Posts Populares:

Postado por: Ryu sexta-feira, 19 de dezembro de 2014


Lembra de quando lá pra 2008-2011 o pessoal se irritava com pessoas que ligavam pra gráficos nos jogos? Se alguém por acaso dissesse que tal jogo não tá com gráficos muito bons, sempre vinha um e falava "AIN MAS GRAFICOS N IMPORTAM O QUE IMPORTA É A DIVERSÃO" e um monte de gente concordava com ele. Então com os anos as pessoas foram repetindo isso o tempo todo até que eles viraram os novos chatos do momento enquanto o pessoal dos gráficos foi relativamente esquecido.

Eu nunca concordei com essa afirmativa de que "o que importa é a diversão", sempre achei ela extremamente idiota e quem diz isso obviamente não faz ideia do que diabos ele/a tá falando. Se você ainda fala esse tipo de bobagem e tá lendo esse texto aqui e agora... Eu quero fazer uma pergunta que eu espero que você ao menos saiba responder.

O que exatamente é "diversão"? O que torna um jogo "divertido"?

Pense, repense, responda isso mentalmente e então continue a ler o texto depois.

Ah, pra mim um jogo divertido é aquele jogo que dá pra você dar tiro nos outros. Mas praquele cara um jogo divertido é daqueles que você joga com um personagem cartunesco e sai pulando na cabeça dos outros. No entanto praquela outra pessoa ali em um jogo divertido você atira pássaros em porcos usando um estilingue com a intenção de matar todos eles. E praquele outro cara ali, um jogo divertido é aquele que você usa uma espada e sai cortando todo mundo, fazendo combos e etc. E pro outro cidadão ali jogo divertido é jogo de esportes.

Percebeu o que eu quis dizer com isso? Diversão é algo que pode ter uma caralhada de significados diferentes, porque é um conceito que varia de pessoa pra pessoa independente de qual seja o contexto no qual você o use. Por exemplo, eu mesmo acho Minecraft um saco, já tentei jogar esse jogo, fiquei entediado, não entendi o que as pessoas viam demais nele... Mas meu irmão mesmo gosta, ele diz que acha divertido sair montando coisas com blocos e tal. Eu tenho como provar que Minecraft é um jogo ruim? Não, afinal de contas ele não tem nada quebrado, você tem os blocos e as coisas lá, você bota onde você quer, eles ficam onde você colocou, tem bichos andando por aí, você pode matar eles sem nenhum grande problema técnico ou coisa do tipo.

Então o que eu vou dizer? Que Minecraft não é um jogo que não tem "diversão"? Não, que simplesmente não me atrai, mas não tem nada realmente errado com esse jogo. Assim como eu por exemplo gosto de platformers e algum outro cara pode não ver nada demais por simplesmente não gostar muito do estilo de jogo. Agora se esse maluco vier falando "AFFFFF ESSE JOGO É UMA MERDA VC SÓ CORRE E PULA NEM É DIVERTIDO", aí ele já tá falando bosta e eu vou simplesmente mostrar que ele tá falando bosta de fato com qualquer argumento aí que eu tiver, seja mostrando como as mecânicas de tal platformer realmente funcionam ou o que for.


"Mas então isso significa que todo jogo pode ser divertido e que é tudo pessoal?"

Sim e não. Mas calma aí que eu só tô começando, então continue comendo seu lanche e tomando seu suco de laranja aí enquanto lê.

De certa forma... É verdade. Literalmente tudo pode ser considerado como "divertido", independente da maneira que for. Mas isso não significa que todo jogo é automaticamente bom ou competente o suficiente pra cair nessa definição... Na verdade eu acho que isso não se aplica nem a filmes, desenhos, músicas ou o que for. Quando eu por acaso me refiro a algum jogo ou aspecto de tal aqui como "divertido", eu estou falando por mim mesmo e não afirmando que tal coisa é universalmente divertida e que qualquer pessoa que questionar está redondamente errada. Eu, pessoalmente, acho divertido explorar os mundos de JRPGs, sair voando por aí, entrando nas cidades, vasculhando os cenários e achando recompensas... Eu gosto disso. Mas eu conheço gente que não tem paciência pra isso e só segue a história principal.

O jogo te dá essas opções, você joga ele como quiser e ele só recompensa mais as pessoas que exploram, até porque é justo considerando que isso é um esforço a se fazer, ao mesmo tempo que não pune severamente quem não curtir muito exploração. É possível terminar pelo menos a história principal da maioria dos JRPGs bons sem ficar se preocupando em pegar todos os itens secretos possíveis e as melhores armas/habilidades dos personagens. Isso é game design bom, você joga o jogo como te der na telha, e privar o jogador dessa liberdade de escolha de como ele quer jogar é um dos motivos de eu dizer que Final Fantasy XIII, por exemplo, é uma grande pilha de merda.

Então tá, existem jogos que simplesmente não se trata de questão pessoal pra você dizer se são bons ou não. E é exatamente aí onde eu quero chegar: Existe uma diferença gritante entre gosto pessoal e objetividade. Falando nos extremos: Existem jogos bons e existem jogos ruins. Disso todo mundo já sabe, né? Se você jogar um jogo que tem ideias ótimas, execução boa, tudo funcionando bem e mecânicas polidas... Então ele é um jogo bom. Mas se você joga um jogo e ele é totalmente bugado, tem controles imprecisos, problemas de câmera, colisão e o caralho a quatro... Esse jogo então é ruim, é mal feito.

O que me chamou atenção pra fazer esse post foi que há um tempo atrás eu tava discutindo com um cara no Skype porque ele tava defendendo Batman: Arkham Origins e teimando que nem uma mula que "apesar das falhas o jogo é divertido" como se isso realmente fosse algum argumento... E também que há um tempo atrás um adm de uma página de Sonic do Facebook tava jogando Sonic '06 e afirmando que "as falhas do jogo não comprometem a diversão". Sabe qual é a parte engraçada dos dois casos? A discussão com os dois chegou ao ponto onde ele decidiu terminar dizendo "É a minha opinião e você não vai mudar ela".

Você faz ideia do quão hilariamente absurdo isso soa quando você para pra pensar no que acabou de falar?

"Esse jogo é quebrado, os controles são ruins, a frame rate fica caindo toda hora por qualquer coisinha, você morre ou tem que resetar por causa de bugs ou porque a câmera atrapalhou, os gráficos são mal feitos, a história não é muito boa... Mas nada disso compromete a diversão!"

É exatamente isso que você tá falando, só de uma maneira mais "formal" que faça parecer que os jogos em questão não têm tantas falhas assim. E qualquer pessoa que esteja ao menos ciente do quão ruins esses jogos são por ter jogado por si mesma provavelmente vai rir na sua cara ou então não te levar nem um pouco a sério. Sem falar que isso pode ser usado pra defender literalmente qualquer jogo ruim que você quiser escolher: Bubsy 3D, Superman 64, Dr. Jekyll & Mr. Hyde, Sonic Boom, Daikatana... Qualquer um, mesmo, você pode pegar qualquer um desses e só dizer "as falhas não comprometem a diversão".

"Ah m-mas esses jogos aí são muito ruins, aí as falhas comprometem mesmo a diversão."

E as falhas dos outros dois jogos ruins que tu curte ali não comprometem por que? Porque eles não são tão ruins quanto? Não é porque existem jogos piores que Sonic '06 ou Batman: Arkham Origins que eles deixam de ser ruins, isso é a mesma coisa que dizer que comer comida podre não é tão ruim porque a gente poderia estar comendo bosta literal ao invés disso.

Isso não significa que você não possa gostar de algum jogo ruim, mas significa que você ao menos tem que ser sensato o suficiente pra saber que é ruim e não ficar falando asneira de "diversão" na hora de tentar defender. Aliás, isso é uma coisa que sempre mexe com a minha cabeça... Qual é o problema de você dizer que gosta de um jogo ruim afinal de contas?

Eu mesmo gosto de jogos ruins ou pelo menos medianos e não vejo problema em dizer isso. Gosto de Sonic Heroes, Street Fighter: The Movie, tenho um "soft spot" por Spider-Man: Edge of Time... E provavelmente tem mais que não me vem na cabeça agora. Mas eu já afirmei em algum momento que algum desses jogos aí são bons? Não, eles são medíocres na melhor das hipóteses, Sonic Heroes por exemplo tem controles escorregadios pra caralho, problemas de câmera e bugs que acontecem sem muita justificativa como você estar escorregando numa rail, fazer o comando pro Sonic saltar pra rail do lado e aí ele simplesmente dá um pulo pro lado que vai mais longe do que a localização onde a rail tá. Sem falar do fato de que você joga as exatas mesmas fases com alterações mínimas quatro vezes pra poder conseguir a Last Story.

Sabendo dessas falhas... Eu deixo de gostar desse jogo? Não, essas falhas não atrapalham a mim com muita frequência... Mas aí, de novo, eu tô falando por mim mesmo. Eu conheço outras pessoas que simplesmente não gostam desse jogo justamente por causa dessas falhas que atrapalham elas muito mais do que acontece comigo, seja por eu ter me acostumado ou o que for. O que eu faço? Elas estão erradas e eu vou sair falando "HURRRR DIVERSÃO" pra elas? Não, eu sei que esse jogo tem essas falhas, falhas essas que não deviam nem estar no jogo pra início de conversa, afinal de contas elas são falhas, o próprio nome diz: Falha, uma imperfeição, um erro que os desenvolvedores não tinham intenção de cometer.

Então sim, eles não estão errados em não gostar de Sonic Heroes por causa dessas falhas. O máximo que eu posso dizer é que quando você se acostuma com os controles ruins e tal, o jogo fica melhor, mas ninguém tem essa obrigação. Se por acaso eu fosse defender Sonic Heroes citando os pontos positivos do jogo, você nunca me veria falando de "diversão" em momento algum porque isso não é, nunca foi e nunca será um argumento aceitável. Eu gosto de Sonic Heroes porque, apesar das falhas técnicas que realmente machucam o jogo, ele tem vários bons conceitos e ideias, a ideia de jogar com os três personagens em equipe lá é boa, o level design dele é consideravelmente aberto, o jogo é muito bonito, a trilha sonora é boa, etc.

Mas ainda assim não digo que esse é um jogo bom, porque os pontos positivos não são o suficiente porque as falhas são graves. Não adianta um jogo ter fundações e ideias ótimas se ele falha na execução delas, o resultado disso é um jogo no máximo mediano que ou alguém pode acabar gostando porque se tá disposto a se acostumar com as falhas ou então essa pessoa pode simplesmente detestar por causa dessas mesmas falhas. Se é "divertido" ou não varia de pessoa pra pessoa, eu acho divertido por esses motivos válidos, mas o fulano ali não acha por esses outros motivos também perfeitamente válidos. Mas objetivamente falando... Sonic Heroes não é um jogo bom, eu queria que fosse, mas não é, eu não vou recomendar ele pra qualquer um que eu vir por aí.

Isso porque Sonic Heroes é um jogo ainda mediano, mas que tal pegarmos um jogo como Sonic '06 que faz praticamente tudo da maneira mais porca possível? Você tem vários personagens pra jogar, mas nenhum deles tem gameplay realmente funcional, você tem hubs gigantes pra explorar sem nada pra realmente explorar e ainda por cima é fácil ficar perdido porque não tem nada memorável e todos os lugares são iguais uns aos outros, você tem algumas fases com level design bom... Porém o jogo é lotado de bugs que te fazem morrer sem você nem ao menos parar pra procurá-los, eles simplesmente acontecem. Eu poderia continuar e dizer que a história é uma bosta mal escrita, que os gráficos são cheios de serrilhados, personagens mal animados, texturas fracas na cidade.. E mais um monte de coisa.

Esse é o tipo de jogo que se mantém consistentemente ruim do começo ao fim, não tem polimento, não faz nada do que se propõe a fazer de maneira minimamente aceitável e os poucos momentos empolgantes nas fases não chegam nem perto de ser o suficiente pra compensar o que ele faz de errado. Isso não tem nada a ver com "diversão", uma pessoa pode se divertir com Sonic '06 rindo desses bugs, mas isso é o tipo de diversão que ocorre por todos os motivos errados. Então... O que você vai dizer? Que o fato de que o jogo consegue ser um lixo em praticamente todos os aspectos possíveis não compromete a "diversão"? Se por acaso você não se incomodou muito com as falhas... Parabéns, você é algum tipo de masoquista, mas isso é só você, o jogo não é muito menos mal feito só porque você por algum motivo gostou.

Seja homem pelo menos uma vez na vida e diga "Eu gosto desse jogo, mas ele é uma bosta e eu não recomendo que alguém realmente compre isso a menos que tenha padrões muito baixos e esteja ciente de que é um jogo ruim". Não é difícil, ninguém vai te bater por isso e você não vai parecer um retardado aí falando "hruhruhrurhurhuh n compromete diverção deem uma chance XD" pra depois alguém de fato dar uma chance ao jogo seguindo seu conselho e não gostar.


Então fica a pergunta: O que torna um jogo objetivamente bom, ótimo, incrível ou o que for? Gráficos? Gameplay? Atmosfera? Trilha sonora? Inovações? Ideias únicas? Enredo?

A resposta pra isso é simples, curta e grossa: Tudo.

Todos esses aspectos são importantes de uma maneira ou de outra. Claro que uns têm mais importância do que outros, afinal de contas é mais fácil perdoar, por exemplo, um jogo com gráficos ruins e gameplay bom do que um jogo com gráficos lindos e gameplay horrível. E de fato, nem todo jogo bom acerta em todos esses aspectos, existem vários jogos por aí com gameplay bem feito, mas com gráficos ruins ou músicas não muito memoráveis ou talvez uma história ruim... Ou então esse jogo é bom o suficiente na maioria desses aspectos, mas não é realmente único e existem vários outros que fazem o mesmo melhor. Isso ainda o torna um bom jogo, mas talvez não muito memorável, aquele tipo de jogo que você vai gostar enquanto joga, mas possivelmente vai esquecer que existe uns meses depois de terminar.

No entanto, é sempre notado por qualquer reviewer quando um jogo peca em qualquer tipo de aspecto, independente de qual seja. Se um jogo é bom, mas tem gráficos feios/datados ou peca em qualquer outro aspecto, isso vai acabar contando como ponto negativo de qualquer forma. Os jogos com as melhores avaliações tanto com a crítica quanto o público são aqueles que acertam em todos esses aspectos, que acabam sendo não só jogos muito bem feitos como também jogos únicos, marcantes, com sua própria identidade e seu próprio estilo que dificilmente algum outro vai conseguir copiar com perfeição.

Evidente que nem todo jogo é ou vai ser assim e se eu elevar meus padrões dessa maneira pra qualquer jogo novo que eu for pegar esperando ser a próxima grande reinvenção do seu próprio gênero de jogo ou até da indústria no geral, eu vou ficar decepcionado com a maioria deles. Mas isso não me impede de gostar dos jogos bons que não sejam exatamente os melhores de qualquer maneira, eu posso pegar eles pra jogar depois quando estiver com humor e não teria nenhum problema, afinal de contas esses são jogos bons, não "perfeitos", mas bons. É muito mais fácil você rejogar um desses do que rejogar um jogo como Sonic '06 que só de terminar pela primeira vez já é uma luta agonizante.

Ter padrões ou exigências com seus jogos não é uma coisa ruim, muito pelo contrário, só mostra que você não tá disposto a engolir qualquer bosta que mandarem só pra não ser "hater". As pessoas costumam dizer que eu sou chato, que é difícil algum jogo me agradar e tal... Mas francamente, eu não me vejo dessa maneira. Pra me agradar é só o jogo simplesmente ser bem feito e ter algo que me mantenha interessado nele, talvez eu até goste mais do que eu deveria se essa tal coisa que me manter interessado se manter consistentemente boa do começo ao fim do jogo.

Não gostar de jogos ruins não te torna chato e nem ter uma ou duas opiniões diferentes da maioria aí também, afinal de contas o mundo inteiro ama The Last of Us incondicionalmente e eu só o acho um jogo bom, nada mais. Consigo entender por que alguém amaria tanto assim esse jogo, mas eu só... Gostei, foi bom enquanto durou, porém não é um jogo que eu rejogaria toda hora o tempo todo porque eu não senti como se ele fosse exatamente único apesar de ser um jogo realmente bom.

Encerrando esse texto... Eu só quero que você pense direito no que você fala e aprenda a diferenciar gosto pessoal de objetividade. E isso não é uma exigência pra você ser "imparcial" porque eu já disse antes que review ou crítica "imparcial" não existe, vai ter sim a opinião da pessoa que tá fazendo tal review/crítica no meio nem que seja ao menos um pouco. Mas se você for criticar ou defender um jogo, faça pelos motivos certos e não seja um imbecil que nem eu mesmo era nos primeiros anos desse blog aqui.

Agora se você ainda acha que "diversão" e afins são argumentos válidos pra alguma coisa... Então cai fora daqui. Porque eu não quero você lendo meu blog, mesmo se você for alguém que vem acompanhando há um bom tempo, você não é o tipo de "público" que eu procuro com isso.

{ 33 comentários }

  1. Perfeito

    Vou mostrar essa matéria pra umas certas pessoas aqui

    ResponderExcluir
  2. Que bosta hein, nunca achei que existiria nego demente ao ponto de defender Sonic 2006, pelo amor.
    Sonic Heroes é outro cu, mas pelo menos não é injogável e nojento que nem o 2006.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eh, eu gosto do Heroes, mas de qualquer maneira eu entendo por que alguém não gostaria. Disse aí no texto que o Heroes tem várias ideias e conceitos bons que poderiam ser reaproveitados com melhor polimento em algum jogo futuro do Sonic aí que poderia ser algum tipo de sucessor espiritual.

      Já Sonic '06... Pra cara boa ideia tem umas dez retardadas.

      Excluir
    2. Eu não conheço essas ideias boas do 2006, os Adventures já fazem tudo o que ele tenta fazer é melhor, até as ambientações das fases ele copia do SA1.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. O povinho da diversão são os ateus fanáticos dos games. :p

    ResponderExcluir
  4. jogo é feito pra divertir, né?

    então pronto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas mesmo assim,Diversão não pode ser considerado um ponto positivo,pois se o jogo é todo fudido em TODOS os sentidos,Alguém em algum lugar nesse mundo vai se divertir nesse mundo.
      Quando gráficos são bonitos,isso é fato,Gráficos Ruins também é um fato,não tem como opinar um gráfico certo?
      No caso da diversão,eu mesmo sei que Sonic Colours é muito bem feito,mas eu não me divirto nada com aquilo e acho uma bosta.
      A Diversão é algo que cada um vê se é ou não divertido,outros pontos como Gráfico,Gameplay,Enredo Etc,Não.Não tem como opinar aquilo.

      Excluir
    2. Não perca seu tempo david, só um conselho

      Excluir
  5. Tenho o mesmo sentimento que você tem com Sonic Heroes por MK Armageddon.

    Eu sei q esse jogo é uma merda, ele é todo desequilibrado, o konquest é repetitivo e tals, mas tem taaaaaannnntos personagens... ehuaheuahueh

    ResponderExcluir
  6. Eu AMO Sonic 2006 e Sonic Unleashed.

    Me julguem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perto do '06 o Unleashed é um GOTY.

      Excluir
    2. Sonic Unleashed é um jogo bom, até acho ele melhor do que o Colors.

      Excluir
    3. Porra Shiondohko,achava que eu tava sozinho nesse mundo....Eu também acho isso cara.

      Excluir
    4. Não acho Sonic Colors essa Coca Cola toda que dizem, tem partes 2D demais e nem sempre ele é um jogo rápido que nem eu esperava que um Sonic fosse, mas ele continua sendo mais decente que esses Sonics 3D lixosos como o Heroes, Shadow, 2006, etc. Meu Sonic 3D favorito ainda continua sendo o Adventure 1 independente de tudo.

      Excluir
    5. O pior é que essas partes em 2D são um lixo:tediosas e repetitivas.
      E a Gameplay do 3D é uma merda na moral.
      Sendo que os Wisps são chatos pra caralho,eu acho esse Sonic um dos piores.

      Excluir
  7. Eu realmente não consigo gostar de nenhum jogo ruim, mesmo que tenha conceitos bons, é. No geral, concordo com a ideia do texto. Recomendar jogos só se eles agradarem a um consenso geral e forem bem programados. Não curti a atitude do cara de falar que embora as falhas o Sonic 2006 é divertido. Ainda mais por causa da subjetividade que é algo divertido.

    ResponderExcluir
  8. Você me fez lembrar da maldita Rail Canyon, metade do meu ódio pelo Heroes é por causa dela. Como eu morri nesse fase por causa dos rails bugados!

    ResponderExcluir
  9. Ótimo texto, ultimamente eu estava pensando bastante nesse conceito de "diversão" nos jogos e lendo esse texto você abriu um pouco mais minha mente pra esse assunto. Eu mesmo gosto de Sonic Adventure mas nunca recomendaria esse jogo pra qualquer um pq sei que é um jogo com muitas falhas e bugs que comprometem bastante o gameplay. Enfim, essa foi a primeira vez que li um texto seu e concordei com quase tudo dito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha intenção era justamente fazer as pessoas pensarem nisso, porque o que tem de nego falando "O que importa é diversão" e gente concordando não é brincadeira. Sei que esse argumento idiota vai sempre ser proferido por alguém, mas qualquer pessoa que puder mudar isso por minha causa já é algo.

      Excluir
    2. Bem... você considera o argumento idiota, e acaba sendo idiota por se posicionar assim.

      Quando eu - e todos os 'gamers' que conheço - dizem "o que importa é diversão", nos referimos à EXPERIÊNCIA com o jogo. Você diz que gente que usa esse argumento é idiota pois é usado para defender jogos com falhas e etc. como se isso fosse errado. Mas e como fica Fallout 3 ou a série Elders Scrolls? São jogos cheio de bugs - alguns muito chatos - e ambas séries ganham prêmios a cada novo lançamento. Os gráficos de Fallout 3 estão longe de serem excelentes. A história tem furos, a física é precária, o personagem não anda - patina.... e mesmo assim, o jogo é divertido pra caralho.

      Voltando ao "o que importa é diversão"... E não é? Eu não jogo nenhum Call of Duty ou BF. São tecnicamente bem feitos. O que respondo quando me perguntam..." É um jogo tecnicamente bem feito, mas não me agrada. Não me divirto jogando". O que você fala e exemplifica são casos extremos, onde alguém usa o argumento da diversão para defender jogo X. E isso você não deixa claro. Ataca todo mundo que usa o argumento como se fosse farinha do mesmo saco - o que soa ofensivo e injusto.

      Quando digo "o que importa é diversão", é geralmente para pessoas que atacam os jogos sem sequer terem experimentados - usualmente os 'graphic whore', 'hardcores' e anti-Nintendo's. É chato ver seu jogo favorito (Zelda) sendo criticado só porque é colorido demais ou porque tem gráficos 'infantis'. É para gente assim que uso esse argumento...e não me considero um idiota por usá-lo. Considero idiota alguém julgar um jogo sem experimentá-lo.

      Sem mais, passar bem. E parabéns pelas ótimas matérias. Essa foi a primeira que me deixou relativamente chateado.

      Excluir
    3. Na verdade, o que eu me refiro como "idiota" é usar esse argumento como se realmente existisse algum jogo universalmente divertido, como se diversão fosse alguma coisa objetiva e não apenas a experiência pessoal de cada um. E existe diferença entre um jogo ter suas falhas e um jogo ser totalmente quebrado, o que eu criticava em maior parte era quem defendia jogos quebrados afirmando que eles são divertidos sendo que, novamente, é divertido só pra pessoa que tá falando e apenas ela, o que é objetivo aqui é que essas falhas são frequentes e atrapalham no progresso do jogo, portanto, tal jogo é ruim/mal feito/etc. Nunca joguei Fallout e o único Elder Scrolls que eu cheguei a jogar foi Skyrim, o segundo mencionado tinha uns bugs irritantes que de fato diminuíram a nota dele no meu conceito, mas eu não digo que é um jogo ruim porque existem coisas lá que realmente compensam esses bugs, e ao menos comigo eles não foram tão frequentes assim.

      Agora pega um jogo tipo Sonic '06 onde a frame rate é totalmente instável, os controles são imprecisos e não respondem direito, tem um monte de telas de loadings longas e desnecessárias, você morre por causa de bugs ou falhas de câmera com uma frequência bem alta, a colisão dos ataques dos personagens é inconsistente, a história não faz o menor sentido... O que tem de positivo pra falar desse jogo fora que ele tem uma trilha sonora fantástica? Bem... Tem gente que fala que é divertido, e talvez a pessoa tenha se divertido mesmo por algum motivo, mas não deixa de ser um jogo horrível. Tudo isso que eu mencionei não deixa de existir só porque tem um ou outro que consegue gostar desse jogo, e ele não tem nada que realmente compense as falhas, diferente de Skyrim.

      Mas se eu passei a impressão de que ataquei todo mundo que usa esse termo, eu peço desculpas porque não foi minha intenção. O que você disse aí sobre Call of Duty ou Battlefield serem jogos competentes, mas não te divertirem é justamente o que eu falei ali no texto sobre Minecraft, eu mesmo não consigo me divertir com esse jogo e toda vez que eu tento jogar, eu acabo morrendo de tédio, mas não tem nada mal programado ou mal projetado sobre Minecraft, só não é um jogo pra mim. Esse modo de usar o termo "diversão" é diferente do que eu ataco no texto, porque aí você fala como se fosse algo pessoal seu, mas agora se eu falasse "Minecraft é uma merda porque não é divertido", a história ia ser outra.

      Graphic whores são outros quinhentos, o fato de eles julgarem um jogo só com base em gráficos, ignorando qualquer outra coisa que tal jogo faz mesmo que ele talvez até tenha gráficos ruins mesmo (o que não é o caso de Zelda) dificulta que eu ao menos consiga levar o que eles dizem a sério. Tanto é que eles estão na minha lista dos 10 piores jogadores, porque são chatos mesmo e geralmente eles não têm nenhuma base pro que dizem, então eu prefiro só ignorar.

      No mais, eu realmente não tinha a intenção de te chatear, agradeço pela crítica e espero ter esclarecido algo que talvez eu não expressei tão bem assim no próprio texto.

      Excluir
  10. Ryu tesudo, tem ótimo gosto pra tudo <3

    MENOS pra filme do Homem-Aranha. Espetacular Homem-Aranha 2 foi uma bosta (Tanto que já tão querendo Rebootar ou devolver pra Marvel)

    ResponderExcluir
  11. Como que funciona essa coisa de diversão? Eu achava que um jogo tinha que ser bom pra poder ser divertido...

    ResponderExcluir
  12. Ah, eu achei que as diferenças de fases do Team Sonic pro Team Dark foram realmente notáveis. Porém, a Team Rose e Team Chaotix estragaram tudo com uma versão beta de cada fase dos dois aí em cima. Mas, é verdade, penso exatamente igual a você Ryu, também gosto muito de SH, porém, reconheço que é um jogo fraco e mediano.

    ResponderExcluir
  13. Cara, pode me odiar por isso, mas o quesito DIVERSÃO deve sim ser considerado, aliás é o quesito MAIS IMPORTANTE DE TODOS na hora de comprar um jogo ! LULZ.

    Cara, uma pergunta: PRA QUE VOCÊ JOGA VIDEO-GAME? A minha resposta é: para me DIVERTIR. Na morals? Eu to pouco me lixando para gráficos, bugs, etc.. Se o jogo consegue me divertir ele ja está cumprindo seu papel. Eu evito me prender a hypes por conta disso. A nota do jogo pode ser 11/10, mas se ele não me divertir, tanto faz essa nota. Eu por exemplo não me divirto com GTA V e me arrependo amargamente de ter seguido o hype de todos para comprar esse jogo.

    Cara. DIVERSÃO > All, QQ is free

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas como eu disse, diversão é uma coisa relativa, o que te divertiu pode não me divertir assim como pode não divertir outra pessoa. Se você quer realmente analisar jogos direito, "diversão" é uma coisa que você tem que descartar porque é completamente pessoal, um jogo mal feito não deixa de ser mal feito só porque "divertiu" algum maluco aí.

      Não vejo nada de errado em alguém jogar só pra se divertir e pronto, o problema é quando a pessoa em questão quer usar isso de diversão como argumento pra afirmar que tal jogo é bom ou até mesmo ruim porque tem aqueles que dizem aí que tal jogo é ruim porque "não diverte".

      Excluir
  14. ate no quesito "diversão" sonic boom consegue falhar pois mesmo a versão "desbugada" dele é extremamente tediosa e chata nem nessa defesa estupida ele entra hahahaha

    ResponderExcluir
  15. O problema é que até nessa questão é relativa. Vale lembrar que tudo é uma concepção humana, nada é realmente absoluto. Até conceitos técnicos caem nisso quando se trata de "entretenimento".

    A menos que estejamos lidando com exatas ou algumas áreas de humanas como medicina, nenhum conceito técnico é absoluto também. É apenas algum cara ou uma série de pessoas (Obviamente especializadas) que definiram uma média da performance desse produto para ele ser considerado "bom".

    Mas como o Ser Humano é cheio de falhas e contradições, isso claramente se contradiz com o mercado de entretenimento. Para que serve um produto de entretenimento? Para que serve um filme? Para que serve uma música? E o mais importante para que SERVE um jogo? Porque o jogo é FEITO? Com qual OBJETIVO?

    Resposta: Para te entreter. O que leva, claro, a diversão.

    Mas então... Pera lá. Se o objetivo central da existência daquele produto é ser divertido, então... Se ele te diverte, ele não CUMPRIU seu objetivo?

    Até mesmo no ponto de vista da empresa, o objetivo do produto é VENDER. Se ele VENDEU.... Ele não cumpriu o objetivo?

    Se ele cumpriu o objetivo dele ter sido criado........... Como ele pode ser ruim?

    Uma comida ruim vai te fazer cuspir ou até te fazer parar no hospital. Mas um jogo, que alguns possam apontar como "ruim". Se uma pessoa se forçar a jogar e não ver qualquer coisa ruim nele... Ele vai parar no hospital? Não... Porque no entretenimento tudo é muito mais relativo. Não existe qualquer consequência fixa, não há um "fato".

    Não estou dizendo que você esteja inteiramente errado, na verdade parte do que você diz eu concordo. Na verdade eu nem estou exatamente discordando do seu ponto mas sim em como ele foi expressado.

    Jogo BOM ou jogo RUIM... É relativo. É entretenimento, falar que joga de jogo ruim pra mim é uma contradição nível paradoxo. Não tem como você obrigar uma pessoa a ver algo que ela gosta como "ruim", isso vai contra todo o senso de experiência que ela teve com aquilo.

    Me falam que em Kingdom Hearts 2 tem um problema no design dos combos onde as luzes no meio dos ataques "atrapalham" ver o que está acontecendo. Já me apontaram isso inúmeras vezes e cara... Eu NÃO consigo ver esse defeito. Eu juro, eu rejogo, eu presto a atenção. Eu NÃO consigo enxergar a porra desse defeito. Não é por falta de vontade ou fanboysmo, é simplesmente algo que minha cabeça não "enxerga" como problema. E isso é um fato muito recorrente em entretenimento.

    Não tem como você chegar pra uma pessoa e falar pra ela que aquele jogo, que ela jogou a vida toda, sempre achou bom, começar a enxergar como um jogo ruim por A + B. Não tem como! Ela não vai enxergar porque aquilo de alguma forma não a atrapalha como pode te atrapalhar. Infelizmente a gente é assim, a cabeça do Ser humano é assim, a cabeça de todos nós é diferente e enxerga as coisas de forma diferente. O que existe é um "consentimento" entre a maioria. Os pensamentos mais "comuns" do publico estabelecem o padrão se o produto é bom ou ruim.

    Mas levando tudo isso em conta... Não, não existe jogo ruim. Não existe filme ruim. Não existe musica ruim. Ou melhor, não existe... ATÉ onde eu saiba. Porque para algo de fato ser ruim, ele teria que ser odiado por todas as pessoas de forma unânime, e isso é meio que impossível...

    Agora... CALMA... Não existir produto de entretenimento ruim =/= Não existir produto DEFEITUOSO.

    Continua... (Limite de Caracteres Sux)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a mecânica não ta funcionando como deveria, se coisas no cenário não estão funcionando como deveria, se a física do jogo não está funcionando como deveria... Quer dizer que o jogo tem DEFEITOS. O que não necessariamente o torna "ruim".

      Se você quer convencer o cara que o jogo que ele gosta tem defeito A, B ou C... Blz, concordo plenamente com você em destacar tais pontos. Mas mesmo com o defeito A, B ou C... Ele ainda pode achar o jogo bom, pois aquilo o diverte e não o atrapalha (Ou não o atrapalha a nível de destruir sua experiência com aquele produto), não há nada que se possa fazer.

      Se você quer convencer o cara que o jogo que ele gosta é RUIM. Ai eu já acho que você está sendo egoísta em querer impor isso.

      Antes de continuar, só pra deixar claro. Óbvio que em uma conversa do dia a dia a gente não vai ficar filtrando entre ruim e defeituoso. Mas numa situação mais série e formal, só quero deixar tudo isso claro.

      Bom, voltando...

      Mas até mesmo nisso as coisas não são tão "simples" assim. Para um defeito afetar a experiência da pessoa com o produto, não basta somente isso cair na questão da "percepção", mas também tem a questão de "frequência", o "nível" como esses defeitos ocorrem e vários outros fatores que podem tornar a nossa experiência com um mesmo jogo... diferentes.

      Vamos pegar por exemplo... Sonic Heroes. Que você chamou de jogo ruim mas eu considero um jogo muito bom. Já vi listas, BEM extensas dos Glitchs dele. E......... Nenhum deles aconteceu comigo. Zerei quanto? Umas... 7 vezes? Ainda to esperando os Glitchs aparecerem. E mesmo que um dia aconteça uma vez, não vai mudar que demorou um bocado pra acontecer e provavelmente nem vá rolar de novo, ou ocorra depois de MUITA jogatina. Eles não aconteceram, portanto, não atrapalhou minha experiência com o jogo. O que MUITO dificilmente vai acontecer com um Sonic 06 onde isso é mais "frequente".

      Você acha Sonic Heroes ruim, eu acho bom. Ele é livre de defeitos? De maneira alguma! Mas nenhum desses defeitos ocorreram comigo em alguma frequência para eu começar a considera-lo um jogo ruim. Foi a minha experiência, não há nada que você possa fazer, mesmo que fizesse um Walltext de 100 linhas apontando cada defeito... Se não foi o que eu enxerguei, se não foi o que eu presenciei, se não foi o que eu experenciei... Não tem como eu concordar com você, não acha? Não nego nenhum dos defeitos, eles existem. Apenas não me prejudicaram. Então pra mim é um jogo bom.

      Os defeitos são um fato, ele ser bom ou ruim não.

      Vale lembrar que nenhum jogo é livre de defeitos. Em outras palavras, assim como pessoas, nenhum jogo é perfeito. O único jeito de existir um jogo perfeito é se ele conseguir o incrível feito de agradar absolutamente todas as pessoas, até a sua avó que não sabe o que é um Video Game.

      Mas é, não existe jogo perfeito, absolutamente bom ou absolutamente ruim devido as variações dos nossos pontos de vista (To até parecendo um relativista falando isso, embora eu seja na verdade Maniqueísta).

      Nem mesmo Sonic 3 & Knuckles é "perfeito", sites como Power Sonic escrevem coisas como "Prós: Melhor jogo do Sonic./Contra: Nenhum". Sendo que Hyper Sonic é capaz de bugar legal aquele jogo, as vezes em níveis astronômicos que te obriga a morrer para o jogo voltar ao normal (Ou até reiniciar o console). Isso é um defeito e muitas pessoas nem sequer levam ele em conta, pois as vezes nenhum deles presenciou isso e portanto nunca os atrapalhou pra inicio de conversa.

      Enfim... Acho que já falei demais. Apenas considero isso de Jogo Bom, Jogo Ruim. Admitir que gosta de jogo Ruim, algo tremendamente errado. São conceitos que devem ser revistos na minha opinião. É um mercado de entretenimento, não de medicina, vamos lembrar disso... A qualidade das coisas aqui são muito mais estabelecidas pelo publico do que por um "fato".

      Excluir
    2. Eu entendo o que você quer dizer, mas acho que relativizar qualquer coisa existente não é muito certo também. Sim, mesmo a ideia de um jogo bom e um jogo ruim é uma concepção humana, no entanto eu defendo que é uma concepção necessária pra que as coisas funcionem direito e cheguem a algum lugar. Sem uma regra pra estabelecer o que é certo ou errado, independente de ser uma concepção humana, vai tudo virar uma bagunça porque qualquer um vai achar que pode fazer qualquer coisa de qualquer jeito. Isso não se aplica só a jogos: Imagina se um assaltante de banco não fosse considerado um criminoso, afinal o que ele fez ser errado é só uma questão de opinião e não algo que seja realmente errado porque do ponto de vista dele é certo. Ou uma pessoa que vai até uma apresentação de música e toca um instrumento totalmente desafinado e fora de sincronia com qualquer ritmo, mas aí não quer dizer que ela tocou mal porque isso é relativo.

      Aí vem aquela questão do objetivo de um jogo ser entreter/divertir pessoas... Sim, o objetivo mais óbvio de qualquer jogo é esse, mas como eu disse no texto mesmo... Qualquer coisa pode ser divertida pra qualquer pessoa por qualquer motivo. Uma pessoa pode jogar um jogo todo bugado e achar divertido porque ri dos bugs e do quanto o jogo é mal feito, e isso é bom pra ela, mas não quer dizer que o jogo não seja mal feito ou que seja algo universalmente "divertido" como as pessoas adoram falar. O jogo cumpriu seu objetivo de entreter fulano? Sim, mas se esse objetivo foi cumprido por falhas técnicas, coisas que os desenvolvedores nem tinham intenção que acontecessem no jogo, então eu não acho que esse jogo mereça algum crédito por isso. É um jogo ruim que "diverte" por motivos errados, que nem uma apresentação musical desafinada pode "divertir" por soar engraçada ou algo assim, continua sendo uma apresentação ruim independente do quanto você riu assistindo ela.

      Excluir
    3. Claro, nem todo jogo ruim vai ser divertido pra alguém por motivos errados. Usando Sonic Heroes de exemplo, eu gosto de jogar a campanha do Team Sonic, acho o level design bem criativo, a mecânica de alternar entre três personagens uma ideia interessante e bem executada, a arte do jogo é muito bonita e as músicas são boas. Os controles escorregadios? São um problema sim, mas na minha experiência pessoal eles não foram mais um problema tão grande depois que me acostumei, mas continua sendo algo que não deveria ser dessa maneira e pode muito bem frustrar outra pessoa que não consiga se acostumar. Além desse tem Special Stages que são quebrados, um bug que acontece frequentemente quando você tenta pular de uma rail pra outra pro lado e sempre te joga pra longe da rail onde você devia parar, lembrando que esse jogo tem fases inteiras que são rails por cima de abismos. Tem também o fato de que você joga as exatas mesmas fases nas exatas mesmas ordens quatro vezes porque muda pouca coisa em cada campanha, as missões dos Chaotix que são só padding pro jogo ficar mais longo, e pra abrir a Last Story você ainda é obrigado a jogar os Special Stages pra pegar as esmeraldas.

      Essas coisas me impedem de gostar do jogo? Não, mas eu acho que seria igualmente egoísta da minha parte se eu fingisse que esses defeitos não existem e falasse que Sonic Heroes é um ótimo jogo que eu recomendo pra qualquer um. Eu não consigo ver ele dessa forma, por mais que eu goste ainda é um jogo cheio de problemas e tem muita coisa com que você precisa simplesmente pegar costume, que em maioria não me atrapalham, mas eu não sou todo mundo. Se não atrapalharem outra pessoa também, então ótimo, mais uma pessoa que também gosta desse jogo, mas as opiniões extremamente divididas sobre esse jogo que você vê por aí na internet são uma prova curta e grossa de que nem todos vão ter a minha experiência, ou a experiência do outro cara que gostou.

      Então eu digo isso: Sonic Heroes não é um jogo muito bom, mas eu gosto mesmo assim. Tenho meus motivos pra gostar, apesar do jogo ter todas as falhas que ele tem... Não consigo ver nada problemático ou paradoxal com isso, sério mesmo. É "impossível" um jogo ser ruim porque sempre vai ter pelo menos uma pessoa que goste? Seguindo essa lógica, sim. Por isso mesmo que eu digo que esses padrões de jogo bom e ruim que foram estabelecidos são necessários, são eles que motivam as empresas a desenvolverem jogos com qualidade e colocando esforço no que fazem. Não faria sentido um chefe de uma desenvolvedora chegar lá e dizer "Façam qualquer coisa aí porque bom e ruim é relativo, logo alguém vai gostar do nosso jogo" pra equipe dele.

      Excluir

- Copyright © Blog do Ryu - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -