos à vontade até que eu quebre essa barreira depois de causar dano o suficiente. Essa barreira geralmente fica nos personagens "bosses" das missões e é sempre um saco porque ou você tem que ficar atacando e desviando constantemente, ou então tem que usar um Ultimate/Super forte o suficiente pra quebrar ela de cara. Não seria tão ruim assim se o Trunks não fosse um retardado da porra e me ajudasse, mas ele nunca faz nada e quase sempre morre pro Ultimate do Bills em alguns minutos.

Essa luta é mais difícil do que qualquer outra que vem depois dela, inclusive mais difícil do que o último chefe do jogo, e é por todos os motivos errados porque a única maneira de vencer ela é ou dando muita sorte e spammando seu Ultimate como Super Saiyajin, ou então grindando até evoluir lá pelo Level 60 ou 70 pra poder matar o Bills ou o Whis antes do Trunks morrer. É possível grindar até você ficar meio overpower, mas acho que isso não deveria ser um grande requerimento pra passar de uma luta dessas que é obrigatória passar pra progredir na maldita história principal. E essa é basicamente a única luta da história principal em que eu tive dificuldade, as outras eu só tinha que grindar e evoluir um pouco caso não conseguisse passar, me virei com elas sem maiores problemas, nem mesmo tive muitos problemas com a luta lá onde o Majin Buu se divide em várias cópias e você tem que lutar contra elas até um certo momento.

As cápsulas te ajudam também com essas missões mais difíceis, você pode recuperar sua vida ou a dos seus aliados, aumentar defesa temporariamente, se curar de status, causar outros buffs, opções pra lidar com situações assim não faltam. Só que nessa batalha da história isso fica ridículo, e em algumas missões paralelas também, é quase impossível passar delas com os seus aliados a menos que você grinde pra caralho e fique muito mais forte do que a missão requer que você fique. É um ótimo conceito, mas precisa de uma boa melhora pra ser completamente aproveitado.

Pelo menos o resto do jogo compensa isso, a última saga com o Goku te ajudando é boa e a batalha final é de longe o melhor momento, é bem intensa e difícil sem ser injusta, tudo isso com a satisfação de ter um final que recompense isso tudo. O ato final desse jogo é talvez o meu favorito de qualquer outro Dragon Ball desde então, mas talvez tenha a ver com o fato de que ele é mais original enquanto os outros geralmente são só as últimas lutas das sagas já conhecidas. As sagas adicionais do Bardock e do Broly também são boas, mas bem difíceis e você tem que grindar mais pra poder passar delas... Oh, você precisa sim, principalmente a do Broly, mas eu dou pontos pra ela porque na última parte você enfrenta o Lendário Super Saiyajin com a ajuda do Bardock na sua forma de Macaco Gigante.

Falando em Macaco Gigante, a luta de boss contra o Vegeta nessa forma também é boa, mas se nem mesmo Battle of Z fez as lutas com bosses gigantes uma merda, eu não esperava que esse jogo que é bem superior fosse foder com isso. Você tem que atacar ele por um tempo até quebrar a defesa e depois poder causar dano de verdade enquanto desvia dos ataques devastadores dele, é só uma questão de reflexos e aproveitar as oportunidades de atacar, principalmente porque nessa parte do jogo a IA aliada ainda parece ajudar um pouco, então é outra parte que eu realmente gostei. Queria mais bosses desse tipo aqui, quem sabe uma luta contra o Hirudegarn em alguma saga dele tendo uma desculpa qualquer pra ele ter ficado mais forte ou coisa do tipo.

Tecnicamente, existe um DLC com personagens e sagas do GT, mas... lol Dragon Ball GT.

Ok, talvez valha a pena porque pelo menos os personagens do GT eram bons nos jogos passados em seus movesets e se tiver uma batalha contra o Baby na sua forma de Macaco Gigante melhor ainda... Mas ainda assim eu odeio Dragon Ball GT, tenho tanta aversão a essa merda que eu sou capaz de ignorar qualquer coisa vinda dele nos jogos. Meu Tenkaichi 3 demorou um bocado pra ser 100% completo porque quando eu vi que chegou na saga do GT, eu fui fazer o resto das sagas que não eram do GT e depois de um tempo fiquei jogando o modo de batalha livre ou então só deixei o jogo de lado por um tempo até depois resolver jogar a saga do GT e acabar com isso logo.

Eh...


O que mais eu tenho pra falar sobre áudio de jogos de Dragon Ball que já não foi repetido mais vezes do que o Yamcha apanhou pra algum antagonista? Bem, as músicas são aquelas típicas faixas de guitarra que se encaixam bem com as lutas e o feel do anime, mas eu não acho elas muito memoráveis... De fato, eu só me lembro mesmo da trilha sonora dos Budokai, do Tenkaichi 2 e do 3 e considero as trilhas sonoras desses jogos como legitiamente ótimas. Se você me perguntar como são as músicas dos Raging Blast ou do Ultimate Tenkaichi eu não vou lembrar de nenhuma provavelmente... E Xenoverse é meio que a mesma coisa, as músicas estão lá, não me ofendem ao mesmo tempo que não me chamam muita atenção. Eu queria um jogo que fizesse uso da trilha sonora original do anime mesmo, tinham várias músicas orquestradas boas lá, mas acho que isso é meio difícil de acontecer.

Efeitos sonoros fieis aos do anime como sempre, não teria motivo pra mudar isso afinal de contas... Só que o mixing do audio das vozes dos personagens é meio estranho, algumas vezes eles se atropelam nas falas porque o jogo não foi muito bem localizado pro ocidente e as cutscenes tão adaptadas pra dublagem japonesa, como mostra a sincronia dos lábios dos personagens.

A dublagem é boa o suficiente, mas é de se esperar já que é a mesma dublagem americana do anime e essa nunca foi ruim, sendo um caso bem raro. Só que eu ainda não consigo gostar dessa voz nova do Gohan criança/adolescente que parece literalmente uma garota, e ainda acho que o Freeza é dublado pelo Johnny Gioeli com um efeito de high pitch na voz dele.

Considerações finais

Em seu melhor, Dragon Ball Xenoverse consegue ser um jogo de Dragon Ball bem divertido com uma boa dose de fanservice e recheado de conteúdo... Mas no pior, chega a ser tão emputecedor que o Goku provavelmente se transformaria num Super Saiyajin se antes da Saga do Freeza ele tivesse dado uma parada pra jogar as missões paralelas ou até mesmo algumas da história desse jogo. Por mais triste que pareça, esse aqui ainda é o melhor Dragon Ball que foi lançado desde o primeiro Raging Blast, e isso é sinal de que a série tá realmente precisando de uma salvação o mais rápido possível.

Mas calma lá, talvez a salvação esteja mais próxima do que pensamos, porque Dragon Ball Xenoverse é na verdade o começo de uma nova sub-série de jogos baseados na obra de Toriyama devido ao final cliffhanger e os próprios desenvolvedores tendo dito. Isso significa que o potencial desse jogo pode ser completamente aproveitado e assim suas sequências virarem jogos incríveis... Claro, também existe a possibilidade de não saberem expandir isso e as sequências serem uma merda, mas vou ser um pouco otimista porque a Dimps tem experiência com Dragon Ball e já produziu jogos bons com a marca, então não é possível que eles vão foder com tudo nos próximos jogos... Se a franquia em questão aqui fosse Sonic, aí eu realmente estaria com receio.

De qualquer maneira... Se meu ponto ainda não está claro, permita-me comparar Dragon Ball Xenoverse com o primeiro Budokai Tenkaichi. Caso você não se lembre, o primeiro Tenkaichi é um jogo bem "vanilla", o gameplay lá tinha potencial, mas era estragado por personagens com movesets repetidos, missões chatas de sobreviver até o tempo da luta acabar, combate raso, Story Mode decepcionante e por aí vai... Mas era um jogo razoável que parecia mais uma beta das suas sequências que até hoje são os melhores jogos baseados em Dragon Ball. Xenoverse é um caso parecido, tem potencial, mas não foi aproveitado, e com o anúncio oficial de que vai virar uma sub-série, as chances de sair um novo jogo de Dragon Ball que seja excelente são relativamente altas olhando esse histórico... Vale lembrar também que o primeiro Budokai não era lá essas coisas e o 3 é outro ótimo jogo.

... O que você disse? Budokai 2? Desculpe, acho que não sei do que você tá falando, não existe nenhum Budokai 2 não, agora cala essa boca e vai lá jogar o 3.

Enfim... Dragon Ball Xenoverse é um jogo bom no máximo, fãs da série provavelmente vão amar isso, mas quem não tá muito por dentro dessas coisas de Dragon Ball provavelmente não vai ser convertido por esse jogo e faria bem em se aproximar dele com cautela. A única coisa que eu posso fazer é esperar que a Dimps saiba o que diabos tá fazendo e o que eu falei sobre as sequências logo ali se concretize... Se não, eu vou seriamente acreditar que Dragon Ball virou uma franquia amaldiçoada com jogos, porque não pode haver outra justificativa pra isso fora essa.

Prós:
+ Visuais bonitos apesar de meio brilhantes demais.
+ A história é melhor do que eu pensei que fosse acabar sendo.
+ Não é pro Kinect e nem é o Battle of Z.
+ Boas fundações que podem virar algo ótimo em uma sequência.
+ O hub é bem legal, normalmente Dragon Ball não faz esses direito.
+ Criação de personagens decente dessa vez.

Contras:
- As animações das cutscenes in-game são bem ruins e as vozes são mal mixadas.
- Não, sério, arrumem a IA desses aliados, sem brincadeira.
- Apesar das boas fundações, o combate ainda tem muito a melhorar.

Gráficos: 8/10
Enredo: 8/10
Gameplay: 7/10
Som: 6/10
Conteúdo extra: 9/10

Veredicto:

{ 56 comentários }

  1. O Oolong já desejou uma calcinha, então um corte de cabelo novo não parece tão ruim :p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mas aquele foi um desejo acidental pelo que eu me lembro.

      Excluir
    2. Foi um desejo desesperado pro Pilaf não pedir conquistar o mundo :v

      Excluir
  2. Também devia ter a opção de jogar a campanha normal(Sem alterações no tempo).Bem triste isso. ;(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei ok porque não era essa a proposta do jogo, mas talvez na sequência eles coloquem isso.

      Excluir
  3. Online é dahora até vc lutar com um cara muito acima do seu nível e morrer com um ataque

    ResponderExcluir
  4. Seu hater do Sonic fanboy chupa rola do Mario!!!
    Você fazia bullying com o Sonic e agora faz bullying com Dragon Ball, Dragon Ball Só tem jogos perfeitos, tipo GT Final Bout!
    Falando sério agora, eu gostei do Budokai 2.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como? O Budokai 2 é literalmente um joguinho de tabuleiro, velho.

      Excluir
    2. budokai 2 foi o primeiro Dragon Ball que eu joguei, e eu sempre gostei da ideia do tabuleiro.

      Excluir
    3. esse texto do devtam me lembrou o texto do coreano hater de brasileiro
      em tempo:
      JOGO RUIM OCORRE NADA ACONTESSE
      ESSÊNCIA

      Excluir
  5. kkkkkkkkkkk quanto ódio do gt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O GT é uma bosta em todos os sentidos.

      Excluir
    2. Eu gosto do visual do Super 17, mas até a saga dele é uma bosta também.

      Excluir
    3. Cara ,a primeira coisa que eu me lembro de dragon ball gt, é do trunks boiola, da vontade de matar quem teve essa ideia pro anime, poxa meu personagem favorito de dbz era o trunks

      Excluir
  6. Eu gostei desse jogo, foi o melhor DBZ em anos, mas concordo que tem que ser mais destrutivo e os golpes especiais podiam ter mais impacto. Meu único problema grande é isso dele ser muito dependente de grinding, eu tenho paciência e consegui evoluir minha saiyajin pra passar das missões sem problemas, mas sei que pouca gente tem.

    Agora é foda, se tiver vários personagens pra cima de mim é só eu virar Super Saiyajin e usar o Recoome Ultra Fighting Bomber, causa um dano enorme nos caras e toda vez eles ficam se juntando em cima enquanto eu carrego o ataque.

    Aliás, ri do "Dragon Boom Rise of Demigra" na enquete ali. auhauhauhuahuahu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu ataque é o Blue Hurricane, funciona que é uma maravilha nessas situações.

      Excluir
    2. Raging Blast1 > Raging Blast 2 > Xenoverse > Burst Limit > Cocô > Battle Of Z > Ultimate Tenkaichi

      Excluir
    3. Esqueceu o do Kinect que é um lixo sem qualquer tipo de qualidade redimível.

      Mas eu prefiro o Ultimate Tenkaichi ao Battle of Z, pelo menos não é tão frustrante quanto apesar de ridiculamente preguiçoso.

      Excluir
    4. Nenhum DBZ é pior que o Sagas

      Excluir
    5. O do Kinect é... Pode apostar seu cu que é.

      Excluir
    6. Faz quase 1 ano que o Kinect morreu e o Ryu ainda pega no pé dele

      Excluir
    7. O Ryu vai continuar atacando o Kinect mesmo daqui a 5 anos, escreva isso.

      Excluir
  7. O jogo ate foi bacaninha, mas ainda prefiro raging blast 2.
    Vc vai ou ptretende fazer uma review de AC rogue e Naruto shippuden ultimate ninja storm revolution?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu talvez prefira o primeiro Raging Blast, mas aquele eu também acho só bacaninha de qualquer forma.

      AC Rogue eu não cheguei a ter interesse em jogar e dos jogos do Naruto eu prefiro pegar os principais, esses como o Generations ou o Revolution parecem mais intermediários mandados lá só pra fãs terem algo pra jogar enquanto o principal não sai. Talvez eu acabe jogando se por acaso o Storm 4 não vier pro Xbox 360.

      Excluir
  8. Esse jogo tem talvez a pior tradução BR que eu já vi, sem exagero parece que pegaram as palavras lá e botaram no google tradutor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que eu joguei em inglês.

      Mas dê um exemplo aí dessa tradução.

      Excluir
    2. A ação "wave" no hub que é "acenar" foi traduzida como "onda", tem um monte de erros gramaticais também e personagens se referindo a homens como "ela" ou mulheres como "ele"

      Chega a ser engraçado.

      Excluir
    3. "Benvindo ao fim da linha"

      Excluir
    4. Sério isso do "Benvindo"?

      Essa porra não é nem Google Tradutor, é analfabetismo mesmo.

      Excluir
    5. Próximo jogo vai ser traduzido por adolescentes HUE BR do Face Book LOL.

      Excluir
  9. CARALHO FINALMENTE PASSEI DA LUTA COM O BEERUS E O WHIS

    TOMA NO CU PORRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, você passou da parte mais difícil do jogo, o resto é bem fácil em comparação, mas a última saga faz isso valer a pena.

      Excluir
  10. Eu vejo esse como um RPG e não um jogo de luta

    ResponderExcluir
  11. "Se vilões de Dragon Ball Z podem explodir galáxias inteiras com peidos cósmicos, o que diabos os impediria de viajar no tempo, né?"

    Melhor quote ever! AUHEIAUHEIAUHEIAUHEAIUE

    ResponderExcluir
  12. Você já ouviu de uma duologia meio RPG de Dragon Ball pro super nintendo?
    Se já devia jogar porque são muito bons.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já joguei esses, mas como tavam em japonês eu não entendi porra nenhuma e sempre morria.

      Excluir
    2. Bla bla bla noobs

      Excluir
    3. Eu achei uma tradução em inglês mas não lembro do site...

      Excluir
    4. Ryu, tem tradução em ingles desses jogos seu nabs da porra

      Excluir
    5. Ok, ok, eu vou procurar a tradução, não precisa me bater não.

      Excluir
    6. Esses jogos são muito bons, se você achar faz review.

      Excluir
  13. http://coolrom.com/roms/psp/p/ Pega um dos personas pra PSP já que está com o emulador ai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem mais desculpa agora!

      Excluir
    2. Você disse que só jogou o Innocent Sin!

      Excluir
    3. Eu terminei o Innocent Sin faz tempo, só que meu ritmo pra jogar JRPGs é lento por serem cansativos.

      Excluir
    4. O P3 é bem rápido se você me perguntar

      Excluir
  14. Na pontinha da cadeira esperando a review de Sonic Adventure 2 e Sonic Heroes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma coisa é certa,depois de sonic heroes,a franquia começou a ficar abaixo do mediano,ate o sonic unleashed que,querendo ou nao,ajudou com a formula das fases diurnas,vistas em sonic colors e generations

      Excluir
  15. O que me deixou realmente puto nesse game é as transformarções e a destruição do cenário porra mas que merda num precisavam fazer que nem no tenkaichi 3 de ps2 (melhor de todos ate hj na minha opinião) que vc ataca com 5 bolinha de energia e caia um prédio mas caralho nesse vc da um 100x Big Bang e a porra do prédio nem se.move e as transformações são "temporárias" isso tira muita graça pq tem que ficar todo segundo carregando ki e são apenas uma por personagem,não entendo a dificuldade de fazer um Tenkaichi 3 dnv uma remasterização e inovada em layouts e cutscenes ele me deixaria muito feliz com todas as trilhares de opção de transformação podendo subir de transformação ou voltar ao normal na hr que eu quissese,enfim tenho esperança nessa franquia.

    ResponderExcluir
  16. Nossa FINALMENTE alguém que não ta só elogiando esse jogo que nem um fan boy cego de DBZ só pq tem um modo online bom

    ResponderExcluir

- Copyright © Blog do Ryu - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -