Posts Populares:

Postado por: Ryu sábado, 31 de maio de 2014


Assim como o primeiro filme do reboot do Espetacular Homem-Aranha ganhou seu próprio jogo pela Beenox, é bem óbvio que aconteceria a mesma coisa com o segundo... Que aliás, é uma delícia de filme, vi essa porra há uns dias atrás e recomendo! Se você não viu ainda, vá no cinema logo ou faça como eu e procure pra baixar na internet com uma qualidade horrível por preguiça de ir ao cinema.

Eu sempre defendi esse reboot porque... Convenhamos, dos filmes do Homem-Aranha do Sam Raimi o único realmente memorável é o 2 porque era engraçado e as cenas de ação são muito boas. Mas até ele tem um monte de problemas, reciclagem do conceito de vilão sendo controlado por um alter-ego maligno, as cenas "românticas" do Peter Parker com a Mary Jane que são horríveis ao ponto de me fazer sentir desconforto, aquela história do Peter perder os poderes que pareceu ter sido jogada lá sem explicação pra aumentar o tempo do filme... Mas ainda assim eu o acho um bom filme.

Não posso dizer o mesmo dos outros dois... Talvez do primeiro Homem-Aranha eu ainda goste por nostalgia apesar dos personagens desinteressantes, mas o 3 é um lixo descomunal! Até hoje me arrependo de ter visto essa merda no cinema.

Só que... Bem... O primeiro filme do reboot teve um jogo que foi bem mediano, pra não dizer que foi monótono. Eu terminei The Amazing Spider-Man uma vez e nunca mais havia tocado nesse jogo de novo enquanto Shattered Dimensions aqui tem mais de 50 horas registradas no tempo de jogo... Sério, até hoje eu pego ele pra jogar de vez em quando pra destravar tudo ou rejogar as fases com dificuldades maiores, esse jogo é divertido pra diabo.

Mas sobre The Amazing Spider-Man... É, o jogo foi bem menos empolgante do que eu pensava, porém ele mostrou um certo potencial com as mecânicas que ele trouxe, em especial a Web Rush, e o combate baseado nos jogos do Batman poderia ser refinado e ganhar uma identidade própria em alguma sequência... E agora temos aqui The Amazing Spider-Man 2, a sequência que poderia transformar o material morno que o primeiro apresentou em algo ou deixar tudo pior ainda.

... Adivinhem qual acabou sendo o resultado disso.

Ehh...


Assim como o seu antecessor, The Amazing Spider-Man 2 tem uma história própria ao invés de seguir a do filme, se passando... Depois da história do primeiro jogo que por sua vez era depois do primeiro filme, eu acho. Pra falar a verdade eu tô totalmente confuso sobre onde porras essa história se encaixa porque ela é uma puta bagunça dos diabos. Mas eu vou elaborar isso aos poucos, então vamos dar uma olhada na história pelo que ela é no momento.

Começamos aqui com um flashback da cena da morte do Tio Ben do primeiro filme onde aquele ladrão assalta a loja, o Peter não quis pegar pra ser cuzão com o dono da loja já que o cara foi cuzão com ele... Só que aí acabou que o Tio Ben tava caminhando lá procurando o Peter, tentou parar o ladrão e levou um tiro, o que resultou na morte dele e tal. Quem assistiu o filme já sabe como isso foi, e quem não assistiu... Porra, toma vergonha nessa sua cara!

Então, acabou que o Peter ainda quer achar o assassino do Tio Ben porque de repente ele voltou a se sentir mal pela morte dele mesmo tendo passado o jogo anterior inteiro sem nem mencionar o velho, o que indica que ele superou isso... Mas pelo visto não, o Aranha só tava guardando essa sede de vingança pra virar um assunto do próximo jogo. Pra ser honesto, eu já achava estranho que lá no primeiro filme ele tava indo seco atrás de qualquer bandido que se pareça com o assassino do Tio Ben e depois acabou largando de mão, mas agora também é meio tarde pra voltar nisso... Não?

Mas ok, apesar do timing horrível, o Homem-Aranha decide ir atrás do meliante e começa a investigar bandidos de rua pra ter indicações de onde achá-lo. Eventualmente, a investigação do nosso herói é interrompida por ninguém menos do que a Felicia, que escapou lá do hospital de Beloit de alguma forma... Isso leva ele a ser descoberto pelos bandidos, mas de qualquer jeito ele enche todo mundo de porrada e aí os interroga pra saber onde diabos se encontra o assassino do Tio Ben. Então é revelado que ele trabalha pra um contrabandista de armas chamado Herman Schultz, que depois vai se transformar no Shocker porque todo mundo já sabe disso.

Bem, resumidamente... O Homem-Aranha acaba com uma guerra de gangues entre Herman e uns gangsters russos, derrota Herman que revela que o nome do assassino é Dennis Carradine e que ele consegue armas pros clientes. Então no processo o nosso herói arrebenta mais bandidos, salva o Stan Lee de um prédio em chamas, encontra o Carradine, persegue ele até chegar num beco sem saída onde ele encontra o meliante e toda a sua gangue inexplicadamente mortos com a única pista sendo um "CK" escrito na parede com sangue.

De acordo com a polícia, "CK" se refer ao Carnage Killer, um maníaco perigoso que totalmente não é o Cletus Kasady que totalmente não vai se transformar no Carnage depois e aparentemente era um dos motivos das gangues por aí estarem se fortalecendo... Pois é, os bandidões tão cagando nas calças pra esse cara. Então acontece mais coisa, o Herman vira o Shocker com a ajuda do aparelho de ondas sísmicas que ele pegou numa invasão à Oscorp e é derrotado pelo Aranha logo em seguida, aparecem o Wilson Fisk e o Harry Osborn que estão fundando uma força de polícia chamada Enhanced Crime Task Force porque eles querem acabar com os criminosos e com o Homem-Aranha...

Com isso aparece o Kraven, um caçador que antes estava caçando aquelas espécies humanas-animais da Oscorp e agora mata bandidos. Esse cara diz que quer ajudar o Homem-Aranha a virar um caçador de bandidos porque ele nunca teve um filho ou coisa assim, e com isso a história do jogo meio que começa a se desenrolar... Mais ou menos...


Bem... Em primeiro lugar, eu queria dizer de novo que eu tô completamente confuso sobre o posicionamento da história com relação à essa cronologia... O primeiro Amazing Spider-Man se passava depois do filme, certo, tinha aquela história sobre as espécies cruzadas da Oscorp, o Smythe, a Gwen ainda tava lá, a maioria dos vilões têm suas origens relacionadas ao experimento da Oscorp... Mas aí vem The Amazing Spider-Man 2 que não parece ter qualquer relação com o primeiro mesmo sendo uma sequência dele.

Sim, ainda tem a Oscorp e uma menção ao experimento das espécies cruzadas lá, mas é só isso. Onde diabos a Gwen foi parar? Ela é a namorada do Peter afinal de contas, pra um jogo que tenta explorar até o próprio como personagem ao invés de se focar mais no alter ego de super-herói dele, eu esperava até que ela fosse ter um papel maior. Por acaso esse jogo se passa depois do filme e a Gwen já tá morta? Não pode ser porque o Electro e o Duende Verde que são os vilões principais do filme aparecem depois nesse jogo como se fosse pela primeira vez.

Aliás, os dois ficaram uma bela bosta aqui, o Electro nem sequer teve a origem dele explicada... Ele simplesmente era o Max Dillon, foi salvo pelo Homem-Aranha e aí do nada depois ele aparece lá atacando a cidade flando "HAAAA! EU SOU O ELECTRO E TE ODEIO, AGORA MORRE DIABO!". O Harry é quase a mesma coisa, apesar de ter sido explicado que ele tem a doença lá que o pai dele tinha e tentou se curar injetando o veneno das aranhas modificadas lá já que o Homem-Aranha não quis dar seu sangue pra salvar ele... Mas isso é apresentado de uma forma tão visivelmente feita pelas coxas e apressada que eu mal tive tempo de ver o Harry como personagem. Isso é exatamente o contrário do filme onde os dois tinham tempo de tela o suficiente pra se desenvolverem como personagens e se tornarem os vilões.

Os personagens novos exclusivos desse jogo não são muito interessantes também. A Black Cat foi colocada desde o primeiro jogo obviamente pra ser o equivalente à Mulher-Gato dos jogos do Batman e ela não é muito mais interessante aqui do que era lá, continua dando em cima do Homem-Aranha, tentando roubar sem sucesso porque ele impede... No máximo os dois únicos personagens que têm alguma coisa levemente interessante são o Kraven e o Fisk porque eles têm motivações claras pra fazer o que fazem, ainda que não sejam nada impressionante.

E pra falar a verdade, eu não gosto muito nem do próprio Homem-Aranha nesse jogo. Eu até tinha falado antes que ele era uma das coisas que tornavam a história do primeiro jogo legal de assistir com o senso de humor dele, as falas dele eram bem escritas e ele bombardeava os vilões do jogo com piadinhas infames que eram fáceis de entender, porém funcionavam. Só que nesse jogo... Erm... Parece que ele tenta demais ser engraçado e quase nunca consegue, não parece natural quando ele faz alguma piada justamente por isso, normalmente ele fala num tom sarcástico que acaba dando mais efeito pras piadas... Algumas aqui chegam a parecer insultos de criança de 5ª série.

Por exemplo... Na luta contra o Fisk, ele faz piadas tipo "EI FISK, VOCÊ É TÃO GORDO QUE TE CONFUNDEM COM UM TAXI QUANDO VOCÊ VESTE ROUPA AMARELA!", e ele continua com piadas do mesmo tipo, "VOCÊ É TÃO GORDO QUE X", "VOCÊ É TÃO GORDO QUE Y" e por aí vai... E nenhuma dessas piadas é engraçada, essa parte do jogo chegou a me dar até vergonha por isso. É quase como se o Homem-Aranha tivesse trocado de alma com o Deadpool do Daniel Way pra esse jogo em offscreen.

Também tem o Stan Lee que ao invés de aparecer em cameos agora é amigo do Peter Parker e dono de uma loja de HQs. Pra falar a verdade eu gostei dessa ideia e não vi muita coisa errada com isso, só achei que aquele discurso dele no final foi cheesy demais mesmo pra padrões de Homem-Aranha que é cheio desse tipo de coisa... Mas ele mal aparece direito na história de qualquer forma, então tanto faz também.

No mais... Meh, essa história não parece nem uma história direito e sim um monte de acontecimentos aleatórios que mal se conectam uns com os outros. Não parece uma continuação da história do primeiro jogo, não é uma história boa em seu próprio direito e não é muito bem escrita também... É quase como se tivessem feito o jogo todo e aí lembrado que ele tinha que ter uma história, então um monte de gente lá da Beenox pensou em um monte de coisa diferente e os roteiristas sem muito tempo sobrando decidiram enfiar tudo o que as pessoas pensaram lá.

Isso é estranho porque eu nunca achei a Beenox ruim com histórias, Shattered Dimensions tem uma história legal, Edge of Time mesmo sendo uma bosta de jogo ainda tinha uma história surpreendentemente boa, o primeiro Amazing Spider-Man também não tinha uma história ruim... Então o que diabos aconteceu aqui?

É a mesma coisa que o primeiro, só que com mais brilho


No departamento de gráficos, o primeiro Amazing Spider-Man era um jogo... Aceitável. Não tinha nada horrivelmente feio nele, mas não tinha nada muito impressionante também, e isso se repete com The Amazing Spider-Man 2. Os gráficos não mudaram muita coisa além do Homem-Aranha ter uma fantasia diferente já que no filme ele também teve... E claro, essa fantasia é bem melhor do que a do primeiro filme/jogo que parecia que ele roubou um monte de bolas de basquete, costurou e pintou de vermelho/azul, mas não é bem algum feito do próprio jogo.

No máximo o que dá pra dizer aqui é que o Homem-Aranha tem um modelo mais brilhante que o do primeiro jogo... O que acaba dando aquela impressão de que a roupa é feita de borracha de novo, mas ainda é o mesmo modelo, com os mesmos detalhes e as mesmas animações que ainda não são muito impressionantes também. Especialmente nos combates que era uma das coisas mais estranhas do primeiro, aqui o Homem-Aranha ainda tem animações que não fluem muito bem por não parecerem conectadas umas com as outras, o que significa que a Beenox ainda não aprendeu muito bem com a Rocksteady.

Os modelos dos outros personagens também não são muito melhores... Digo, o do próprio Peter Parker parece ter vindo de um jogo de 2006 e o dos outros personagens "humanos" como Harry, Max e Jonah Jameson são tão "meh" quanto, e os civis da cidade também são horríveis assim como no primeiro. Mas os dos vilões/coadjuvantes como Kraven, Fisk, Black Cat, etc estão na mesma liga que o do Homem-Aranha de serem apenas aceitáveis, ainda que as expressões faciais de todo mundo sejam mal feitas pra caralho.


Eu não tenho muito o que comentar sobre os locais do jogo também, a maioria deles têm texturas decentes apesar de não se destacarem muito e os efeitos de sombra/luz do jogo são até bons... Outros lugares como os esgotos, a Oscorp, etc também são só inofensivos, o que não é um elogio, mas também não é uma crítica extremamente severa já que tem jogos bem mais feios lançados esse ano ou no ano passado, tornando esse jogo novamente não muito diferente do primeiro nesse ponto.

Mas algo que eu acho realmente feio pra caralho nesse jogo é o efeito dos ataques do Electro, tem uma hora que ele cria um escudo elétrico em volta da cidade e parece um efeito tosco de Photoshop... Tipo uma bola azul com uns choquinhos em volta, parece tão artificial que eu acredito que esse efeito foi roubado de um vídeo do Angry Video Game Nerd e colocado aí por falta de tempo pra fazer alguma coisa bem feita.

Eu ouvi falar que os gráficos na versão de Xbox One e PS4 são quase idênticos, e pra um jogo da nova geração isso realmente é uma merda inaceitável... Mas pra um jogo da sétima geração, The Amazing Spider-Man 2 tem gráficos inofensivos na melhor das hipóteses, é um pacote misturado onde algumas coisas são até bonitinhas e outras são horríveis. O importante é que eu não estou nem um pouco impressionado.

Spider-Man: Arkham Origins


Sabe quando você olha os trailers e vídeos de gameplay de alguma sequência e sente que ela não só parece ter os mesmos problemas que o primeiro tinha como também tem cara de ser pior? Então... É essa a impressão que The Amazing Spider-Man 2 me passou desde quando eu fui ver o pessoal da Beenox falando sobre o jogo e mostrando um gameplay lá pelo começo desse ano. E é pior ainda quando essa sua impressão acaba se concretizando quando você de fato pega o jogo pra jogar.

Mas bem, vamos começar com os aspectos positivos... Agora você tem os dois botões "trigger" do Xbox pra balançar nas teias, RT faz o Aranha mandar teia com a mão direita e LT faz ele mandar com a mão esquerda... Simples, não? Pois é, eu gostei dessa ideia e imaginei como isso seria em Spider-Man 2 pro PS2 que até hoje tem a melhor mecânica pra esse tipo de coisa. E o Web Rush ainda é divertido de usar pra alcançar lugares específicos ou atacar inimigos mais precisamente. Acho que eu só consigo pensar nisso mesmo.

Pra falar a verdade, muitos reviewers elogiaram a mecânica de balançar nas teias presente nesse jogo, até mesmo os mais negativos destacaram isso como a parte boa ou a melhor parte do jogo... Talvez seja a melhor parte porque o resto dele é horrível, mas eu não considero esse aspecto dele tão bom assim também. Assim como no primeiro, o Homem-Aranha em si não parece ter nenhum peso ou inércia enquanto ele balança nas teias, é sempre a mesma propriedade, o mesmo modo de conseguir altitude e a velocidade é praticamente automática já que você não tem exatamente que usar a física e os controles pra manter ele numa velocidade consistente. Maior prova da falta de física aqui é que se você balançar numa teia e fazer com que o Aranha pule e solte ela, ele vai perder todo o impulso que ele conseguiu e vai meio que parar no meio do ar e cair igual uma bola de chumbo... Tipo Sonic 4: Episode I.

No primeiro jogo, muita gente reclamou sobre o Homem-Aranha balançar nas teias sem que elas fiquem presas nos prédios e sim jogando elas lá pro céu pra Deus segurar enquanto ele balança. Isso é verdade e a Beenox disse que The Amazing Spider-Man 2 teria teias que se prendiam nos prédios, o que era até um fator que tornava a mecânica de Spider-Man 2 boa, as teias se grudando nos prédios têm físicas diferentes que te puxam pra uma direção e cabe a você fazer uso delas. Aqui no entanto tem hora que elas se prendem nos prédios e tem hora que não se prendem mesmo você estando perto de um, isso é completamente aleatório e não influencia muito já que a mecânica em si continua a mesma.

Foi uma adição tão inútil dentro dessa mecânica que ia ser melhor se eles fossem honestos e não fizessem isso por qualquer motivo, as teias se prenderem nos prédios não era só um detalhezinho que tornava o jogo mais "realista" e sim uma parte desse gameplay "Open World" do Homem-Aranha que a Beenox nunca realmente acertou porque eles claramente não são bons com esse tipo de jogo. Mas sim, mesmo com esse problema, balançar nas teias em The Amazing Spider-Man 2 talvez realmente seja a melhor parte do jogo, ainda que nem se compare com o que os jogos Open World anteriores do Homem-Aranha fizeram.

Mesmo que seja completamente artificial, balançar nas teias é rápido, o Web Rush ainda é bem divertido de usar e eu gosto da ideia dos dois botões pra atirar teias, eu só não me contento totalmente com o modo como isso foi executado porque poderia ter sido BEM melhor do que isso... Mas talvez não com a Beenox fazendo os jogos, porque essa coisa de Open World não é o forte deles e isso tá mais do que óbvio à essa altura.

Isso quando não acontece algum bug como o Homem-Aranha ficar repentinamente preso em alguma cerca na beira de um prédio e ficar fazendo infinitamente a sua animação de queda livre. Coisa que aconteceu comigo umas duas vezes e já até me atrapalhou a lutar contra inimigos porque eu não podia sair do lugar enquanto eles tavam lá metendo pipoco em mim. E eu nem preciso falar da câmera, coisa que até tornava o primeiro mais dinâmico por passar uma sensação de que você tá lá junto com o Homem-Aranha balançando nas teias... Aqui essa câmera se foi em favor de uma que vive ficando perdida até enquanto você realiza as coisas mais simples como passar "raspando" por um prédio, ela começa a girar como se estivesse tentando achar um ângulo certo.


Agora que a única coisa moderadamente positiva que eu tinha a dizer sobre esse jogo já foi dita... Prepare-se, porque o resto dessa review vai ser tão negativo quanto você espera que seja, até porque o título ali em cima tá "Spider-Man: Arkham Origins"... Você acha mesmo que seria uma review positiva com "Arkham Origins" no meio disso? Bah! Você deve ser novo por aqui, seja bem-vindo e esprimente a linguiça.

Enfim, The Amazing Spider-Man 2 tem um sistema de Hero/Menace que é levemente parecido com aquele lance de ter um lado bom e um lado vilão em Web of Shadows. Se você é um Homem-Aranha amigão da vizinhança que salva o cu de todo mundo e luta contra o crime fazendo aquelas mesmas missões de enfrentar bandidos, perseguir carros, salvar pessoas em perigo, etc e tal, você vai ficar manero no putero pro pessoal da cidade e eles vão te reconhecer como herói. Mas se você for um Homem-Aranha babacão que não tá nem aí pra nada, as pessoas vão ver que você é um cuzão e aí você não vai ficar muito bem nos olhos delas.

Dito isso, eu havia pensado em Web of Shadows sim. Lá esse sistema afetava a história, dependendo do caminho que você escolhesse e nas decisões que você tomava nas cutscenes, você acabava trabalhando com algum herói ou vilão e isso levava a um dos três ou quatro finais diferentes do jogo. Mas em The Amazing Spider-Man 2 não funciona assim, esse sistema não afeta a história do jogo em absolutamente nada, não muda nenhuma cutscene, não dá nenhum final diferente ao jogo... Nada!

Ao invés disso, é literalmente só pra encher linguiça e te obrigar a resolver todos os crimes ever que aparecem por aí na cidade... E se você ignorar algum isso acaba pesando na barra e te fazendo ser mal visto na cidade, resultando na Task Force te enchendo o tempo todo indo atrás de você e com aquelas porras de campos de força no meio da cidade que atrapalham a balançar pelas teias por aí. Isso nem faz muito sentido... Por que diabos eu sou uma ameaça por não querer parar algum crime? Quem tá cometendo o crime é o bandido e não eu, a Task Force é que devia dar conta dessa porra, que polícia incompetente do caralho!

E sabe, não seria tão ruim assim se os crimes e problemas das pessoas que você devia resolver não fossem a mesma coisa de sempre. "Oh, Homem-Aranha! Aqueles bandidos estão trocando tiros com a polícia!", "Homem-Aranha! Aquela pessoa tá num prédio incendiado!" "Homem-Aranha! Aquela bomba vai explodir!" "Homem-Aranha! Aqueles bandidos estão fugindo da polícia de carro!", "Homem-Aranha! A Beenox vai criar um jogo horrível sobre você, pare-os!"

...Se bem que essa última missão seria legal, mas ok.

O que eu quis dizer é que essas missões ficam repetitivas rápido pra caralho, até invadir algumas bases de bandidos pra recuperar coisas roubadas da Oscorp acaba ficando cansativo porque é o único tipo de missão diferente das outras e quase não tem variedade porque as bases são quase todas parecidas. Sim, eu sei que nos jogos anteriores também haviam missões e crimes na cidade que eram legais de resolver nos primeiros 30 minutos de jogo, mas pelo menos aqueles jogos não me forçavam a completar todas elas com um sistema de Hero/Menace porque talvez os desenvolvedores estavam cientes de que ia ficar repetitivo.

Mas o pior não é isso, tem hora que eu fazia as missões da cidade, tudo bonitinho e tal e a cidade me vê como herói... Aí depois por causa de alguma cutscene da história onde o Homem-Aranha fez alguma merda, eu me tornei uma ameaça pras pessoas e tenho que fazer mais missões pra virar um herói de novo e a Task Force parar com a merda dos campos de força. Na boa... Se você vai controlar o sistema de Hero/Menace pra poder seguir a história... Então por que caralhos voadores colocar esse sistema no jogo pra início de conversa? Isso não faz nenhum sentido!

É como se eu estivesse jogando Shinobido, servindo um dos três Daimyos lá consistentemente e fazendo ele ficar mais forte enquanto os outros dois iam se enfraquecendo... Mas aí acontece uma cutscene onde o Daimyo que eu tô servindo perde um conflito militar contra o outro e aí o outro agora é mais forte no jogo. Isso é contraditório, você não pode botar uma merda dessas num jogo com uma história linear, é exatamente por isso que jogos assim têm histórias abertas que vão sendo moldadas pelo que você faz.

Então as suas duas opções são: Tentar resolver todas as missões ever pra que você não seja atacado o tempo todo pela Task Force ou então não resolver nenhuma e ter a Task Force enchendo o saco o tempo todo. As duas opções são ruins e é pior ainda quando o jogo resolve controlar o sistema de Hero/Menace, tirando qualquer liberdade que ele finge te dar com isso.


As missões da história não são muito melhores também, normalmente elas se consistem em derrotar vários inimigos em várias salas diferentes e/ou passar por seções de Stealth até chegar no boss... E nada disso é verdadeiramente empolgante porque, assim como os outros aspectos citados, esses aqui também possuem os mesmos problemas do primeiro jogo e carregam outros novos consigo.

O combate, que já era meio estranho no primeiro jogo, continua tão estranho quanto aqui. Eu vi o pessoal da Beenox dizendo que ouviram feedbacks sobre o combate ser um button masher, o que era bem verdade... Só que ao invés de melhorarem os controles do combate e darem a ele uma identidade própria ao invés de tentarem imitar a Rocksteady de novo, eles só botaram uns inimigos a mais que podem ser derrotados da mesma forma porque a IA dos inimigos no geral é risivelmente ruim.

Sério, os inimigos sempre vão te atacar um por um, você só precisa ficar apertando X e mexendo o analógico pra lá e pra cá, isso não requer nenhum timing e nem precisão como nos jogos do Batman... E assim como Arkham Origins, aqui também pode acontecer do Homem-Aranha de repente dar socos no ar por causa dos controles estranhos ou o botão de contra-ataque não responder por motivos misteriosos. Mas ninguém realmente apresenta algum grande desafio e os bosses ainda são lutas em áreas fechadas onde você só tem que memorizar algum padrão de ataque que até uma criança de 8 anos de idade conseguiria memorizar e metralhar X.

Mas não para por aí, se você acha que a IA dos inimigos no combate corpo-a-corpo é ruim o suficiente... Meua migo, você ainda não viu como eles são quando você tenta usar o Stealth que é uma das opções e a única coisa positiva que eu tenho a dizer é que agora você pode fazê-lo em áreas mais abertas já que no primeiro era tudo um monte de corredores lineares. A IA dos inimigos nessas partes é tão retardada que eu não consigo nem arrumar palavras pra descrever o quão absurdamente ruim ela é, então vou comparar com a IA de Arkham Origins que também era abismal.

O campo de visão dos inimigos é ridiculamente limitado, e isso ainda seria uma maneira gentil de descrevê-los, porque se você não estiver bem na frente do cara da forma mais óbvio possível... Ele não vai te ver. Eu já tentei um monte de coisa, fiquei atrás dele acompanhando o cara me procurando pra ele nunca virar pra trás ou suspeitar de algum barulho, já fiquei até do lado de um inimigo quase encostando e ele nem ao menos dava uma olhadinha... E teve hora que eu passei bem na frente de um, ele me viu por alguns segundos e depois me "desviu", ficou procurando por aí até repentinamente sumir e quando eu o achei novamente... Ele tava andando contra a parede me procurando.

Isso porque eu nem falei de quantas vezes um monte de inimigos me acharam e os mesmos tentavam atirar em mim com suas armas de fogo e acertavam tudo... Tudo, menos eu. É como se eles tivessem chamado o responsável pela programação da IA de Mindjack e falado "Ei, chega aí, trabalha no nosso jogo!". Isso é patético, as partes de Stealth desse jogo são tão mal feitas que chegam a ser ofensivas.

Como um intervalo entre essas coisas, existem algumas partes onde você joga com o Peter Parker pra fazer trabalho de detetive, tirar fotos, conversar com outros personagens do jogo e coisas que ele como Homem-Aranha não poderia fazer. Eu até tinha gostado da ideia, mas você não faz nada demais mesmo com o Peter além disso, era pra simular um jogo de detetive e eu até gostei desse conceito... Mas não faz diferença se você faz ou não faz as perguntas pros personagens do jogo, a história não muda em nada e de qualquer forma você vai sempre ir lá como Homem-Aranha e descer a porrada neles.

Essas partes com o Peter acabam sendo só uma quebra de ritmo do jogo, como se fosse um comercial interrompendo um filme... Mas nesse caso, é um comercial interrompendo um filme já não tão bom assim. Aí você pode ir pro quarto do Peter pra fazer upgrades, mudar de roupa pro Homem-Aranha e tals... Aliás, esse jogo tem sim bastante conteúdo coletável, um monte de fantasias e até HQs pra ler assim como o primeiro, só que eu não tenho saco pra ir atrás disso tudo pelo jogo ser essa merda que é... Eu até gostei da ideia dos upgrades nas teias lá, ter teias que explodem ou até congelam inimigos quando entram em contato, me lembrou dos jogos do Homem-Aranha pro PS1 que também tinham isso. O problema é que eu raramente precisei usar essas teias diferentes já que o jogo tem inimigos tão inteligentes quanto um fã de Jersey Shore.

Sons genéricos, mas apropriados... Eu acho...


A trilha sonora desse jogo é quase a mesma coisa que as de todo jogo baseado em filme do Homem-Aranha ever... Ou seja, músicas orquestradas iguais as dos filmes em que eles são baseados, algumas músicas em particular até são boas e dão mais "feeling" às situações do jogo em que elas tocam, mas as trilhas sonoras em si nunca foram exatamente memoráveis e a desse não é exceção. É decente enquanto você joga o jogo e pode até ser boa dependendo da pessoa, mas... Meh, nada extraordinário.

Já a dublagem é boa, mas eu ficaria impressionado se fosse ruim também já que os últimos jogos do Homem-Aranha nunca tiveram esse problema. O Homem-Aranha tem a voz de adolescente descontraído de sempre, o Kraven tem aquele sotaque russo com aquela voz meio raspada que também combina com ele, e o resto dos personagens não são diferentes assim, eles são bem interpretados no geral.

Considerações finais

Sério... O que diabos aconteceu com a Beenox? Eles começaram muito bem até com Shattered Dimensions, aquele foi o jogo do Homem-Aranha que eu mais joguei até hoje e é bem possivelmente o meu favorito de todos eles, mas depois disso eles só foram ficando gradualmente piores ao invés de melhorarem com o que ele começou. Edge of Time era pior em quase tudo, o primeiro Amazing Spider-Man foi mediano e agora tem o segundo que é uma bela bosta.

Normalmente sequências pegam o que funcionou no primeiro jogo e melhoram ao invés de pegarem tudo o que tinha de errado e piorar. The Amazing Spider-Man 2 é o melhor exemplo possível de como não se fazer uma sequência de um jogo, o jogo tem um polimento menor do que o primeiro, não conserta absolutamente nada do que tinha de errado lá e ainda por cima torna pior o que funcionava bem... É um desastre de proporções tragicamente grandes! Eu não queria odiar esse jogo, eu disse que o primeiro Amazing Spider-Man tinha suas falhas, mas uma sequência feita da maneira certa podia transformar o que ele começou em um jogo realmente bom... Mas é... Sequência feita da maneira certa, não é o caso desse jogo.

Até então esse foi o pior jogo do Homem-Aranha que eu já joguei em memória recente e certamente o pior jogo que a Beenox fez. Eu tento defender eles só porque gostei muito de Shattered Dimensions e creio que eles têm sim capacidade de fazer algo tão bom quanto se esforçarem em melhorar aquela mecânica e pararem de tentar ser a Rocksteady. Mas desse jeito tá ficando difícil ter alguma simpatia pela Beenox...

Prós:

+ Usar os dois Triggers pra balançar nas teias foi uma boa ideia.
+ O jogo tem bastante conteúdo pra quem tiver saco pra jogar e ir atrás.
+ A dublagem é boa, eu acho.

Contras:

- Bugs que chegam a quebrar o jogo ao ponto de precisar resetar.
- O jogo não melhora absolutamente nada do que tinha no primeiro, muito pelo contrário.
- O sistema de Hero/Menace é completamente inútil.
- Jogar com o Peter Parker acabou sendo só uma quebra de ritmo.
- Câmera horrível.
- Além de semi-obrigatórias, as missões são ridiculamente repetitivas.
- História mais mal contada do que fanfics de Final Fantasy.
- As teias não necessariamente se prendem nos prédios como eles disseram.

Gráficos: 6/10
Enredo: 4/10
Gameplay: 3/10
Som: 6/10
Conteúdo extra: 3/10

Veredicto:

{ 30 comentários }

  1. pelo menos os filme do sam raimi não tem jogos ruins

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SENDO QUE SPIDER-MAN 3!

      (E eu acho que o jogo do primeiro filme era bem ruinzinho também, mas não lembro direito dele.)

      Excluir
    2. Zueiro O Sem Limites31 de maio de 2014 20:02

      WHAAAAAAAAAAAAAAAT!!!!???

      O jogo do SPIDER-MAN 3 é um lixo, todo bugado e com história sem rumo! O 1 era foda véi, mesmo grudando teia no céu, era bem loucão aquele jogo. O 2 is the Best até hoje.

      Excluir
    3. O jogo do primeiro filme do Sam Raimi é legalzinho, parece aqueles do PSX.

      Excluir
    4. É, eu só não lembro direito do jogo do primeiro filme do Raimi mesmo, joguei ele só lá em 2002 ou 2003 e depois não lembro de ter pego de novo. Mas o 2 é bom sim apesar de eu achar Ultimate Spider-Man melhor na maioria das coisas.

      Já o 3 eu lembro muito bem que é uma bosta, a física dele é tão bizarra que chega a ser engraçada.

      Excluir
    5. Zueiro O Sem Limites31 de maio de 2014 20:46

      O Ultimate é disparado, junto aos de PSX e o 2, os melhores jogos do Aranha. O 3 eu lembro até hoje a primeira vez que joguei. Os gráficos chegam a serem piores que o 1, a física é bem zuada que não dá pra acreditar que o jogo foi lançado depois do 2 e Ultimate, que eram ótimos nessa categoria. Tentaram fazer o mesmo lance de grudar as teias nos prédios que tinha no 2, mas ficou ironicamente ridículo.

      Pior jogo do Homem-Aranha, sem dúvidas.

      Excluir
    6. Sinto falta daqueles pro PS1, eram divertidos pra caramba e tinham um fator replay alto.

      Excluir
    7. Shattered Dimensions é meio que um sucessor espiritual desses do PS1.

      Excluir
  2. Zueiro O Sem Limites31 de maio de 2014 19:55

    Homem-Aranha do Sam Raimi >>> Marc Webb.

    A Trilogia inicial foi muito boa, mesmo que o terceiro tenha uma qualidade duvidosa. O primeiro filme trouxe cenas marcantes e é com certeza um dos melhores baseados em um super herói. É impossível se esquecer da cena do beijo, a cena no cemitério, ele descobrindo seus poderes naquela parede do beco e etc. O segundo então, excelente. Nem preciso comentar o quão excelente é aquele filme.

    O terceiro é bem mediano. Tirando o Homem-Areia e a roupa de simbiose (Não a viadagem de emo, a roupa mesmo), fora as cenas de ação, não vejo outra qualidade naquele filme.

    Mas ainda sim, pra mim é melhor que o Espetacular Homem-Aranha. É um filme muito pra adolescentes e crianças dos anos 2000. A história é cheia de furos, os personagens descaracterizados e o Peter em si, tá mais pra Deadpool do jogo do que pra Peter Parker mesmo.

    O 2 foi bem mediano, bem melhor que o primeiro, mas ainda sim achei um lixo. O Electro ficou MUITO descaracterizado, com aquele visual bizarro lá, o Duende tá parecendo o Peter emo do 3, o Rhino parece um robô do Titanfall e a Gata Negra praticamente nem tá naquele filme.

    Saga lixo feita só pra Sony manter os direitos do personagem. Taria muito melhor com o Sam Raimi ou com a própria Marvel. Tô até com medo de ver o Sexteto Sinistro no terceiro filme, puts, o Mysterio vai ser um feiticeiro com um aquário na cabeça, tô até imaginando.

    [PS: Meu comentário não foi zoeira, foi opinião real mesmo.]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, os filmes da trilogia antiga também têm bastante furos de roteiro.

      Excluir
    2. Zueiro O Sem Limites31 de maio de 2014 20:09

      Não tanto quanto o novo. O fato de soltar teia pelo pulso nem ligo, afinal, o novo tem o lançador e não explica onde diabos ele tem tanto cartucho de teia. Lembrando que no Espetacular 1, ele roubou os cartuchos da Oscorp. Ou seja, ele está lutando contra um exército da Oscorp COMPRANDO (Pelo visto) os cartuchos de teia dela, agora. Faz sentido total.

      O Duende Verde, do primeiro, não usa uma armadura do Power Rangers, isso é verdade. Mas na época, acho que preferiram usar algo que representasse o personagem no lugar de fazer um mutante verde que voava numa máquina. E eu achei até bacana aquela armadura, tem um visual intimidador e é única. Nunca vi outra mídia com o Duende Verde que abusou de inovar e trazer algo diferente.

      E o Venom, tá um lixo no Homem-Aranha 3. Mas eu prefiro ignorar a presença daquilo lá, já que nem o Sam Raimi queria colocar e a Sony obrigou o coitado. Triste.

      Excluir
    3. O meu maior problema com a trilogia do Raimi era que os personagens são muito sem sal, o melhorzinho é o Peter e isso só porque ele é o protagonista da história e se desenvolve nela de certa forma. Mas eu não ligo pra quase nenhum dos outros, a Mary Jane desses filmes é um dos interesses amorosos mais "meh" que eu já vi, ela não faz nada na história e as cenas dela com o Peter nem parecem naturais, os dois meio que ficam naquele silêncio desconfortável, falam uma coisa a cada 5 minutos e aí tão apaixonados um pelo outro... Quando não é isso, ela só serve pra entrar em perigo pra depois ser salva pelo Homem-Aranha.

      A interação entre os personagens nesses filmes do Raimi é muito ruim, isso é uma das coisas que eu dou valor num enredo porque afinal de contas eu tenho que me sentir ligado a esses personagens e gostar deles de alguma forma. Não que o Peter seja perfeito também, ele só é o melhorzinho, mas eu não gosto de como ele é retratado como um nerd raso chorão mesmo depois de se tornar o Homem-Aranha quando ele fica bem mais confiante depois disso.

      Já o Marc Webb pra mim acertou em muito mais coisa quanto a isso, o Peter ainda é um nerd e sofria bullying da mesma forma... Ele só andava de skate antes, mas isso não torna ele descolado igual os outros fazem parecer que torna. Ele tem um desenvolvimento mais interessante por estar aos poucos aprendendo a responsabilidade de se ter os poderes do Homem-Aranha de fato e o romance dele com a Gwen é anos luz à frente do Peter com a Mary Jane do Raimi pelo fato de ser muito mais natural. Os dois se combinam perfeitamente.

      Ainda por cima a Gwen nunca precisou ser salva por ele exceto por aquela última cena do segundo filme onde ele não consegue e ela morre. Isso tornou a morte dela muito mais impactante porque não só ela era uma personagem carismática como ela nunca precisou ser salva antes, e nessa única vez em que ela precisou... O Peter não conseguiu. Essa foi a cena mais bonita que eu já vi num filme do Homem-Aranha até hoje, mesmo eu sabendo que ia acontecer, ainda me senti comovido com ela.

      Excluir
    4. Eu gosto dos dois, nenhum é completamente fiel as HQs mesmo o Marc Webb se aproximando mais. Meu problema com o Homem Aranha desses novos é que ele mais foge do que luta com os inimigos dele, o do Sam Raimi já encarava todos eles e tinha cenas de ação melhores.

      Excluir
    5. Zueiro O Sem Limites31 de maio de 2014 20:38

      Muito sem sal? Ao meu ver o Sam Raimi acertou bastante com alguns personagens. A Tia May e o Tio Ben são muito mais expressivos do que aqueles cadáveres lá do Espetacular. E o J.J Jameson, que tá fazendo falta pra caralho no novo, era carismático pra cassete. Toda cena que ele aparecia, era muito boa.

      A Mary Jane na Trilogia, apesar de ser ruim mesmo, até que está de acordo com o papel. Vive se pagando de puta atrás de outros homens. Flash, Harry, Peter, o filho do J.J lá, Peter de novo, Harry de novo e no final com o Peter again.

      O que eu acho um saco no Espetacular, é esse lance dele tentar descobrir o que aconteceu com seus pais e a pesquisa deles. É totalmente desnecessário e tosco, o Tio Ben morre lá e ele, apesar de procurar o bandido, depois tá pouco se fudendo indo em busca do "mistério" do seu passado.

      Falando em Tio Ben, a morte dele foi abismal de tão mal feita. Na Trilogia, quando ele morre, a gente realmente percebe a dor que o Peter sofreu com aquilo e ele até mata o bandido, mesmo que depois botaram aquela história do Areia lá. Já no Espetacular, o véio goiaba quis dar uma de Super Véi e tentar impedir o cara que roubou a grana do mercado. Mereceu morrer mesmo, já que não tinha carisma nenhuma.

      O Peter "chorão" e nerd, nem me incomoda. Já que como Homem-Aranha, ele se acha bastante confiante e até faz algumas piadas. Como naquele cena lá do primeiro filme, que o Duende ataca o Clarim Diário e o Peter vai lá salvar o J.J, que acusa ambos de cometerem um crime. Dai o Spider taca uma teia na boca dele e fala: "Filho, deixa a mamãe e o papai resolverem o assunto aqui".

      Já o novo, acho muito descolado pra ser o Peter que todo mundo conhece. Ele anda de Skate, pratica esportes e ainda por cima fica encochando a Gwen quando os dois estão juntos. O Homem-Aranha então, é o Deadpool lá. Faz muita zoeira, tá pouco se fudendo para algumas coisas e até ignora a frase "Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades", que aliás nem é citada nesses filmes novos que na Trilogia anterior, foi uma grande lição de moral para o Peter ser um vigilante da justiça em Manhattan.

      A morte da Gwen foi bonita mesmo, mas eu acho bem clichê sendo que nas HQs, ela tecnicamente morre caindo de uma ponte e não naquele "prédio" lá.

      Uma questão que eu gostaria de citar nessa discussão, é Trilha Sonora: É indiscutível que a da Trilogia, seja melhor. Afinal, Danny Elfman a compôs. A música tema é até hoje uma das melhores músicas de um filme já feita. A da Saga "Espetacular" (Que só tem no nome mesmo), tirando a música "Saving New York", é bem fraca, e olha que o segundo filme teve sua Trilha feita pelo Hans Zimmer, que não é qualquer um não.

      Enfim, eu ainda acho a Trilogia bem melhor por ter sido mais divertida, e ao mesmo tempo bem melhor elaborada, pois não foi criada com o único proposito de manter um personagem a uma produtora.

      Excluir
    6. O Tio Ben do Raimi foi melhor e a morte dele foi mais dramática mesmo apesar de eu não ver nada de errado com o novo tentando ser mais realista, e a Tia May é indiferente pra mim em ambos já que ela não tem tanta participação assim em nenhum dos dois. E sim, eu senti falta do Jameson também, só espero que ele apareça logo porque era um dos poucos personagens do Raimi que eu realmente gostava por ser até bem fiel ao das HQs que sempre foi um velho chato e grosso de uma forma legal. Só que fora essas exceções, eu realmente acho a maioria dos personagens do Raimi bem "meh".

      O Harry por exemplo nunca me passou muito a imagem de ser amigo do Peter porque os dois mal se falavam direito e tinham os mesmos papos mornos que o Peter tinha com a Mary Jane... Só que sem o romance por motivos óbvios. Quando o Peter encontra o Harry no Espetacular Homem-Aranha 2, começava a conversar com ele, os dois brincando, dndo "tiradas" um no outro e tal, foi bem mais convincente de que eles são amigos de longa data do que nos filmes do Raimi, é disso que eu tô falando sobre o Marc Webb ser melhor com as interações entre os personagens.

      E eu por outro lado gostei desse negócio dos pais do Peter terem uma participação na história, nos filmes do Raimi eu acho que eles nem sequer foram mencionados e nas HQs eles tinham bastante importância (apesar de terem estragado os dois com essa palhaçada dos dois serem na verdade agentes da S.H.I.E.L.D por conveniência), espero que o Marc Webb faça algo bom com isso e compense a merda que foi feita com eles na HQ. Mas eu também achei estranho o Peter ter parado de perseguir o bandido lá do nada também, inclusive até mencionei isso no próprio post aí que foi estranho ele ter parado no filme e mais estranho ainda terem feito ele continuar nesse jogo que é quase um ano depois.

      Sobre o Peter em si... Eu fiquei incomodado porque não só na HQ como nos desenhos ele realmente melhora depois de conseguir os poderes, ele vira um cara mais legal e as pessoas até começam a ver ele com olhos melhores. O do Raimi foi meio... Erm... Pareceu que a única diferença entre o Peter da época de nerd bullyingado e o de agora é que ele é o Homem-Aranha. O novo não exatamente praticava esportes, se eu não me engano ele era bem ruim pra jogar basquete antes e só ficou bom mesmo por causa dos poderes lá que ele usou pra humilhar o Flash. Mas eu tô ciente de que o Homem-Aranha do Raimi também fazia algumas piadas, mas era bem raro e na maior parte do tempo ele era bem sério, no 2 mesmo tem uma única vez que eu me lembro dele fazendo isso quando o Octopus joga um saco de dinheiro nele e ele manda de volta com a teia falando "Pega o troco!".

      O do Webb eu já acho um pouco mais balanceado, ele faz um monte de piadinhas infames enquanto lida com os inimigos dele, mas é sério quando precisa ser. Por exemplo quando o Electro aparece lá na cidade pela primeira vez e ele fica tentando acalmar ele conversando, dizendo que lembra dele e tudo, eu gostei dessa cena porque parecia mais algo que o Homem-Aranha das HQs faria, ele nunca foi um super herói de sair dando porrada em qualquer inimigo que aparecia na frente dele, normalmente ele até usa um pouco mais de estratégia pra lidar com os vilões dele ao invés de bater de frente na porrada. Nunca me passou muito a impressão de que ele faz piadas demais ou tenta demais ser engraçado, já vi interpretações dele até mais exageradas nesse aspecto.

      Excluir
    7. Foi interessante apontar a ausência da frase "Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades." porque eu até senti falta dela, mas achei que não colocaram lá intencionalmente mesmo porque o modo como o Peter se desenvolve nos dois filmes do Webb é meio que aprendendo que ele tem uma responsabilidade com esses poderes que ele tem em mãos. Ele ainda é bem juvenil por assim dizer e até quebrou a promessa que ele fez ao pai da Gwen por acreditar que ele conseguiria proteger ela por ter poder o suficiente pra isso, coisa que ele no fim das contas não conseguiu fazer, e nas HQs se eu não me engano foi exatamente depois da morte da Gwen que ele começou a amadurecer de fato. Eu acho que eles não colocaram essa frase no filme porque queriam incorporar ela no desenvolvimento do Peter como personagem, ele iria aprendendo isso por si mesmo e talvez até venha a usar essa frase num próximo filme.

      E a Gwen morre de uma forma parecida com as HQs, só muda o local mesmo, mas é o mesmo cenário: Ela tá caindo, o Peter joga a teia dele nela, mas o efeito "chicote" da teia acaba fazendo a Gwen quebrar o pescoço e morrer. Eu achei até que teve mais impacto no filme porque teve todo aquele clima do slow motion, ela caindo, aquela teia saindo e formando uma espécie de mão tentando pegar ela, depos ela fechava os olhos meio que aceitando a morte dela... E aí ela morre e tem a reação do Peter quando descobre que ele não conseguiu salvar ela.

      Agora sobre a trilha sonora eu nem discuto mesmo porque também acho a dos filmes do Raimi melhores, aquela música tema principal deles vai sempre ser a "música do Homem-Aranha" pra mim.

      Mas a verdade é que eu gosto do trabalho que o Marc Webb tem feito, ele até fez esse lance de ter mais de um vilão no Espetacular Homem-Aranha 2 melhor do que o Raimi fez no terceiro filme dele justamente porque ele tratou todos os vilões assim como as HQs os tratam: Introduziu eles, mostrou eles se desenvolvendo e se tornando os vilões, mas não deu nenhum fim pra nenhum deles porque todos eles ainda têm mais a se desenvolver e vão aparecer depois. O Raimi no terceiro filme dele quis dar início meio e fim a dois vilões (Venom e Homem-Areia) e tudo ficou bagunçado, dando a impressão de que foi feito pelas coxas.

      Fora o 3, eu gosto dos outros filmes do Raimi apesar de preferir muito mais o 2 ao primeiro. Mas ele teve a sua importância nesse ramo já que foi o primeiro a fazer uma adaptação decente do Homem-Aranha pro cinema.

      (Malditos caracteres limitados do Blogger)

      Excluir
  3. spider-man 2 de ps2 era loco,puta jogo bom aquele,único sandbox do homem-aranha que funcionou até hoje

    deviam fazer mais jogos ao estilo dos de ps1,eram divertidos pra caramba

    concordo com o zoeiro ai de cima,sam raimi > marc webb

    ResponderExcluir
  4. Mais um momento "Eu já sabia!". Não tinha gostado muito nem do primeiro jogo, esse eu não quis nem jogar porque não me interessou, mas eu tinha certeza que ia ser ruim.

    ResponderExcluir
  5. Os únicos jogos do Spider que prestaram foram os do PSX, o 2 de PS2 e o Shattered Dimensions.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ultimate Spider-Man e Web of Shadows são bons também.

      Excluir
    2. Zueiro O Sem Limites31 de maio de 2014 20:40

      Pois é, agora que me lembrei do Ultimate Spider-Man. Aquele jogo é muito bom. Não joguei o Web of Shadows, mas já vi criticas dizendo que o jogo é ruim. Bem, só jogando pra ver.

      Excluir
    3. Ultimate Spider-Man envelheceu bem até, principalmente no aspecto visual.

      Excluir
    4. A maior crítica com o Web of Shadows é que ele tem missões repetitivas entre as da história assim como os outros, só que eles exageram um pouco na quantidade de coisas a se fazer nessas missões. Tem hora que tu tem que derrotar até 50 criminosos ou Symbiotes espalhados por aí no meio da cidade e isso fica tedioso rápido, mesmo que o combate do jogo seja bom pra caralho.

      Excluir
  6. Como sempre, o Ryu sendo mais negativo do que o resto do mundo sobre um jogo "ruim"

    Nenhuma novidade por aqui

    ResponderExcluir
  7. qual a pior que fizeram com o Spidey: esse jogo, ou One More Day ou Superior Spider Man ou Joe Quesada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zueiro O Sem Limites1 de junho de 2014 00:07

      Os filmes de "The Amazing Spider-Man". Imperdoável o que fizerem com o personagem.

      Excluir
    2. Nunca cheguei a acompanhar Superior Spider-Man, mas só o conceito já me pareceu ridículo.

      Excluir
  8. O jogo foi feito as pressas pra ser lançado antes do filme, por isso é tão mal feito

    ResponderExcluir
  9. Não costumo dar atenção a jogos baseados em filmes, ainda mais se tratando de filmes de super heróis, pois a maioria deles são ruins ou medianos. Claro, até existem exceções como o X-Men Origins, Batman Begins e Spider-Man 2, mas fora esses, não consigo me lembrar de muitos outros, até estou aberto a recomendações. Os únicos jogos do teioso que eu joguei foram os de PSX mesmo, os da geração PS2/GC/Xbox eu só cheguei a jogar o 2, que é baseado no filme. Ano retrasado, pensei em pegar o primeiro The Amazing Spider-Man, pois estava em promoção, e como eu disse, meu último jogo do Spidey foi o 2 de PS2. Mas eu precisava ter a certeza que eu estaria fazendo uma boa compra, afinal, era ele ou o Batman Arkham Asylum. Dei uma pesquisada sobre ele, vi alguns vídeos, li alguns reviews pela internet, e decidi não comprá-lo em razão das críticas. Escolhi o Asylum, já que todo mundo falava bem dele. Outro dia desses joguei o The Amazing Spider-Man na casa de um amigo, e naquele momento em que eu jogava, eu percebia que eu nunca estive tão certo quando escolhi o Asylum em vez do The Amazing Spider-Man. I mean, o jogo é legalzinho, mas não chega nem perto de um Arkham da Rocksteady, e ele ficou bem cansativo depois de uma hora de jogo, coisa que nunca aconteceu comigo quando joguei o Asylum. Enfim, esse ano pensei que a continuação dele teria que ser tão bom quanto o filme, afinal essa era a chance dele de consertar os erros de seu antecessor. O segundo filme consertou problemas do primeiro, vejo que aconteceu justamente o contrário com os jogos. Aliás, eu gostei muito do segundo filme do Espetacular Homem-Aranha, o enredo está bem melhor que o 1º, apesar de ainda ter alguns furos, os vilões são bem explorados (exceto o Rhino, que está lá apenas para marcar presença, mas creio que cortaram ele por não ter tempo o suficiente para desenvolverem o personagem, por isso já anunciaram que farão um filme exclusivo para o Sexteto Sinistro), os efeitos estão incríveis e a relação amorosa Peter-Gwen é uma das melhores em todos os filmes de super-herói que eu já vi, se não for a melhor. A química do casal é muito boa, acho que isso ocorre principalmente pelo fato de o Andrew Garfield e a Emma Stone serem namorados de verdade. Sinceramente, a trilogia do Raime é muito boa (excetuando o 3, claro), e teve grande importância ao abrir espaço para a produção de novos filmes de super-heróis, mas as cenas românticas são piores do que aquelas novelas mexicanas que passam na SBT. E eu devo ser o único que gostei do uniforme do primeiro TASM.

    ResponderExcluir

- Copyright © Blog do Ryu - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -