Posts Populares:

Postado por: Ryu quinta-feira, 8 de maio de 2014


Toda vez que eu vejo um novo jogo de Dragon Ball Z sendo anunciado,eu fico na esperança desse sim ser o jogo que vai me fazer voltar a gostar de jogos baseados nesse anime que marcou tanto a minha quanto a infância de vários outros marmanjos por aí... E tristemente, cada vez que tal jogo novo de Dragon Ball Z é lançado e eu tenho a oportunidade de jogá-lo, eu fico cada vez mais certo de que eu só ainda insisto em comprar jogos de Dragon Ball Z porque minha nostalgia monstruosa por esse anime me impede de ignorar esses jogos e parar de esperar por um Dragon Ball Z tão bom quanto Budokai Tenkaichi 3 ou Budokai 3.

Andei me decepcionando com esses jogos de Dragon Ball Z desde que eles foram pra sétima geração. A Bandai ao invés de evoluir no que os títulos do PS2 começaram, inexplicavelmente regrediam e faziam Burst Limits ou Raging Blasts da vida que são apenas versões com gráficos bonitinhos e bem menos conteúdo do que os seus antecessores do PS2. Ou então apenas inventavam moda e saia algo pior do que todos os outros de antes, o que foi o caso de Ultimate Tenkaichi... E eu nem quero começar a falar sobre aquela aberração de jogo pro Kinect... Sério, até hoje não superei o trauma que jogar aquilo me causou...

... Não que eu esperasse que Dragon Ball Z pra Kinect fosse ficar bom, pois um jogo ser pro Kinect é certeza absoluta de que vai ser uma merda até que se prove o contrário. Mas... Jesus... Aquilo foi tão ruim... Mas TÃO ruim... Argh!

Em meio a tantas decepções, Battle of Z, o novo jogo baseado em Dragon Ball Z, não é uma exceção. Esse talvez seja até pior do que Ultimate Tenkaichi ou do que a maioria dos jogos de Dragon Ball Z dos últimos anos... Não, eu não estou brincando.

O interessante é que Battle of Z foi desenvolvido não pela Spike e sim por uma outra desenvolvedora chamada Artdink, que tem como jogo de maior sucesso... Um jogo de simulação de trem... É, eu não posso ver isso dando errado nem na menor das hipóteses. Porque é bem melhor deixar que uma desenvolvedora conhecida por algo assim fazer um jogo de Dragon Ball Z do que a CyberConnect2 que acertou bastante com jogos de Naruto desde o primeiro Ultimate Ninja Storm e aparentemente sabe fazer jogos baseados em anime fieis ao material base.

... Sério, parem com essa merda! Eu quero parar de falar que Naruto é melhor que Dragon Ball Z em alguma coisa, vocês não sabem o quanto me envergonha ter que falar isso! Mas ok, foda-se Naruto, vamos ver o que tem nesse novo Dragon Ball Z, mesmo que a resposta seja previsível à essa altura.

Wut


Todo mundo conhece a história de Dragon Ball Z atualmente, não é mesmo? Começou no primeiro Dragon Ball, um Saiyajin chamado Goku foi parar na Terra porque o seu planeta natal foi destruído por um ser maligno chamado Freeza, lá na Terra ele fez várias amizades e se meteu em várias aventuras da pesada até lutar contra o rei dos demônios, Piccolo, e trazer a paz na Terra. Então a terra foi atacada por outros Saiyajins sobreviventes, o primeiro sendo Raditz, o irmão do Goku, então Piccolo resolveu se juntar com Goku pra derrotar Raditz sem muita hesitação porque ninguém assistiu o primeiro Dragon Ball pra saber que eles eram inimigos mesmo.

Mas aí o Goku acabou morrendo pela primeira de muitas vezes seguintes e os outros dois saiyajins que estavam vindo eram mais fortes que o Raditz, então todo mundo treinou e se fodeu mesmo assim até o Goku ressuscitar e meter a porrada no Nappa e lutar contra o Vegeta até que todo mundo fica machucado e o dia foi salvo porque o Gohan vira um macaco gigante e cai com a bunda em cima do Vegeta. Depois eles vão pro planeta de onde veio o Piccolo e encontram o Freeza e o exército dele, mas só começa a ficar interessante depois que o Freeza vai realmente lutar e todo mundo descobre que ele é uma mulher... Ou um alien que parece uma mulher... Sério, ele já tem cara de mulher e nem pinto tem... Então ele mata o Kuririn porque todo mundo adora bater no Kuririn, o Goku fica nervoso e vira um Super Saiyajin e derrota o Freeza.

Depois acaba que todo mundo consegue virar Super Saiyajin e isso deixa de ser uma coisa fodona rápido, tem androides, mais níveis de Super Saiyajin são descobertos e um demônio rosa com problemas mentais quase destrói o universo inteiro... Ah é, e tem as Esferas do Dragão que realizam desejos e tal.

Essa mesma história foi repetida várias e várias vezes em jogos de Dragon Ball e/ou Dragon Ball Z e todo mundo já tá careca de saber como é de ter visto o desenho ou então de ter "aprendido" por ter jogado vários desses jogos que contam a mesma história sempre. Eu pessoalmente não me importo, afinal se o jogo é baseado em tal coisa, ele tem mais é que ser fiel a isso mesmo e pronto, mas já vi gente criticando os jogos de Dragon Ball Z por ficar contando sempre a mesma história o tempo todo.

Eu concordo e discordo dessas críticas ao mesmo tempo, porque depende muito de como o jogo aborda esse conceito. Quer um exemplo de como uma franquia de jogos baseados em algum material estabelecido consegue contar a mesma história e ainda assim mantendo ela interessante? Então lá vai: Dynasty Warriors. Todo mundo sabe que eu adoro Dynasty Warriors principalmente pela história, e apesar de ser sempre a mesma história, ela é contada de formas diferentes, apresentando mais detalhes na narrativa retratando outras batalhas históricas daquele período que passaram batidas e, o mais interessante de todos: Mostrando eventos hipotéticos, os famosos "What-if".

Pra quem não sabe, "What-if" é um tipo de evento alternativo de tal história já conhecida, que conta o que aconteceria se tal parte da história acabasse sendo diferente de como aconteceu na história original. Por exemplo... E se o Goku sobrevivesse à luta contra o Raditz e continuasse treinando lá na Terra ao invés de morrer e ir lá aprender o Kaio Ken e a Genki Dama com o Sr. Kaio? E se o Freeza de alguma forma derrotasse o Goku lá em Namek mesmo com o lance do Super Saiyajin e tudo? E se os Saiyajins se rebelassem contra o Freeza junto com o Bardock e de alguma forma conseguissem derrotá-lo antes que ele possa explodir o planeta deles? Isso mudaria bastante a história e possivelmente a levaria a outra conclusão, certo?

Esse tipo de coisa foi bem explorada lá nos títulos de PS2, no primeiro Tenkaichi tinham algumas sagas alternativas onde você controla Freeza, Cell ou Majin Buu e enfrenta exatamente as mesmas batalhas das sagas dos próprios, porém agora com você jogando com o vilão e com ele derrotando os heróis na história. Budokai 3 tinha um Story Mode pro Broly que tinha dois finais dependendo do que você fizer: Um onde ele mete a porrada no Gohan no final, porém ele, o Goten e o Goku que veio pra Terra por um momento por causa das Esferas do Dragão se juntam pra fazer um um "Kamehameha de família" e derrotam ele, assim como no filme... E o outro final seria com o Broly matando o Gohan e tendo uma batalha final contra o Goku onde ele vence e destrói a galáxia inteira.

Eu poderia continuar citando mais um monte de coisa, no Budokai 3 mesmo rejogando os Story Modes dá pra chegar a várias conclusões diferentes nas sagas dependendo do que você vaz, Budokai Tenkaichi 2 e 3 têm um monte de sagas "What-if" e o primeiro Budokai se eu não me engano tem algumas que eram até engraçadas como o Cell absorvendo o Kuririn acidentalmente ao invés da Androide 18 e apanhando pro Tenshinhan e pro Yamcha... Mas você entendeu, né?


Já que Battle of Z tem uma proposta de ser um "retelling" da história do desenho pra bater com a proposta de ter combates em equipe e tal, ele poderia ser uma espécie de história inteiramente alternativa ou algo do tipo, as possibilidades são infinitas... Mas ao invés disso, o que o jogo apresenta são cutscenes mal feitas pra caralho com diálogos feitos pelas coxas e tanta inconsistência enquanto tenta (só tenta) se manter fiel à história original da série.

A primeira saga do jogo, que no caso é a dos Saiyajins, é basicamente um resumo da "narrativa" presente nele: O Goku tá voando por aí, encontra uns Saibamen que surgiram do nada e derrota eles (mesmo tecnicamente ele ainda sendo mais fraco do que um Saibamen normal no início da série), então depois ele repete a mesma coisa com a ajuda do Kuririn e aí a nave do Raditz surge do cu do Akira Toriyama e cai exatamente naquele lugar com o Raditz já saindo dela e falando "MORRA KAKAROTTO VOCÊ É UMA VERGONHA PROS SAIYAJINS EU SOU SEU IRMÃO E BLA BLA BLA AGORA VAI SE FODER" e então começa a luta entre eles.

Então... No fim da luta você solta um Kamehameha com o Goku e o Raditz morre... Ah sim, e o Goku também sabe usar o Kaio Ken nessa parte do jogo mesmo sem nem ter conhecido o Sr. Kaio que ensina isso pra ele na história original... E ele nunca conhece porque aparentemente ele não morre na luta contra o Raditz nesse jogo e absolutamente nada do que acontece é explicado, apenas é cortado pra próxima parte onde o Piccolo treina o Gohan... Mas peraí, como o Piccolo foi pro lado do bem sendo que ele nem sequer lutou ao lado do Goku contra o Raditz na história desse jogo e nem deu as caras antes? E por que o Goku deixaria o Piccolo, que até então é um inimigo dele, pegar o filho dele pra levar pro fim do mundo e treinar?

... E pra que eles estão treinando afinal? Quando o Raditz morreu não teve nenhum diálogo dizendo que mais Saiyajins estavam vindo pra Terra e nem nada, a batalha simplesmente acabou com o Goku e o Kuririn juntos derrotando ele. E... Ué, como eles sabiam que viriam mais Saiyajins pra Terra e por que o Nappa apareceu sozinho? O que diabos tá acontecendo? E de onde diabos o Vegeta surgiu depois? Ele chega do nada já falando pro Nappa se acalmar e tal como se tivesse observando a luta escondido por aí igual um ninja...

E aí quando tenta enfiar eventos alternativos no meio disso é pior ainda, porque depois o Raditz revive do nada e invade a terra junto com o Nappa que também era pra estar morto... E aí o Goku e o Piccolo enfrentam os dois dizendo que é a única forma de derrotá-los... Mas do que diabos vocês tão falando? O Goku derrotou o Raditz praticamente sozinho no começo da história e derrotaria o Nappa sozinho também já que nessa época ele tava muito mais forte... E de novo: POR QUE DIABOS O PICCOLO FICOU DO BEM? Isso aí era pra ter acontecido no começo do jogo ou o que afinal? Caralho, que lixo sem pé e nem cabeça!

Eu poderia continuar com mais perguntas sobre como essa bosta não faz nenhum sentido sendo fiel ou não à história do desenho, mas suponho que você entendeu o ponto... Quem diabos escreveu a história desse jogo afinal? Esse é sem dúvidas o pior retelling de uma história que eu já vi nos últimos anos, não tem como alguém que seja novo com Dragon Ball Z (sim, existe gente que nunca  parou pra ver o desenho) apreciar isso por causa do quanto essa narrativa é horrenda, e não tem como alguém que já conheça o desenho apreciar também porque vão começar a surgir essas perguntas na cabeça por causa desse lixo de narrativa. Sem brincadeira... Esses caras ao menos estavam tentando?

Mas por que essa cara de bunda, pessoal?


Sabe... Uma coisa que ficou muito boa em Ultimate Tenkaichi foram os gráficos e os visuais. Mesmo eu preferindo Burst Limit nesse quesito por ter um visual que se parece mais com o desenho assim como os jogos do Naruto, Ultimate Tenkaichi era bonito separadamente, os modelos eram bem feitos mesmo com as expressões faciais repetitivas, os cenários eram cheios de detalhes por toda a parte e os efeitos dos ataques são tão brilhantes e destrutivos quanto você esperaria de um jogo de Dragon Ball Z.

Então eu fiquei curioso pra ver o que fariam no próximo jogo quanto aos visuais, se consertariam as expressões faciais e o lip sync ou se tentariam de novo criar algo que seja mais próximo do desenho... Infelizmente, Battle of Z respondeu um "nhão" pra essas duas perguntas e mostra algo pior do que ambos... Os cenários são tão feios e sem vida que dizer que eles parecem ter vindo de um jogo de PS2 ainda seria elogiar demais e ao mesmo tempo criticar vários jogos de PS2 que têm gráficos melhores que isso, por exemplo os próprios Dragon Ball Z Budokai ou Tenkaichi.

Os visuais de Battle of Z só são bizarros com essas texturas ridículas, uma paleta de cores que só piora tudo e uma iluminação quase inexistente, o jogo parece que ou tem "luz" demais ou tem "escuridão" demais, fazendo os ambientes parecerem mais feios e inaturais do que já são.

Mas a pior ofensa tá nos modelos dos personagens e nas cutscenes... Meu Deus, eu achava que Ultimate Tenkaichi tinha expressões faciais e lip sync ruim? Esses aspectos estranhos de lá parecem obra de mestre perto dessa merda aqui! É hilário como quase toda hora os personagens vão estar falando sem nem abrir a boca ou abrindo/fechando a boca sem estarem falando nada, os lábios nem sequer foram animados ou editados apropriadamente pra se encaixarem com a dublagem, e os personagens têm expressões faciais quase inexistentes, sempre parecem estar bravos com alguma coisa, sempre olhando pra frente e abrindo/fechando a boca como se fossem bonecos... E pra piorar, eles têm esse efeito brilhante que faz com que eles pareçam feitos de plástico.


Não que as animações sejam muito melhores também... Nem nas cutscenes e nem nos combates alguma coisa impressiona nisso aqui, os personagens se movimentam assim como bonecos e nem de longe passam aquela sensação de fluidez que Ultimate Tenkaichi tinha nas animações, mas se eu tenho que dizer algo positivo sobre elas é que pelo menos nas lutas tudo é rápido o suficiente, mas fora isso... Battle of Z é realmente feio pra caralho e eu só conseguiria relevar isso se ele tivesse sido lançado em 2006 talvez.

E pra falar a verdade, até os poderes são meio decepcionantes, normalmente Dragon Ball Z sempre fez um bom trabalho em dar um eye-candy replicando tanto a ação do desenho quanto os poderes, as explosões e toda a destrutividade que acontece nas lutas. Battle of Z por sua vez não consegue fazer isso nem com animações legais e nem com os efeitos dos poderes que são medíocres na melhor das hipóteses.

Será que o orçamento desse jogo foi tão baixo assim? Porque é inacreditável, não existe justificativa pra um retrocesso como esse nos gráficos depois de terem acertado várias e várias vezes antes! E não é como se Dragon Ball Z ou animes no geral fossem algo realmente difícil de reproduzir fielmente, basta você conhecer o material e se esforçar pra reproduzir aqueles locais/ataques/visuais/etc fielmente com cell-shading ou qualquer outro estilo gráfico que você for usar nisso.

Eu já ouvi dizerem que esse jogo foi baseado em um outro de Arcade chamado Dragon Ball Zenkai: Battle Royale e tenta replicar os visuais e mecânicas de lá ou algo assim... Pelo menos a parte dos visuais eu já sei que não conseguiram, porque claramente dá pra ver que isso é muito mais bonito e detalhado do que isso.

Me acordem quando eu precisar parar de metralhar Y


Antes de prosseguir com essa review, eu quero que você me responda uma pergunta: O que você achou de Ultimate Tenkaichi? Achou que era um button masher misturado com pedra-papel-e-tesoura que ficou monótono depois de 20 minutos de jogo porque todos os personagens são quase a mesma coisa? Se a sua resposta for exatamente essa... Oh, garoto... Você vai odiar Battle of Z mais do que o Doutor Renato Aragão odeia pessoas que o chamam de Seu Didi. O negócio é que Battle of Z consegue ser mais button masher ainda ao mesmo tempo que tenta ter alguma complexidade que no fim das contas só torna o jogo pior, ao contrário de Ultimate Tenkaichi que era simples e ao menos funcionava porque... Era simples.

Aqui você pode usar até 4 personagens nas lutas e eles são divididos em quatro classes que são até auto-explicativas: Fighting Type que é o playboy porradeiro, Ki Blast Type que seria o cara que fica mandando poder à distância, Support Type que representa o "healer" do negócio, e por último o Interference Type que é aquele cuzão que só sabe avacalhar com o que os outros tentam fazer. E na teoria isso é bom pra diferenciar os tipos de personagens com os quais você luta, e com aquela barra em cima chamada Genki que é basicamente a sua fonte de energia principal pra executar seus Kamehamehas e Big Bang Attacks, Masenkos ou qualquer outro ataque de qualquer personagem que te vier na cabeça... Isso me lembrou um pouco de Dragon Ball Z: Legends, um jogo pro PS1 que tem um conceito um pouco parecido.

Mas apesar desse conceito, não tem nenhuma grande diferença entre esses personagens ou o modo como você os controla, e assim como Ultimate Tenkaichi... Todos eles têm o mesmo gameplay e o único diferencial é que eles são um pouco mais eficientes em uma coisa específica como recuperar a vida do aliado mais rápido, causar danos maiores com Ki Blasts ou ataques físicos, etc... E todos eles têm apenas um único moveset limitado. Você pode controlar apenas um desses 4 personagens, ok, mas se você espera uma lista com uma porrada de combos diferentes pra executar com esse personagem, pode se preparar pra brocha... Porque não tem. O seu único combo é o de metralhar Y consecutivamente até que seu personagem termine o combo isolando o oponente dele pra que você talvez possa persegui-lo uma única vez apertando Y novamente e dando um outro golpe... Yep, acabou.

Fora isso você tem os Ki Blasts, uma técnica especial pra cada personagem como Kamehameha pro Goku, Big Bang Attack pro Vegeta, acho que a Death Ball pro Freeza, e por aí vai... E eu vou ser bem franco, nenhum desses ataques é satisfatório de executar, além de todos eles dependerem da barra Genki ali em cima pra serem usados, eles não têm quase nenhum impacto de verdade e alguns como o especial do Trunks são quase inúteis porque os inimigos precisam estar em posições específicas pra dar certo... No caso desse, o inimigo tem que estar bem em cima de você pro raio de energia acertá-lo, mas a câmera é uma bosta e não mostra o alvo direito a menos que ele esteja pelo menos um pouco distante de você... E estar logo acima não é uma distância da qual a câmera é boa em mostrar o ângulo. Diabos, a câmera era horrível em mostrar personagens que estão bem acima de você desde os Budokai Tenkaichi, mas pelo menos lá você não dependia disso pra poder executar algum ataque especial!

A barra de Ki também ficou quase inútil já que não é possível recarregá-la e você só usa elas pra fazer Ki Blasts ou algum ataque especial de curta distância tipo Kaio Ken que só serve mesmo pra chegar perto do inimigo mais rápido já que o dano é ridiculamente pequeno.

E sim, eu estou reclamando do moveset limitado quando se trata do que um personagem sozinho pode fazer até então, numa luta de 1 vs 1 é apenas isso...

"afe mas esse jogo não é pra ser jogado com 1 personagem sozinho vs outro"

Foda-se! Foda-se mesmo, sabe por que? Porque se esse jogo fosse tão raso com só um personagem lutando contra outro, por que diabos ele te deixa usar um único personagem pra lutar contra outro? Ele podia ao menos te limitar e dizer que era obrigatório escolher dois personagens ou mais. Pra que se importar em botar um modo de 1 vs 1 se as lutas basicamente se consistem em ficar metralhando Y e fazendo um único ataque em perseguição? O que aconteceu com toda aquela variedade de combos complexos e correntes de ataques que tinha nos jogos de Dragon Ball Z do PS2? Por que caralhos esses caras sentem essa necessidade de mexer onde não deve ao invés de evoluir? Ninguém liga pra "mudanças", todo mundo só quer algum sucessor digno de Budokai Tenkaichi 3, é tão difícil assim superar aquilo com um hardware mais avançado?

Jesus, como isso é estúpido!


Mas tá, vamos dar uma olhada nas lutas em equipe então que realmente são menos horríveis do que as lutas solo... Eu digo isso porque eu não consigo encher meu peito e falar que Battle of Z fica bom assim, só que fica "menos pior" por falta de algum termo melhor pra se usar aqui. Como eu havia dito antes, você só pode perseguir seu inimigo voando no ar e acertando ele uma vez, o resto da perseguição é obrigatoriamente executado pelos seus aliados que são controlados pela I.A ou por outros jogadores online se por acaso você encontrar três outros coitados masoquistas que estejam jogando isso.

Não só esses ataques aéreos devem ser sincronizados como toda a profundidade do jogo está em executar ataques em equipe sincronizados com seus parceiros, e assim ele deixa de ser raso pra tomar a profundidade de uma piscina de plástico. Basicamente, pra usar os ataques sincronizados, basta atacar o oponente ao mesmo tempo que seu aliado e aí se inicia esse ataque, e eu admito, isso é uma ideia bem legal olhando por um lado, assim como as perseguições em time também são... Mas Battle of Z é um jogo tão horrível que caga em cima até disso.

Apesar da ideia ser boa, esse conceito só funciona mesmo quando você tá jogando com outros jogadores online, porque a I.A desse jogo é horrenda! A maioria dos personagens não fazem absolutamente nada e sempre quando eu mando algum inimigo meu pra longe, eles meio que ficam decidindo se estão ou não estão afim de me ajudar com os meus combos aéreos já que eu não posso fazer porra nenhuma sozinho. E isso é um problema porque ao contrário de você, a I.A não fica muito atenta a essas coisas e acontece de um combo não passar do primeiro hit ou então parar sem mais e nem menos com a mesma frequência em que a câmera te atrapalha.

Nisso você fica lutando não só contra os seus inimigos mas também com a burrice da I.A... Mas já que eu mencionei a câmera, você vai adorar saber que ela te atrapalha a desviar de ataques de outros inimigos também... Aliás, sim, esse jogo fica uma bagunça quando mais de um inimigo resolve te atacar, é golpe vindo de tudo quanto é lado e a maioria é impossível de desviar porque não só a câmera se foca apenas em um personagem como a mecânica do jogo não te permite atacar mais de um, os seus ataques se focam só naquele personagem que está com o lock-on e fora isso você fica levando porrada sem nem saber de onde veio, e às vezes mesmo com meus aliados idiotas lá do meu lado isso acontecia porque às vezes a maioria deles se focava em um só inimigo enquanto eu tô lá encarando os outros três deles e sendo arrombado por eles.

E não é como se os próprios ataques em equipe e sincronizações fossem sem problemas também quando é basicamente impossível escapar deles independente de qual botão você aperte ou o que for... E de novo: Por que? Nos outros jogos quando você estava sendo arrebentado pelo seu oponente e sendo ricocheteado por ele em todas as partes, era possível sair desse ataque se você conseguisse apertar algum botão bem rápido enquanto ele vai caindo no ar, e assim ele teletransporta e sai da corrente de ataques, às vezes podendo até ir parar atrás do inimigo e acertar ele, assim fazendo com que você comece a sua corrente de ataques agora... Aqui não, assim que você é pego no meio de um desses ataques, você é obrigado a ficar vendo os inimigos te espancando até eles terminarem e você poder se mover novamente.

E... Pois é, acabou por aí, os combates desse jogo são tão rasos que eu não tenho muito mais o que falar além de que é ofensivamente raso com um só personagem e um pouco menos em equipe... O que mais eu poderia dizer? Que os personagens podem recuperar as vidas uns dos outros nos combates? É, ok, os personagens podem se curar nos combates, legal... Aí você vê que a I.A do jogo também é uma merda pra isso porque eles demoram um ano pra notar que você está com vida baixa ou foi nocauteado e necessita de energia pra voltar pra luta... Mas puta que me pariu, hein? Parece que qualquer coisa que eu tento falar positivamente sobre esse jogo é atrapalhada por alguma coisa mais problemática dele, isso é um desastre sem tamanho!


Mas ok, tem uma coisa nesse jogo que eu acho razoavelmente divertida sim... E eu me refiro ás batalhas contra os bosses gigantes quando falo disso, em específico lutas como as do Vegeta/Gohan/Bardock transformado num brasileiro tamanho família, o Metal Cooler na Big Gete Star e o Hirudegarn, Coisa que ironicamente eu achei um saco em Ultimate Tenkaichi por causa de como o jogo limitava os seus movimentos mais ainda e as lutas sempre se consistiam em esperar o boss dar a brecha óbvia pra atacar ele.

Aqui no entanto não, você tem a mesma movimentação de sempre e pode acertar o boss a qualquer hora desde que você tome cuidado, então você pode rodear ele e usar a área aberta ao redor o quanto quiser, e isso incrivelmente funciona! É legal atacar um boss gigante junto com seus amigos, com todos mandando poderes nele, tomando cuidado com os ataques, memorizando os padrões e a câmera não te atrapalha dessa vez já que os monstrengos são enormes e lentos.

Sabe... Se Battle of Z tivesse mais lutas desse tipo, eu provavelmente até diria que esse jogo pode ser divertido, mas essas lutas acontecem bem raramente e em maior parte são só no final de capítulos específicos onde você passou o tempo todo sofrendo com as lutas normais... Então não vale a pena mesmo que essas partes do jogo realmente funcionem e sejam surpreendentemente divertidas, veja elas como as fases do Sonic ou do Shadow em Sonic Adventure 2... Só que em menor quantidade enquanto o número de fases dos outros personagens chatos é dobrado.

Eu nunca joguei Battle of Z no Multiplayer Co-Op, admito, mas não vejo como ele ficaria muito melhor já que mesmo com as equipes e tudo os seus ataques ainda são limitados e não tem muito mais o que fazer além de usar as perseguições e ataques sincronizados que têm as mesmas animações e não variam em quase nada, além de, é claro, ser impossível escapar de tais coisas. É um jogo repetitivo e sem muita coisa pra fazer no fim das contas independente de um Multiplayer deixar melhorzinho ou não.

E... Sabe aquela propaganda toda de que o jogo tem mais de 80 personagens e tem um cast de personagens maior do que os dos outros jogos de Dragon Ball Z lançados nessa geração? Eu sinto dizer que isso não passa de uma porra duma mentira... Sim, são 80 personagens ao todo, porém eles não mencionaram em momento algum que uns 50% desses personagens são apenas transformações de personagens já existentes e eles têm seu slot separado na seleção de personagens contando como personagens separados ao invés de transformações selecionáveis quando você escolha tal personagem e aí abre os slots das transformações... Mas ei, esse é o primeiro jogo que tem o Bills e o Goku Super Saiyan God como jogáveis, então... Yay?

Olha, não é por nada não... Mas eu arrisco dizer que Battle of Z não tem nem 40 personagens sem contar as transformações, e isso é ainda menos do que os outros... Talvez só Burst Limit tenha menos personagens, mas todos os outros têm um cast maior. E mesmo assim, vamos nos lembrar que Budokai Tenkaichi 3 que é um jogo de uma geração passada tem 161 personagens dos quais mais da metade são personagens em suas formas normais, sem contar transformações ou variações e nem nada.

E não tem muito mais coisa pra fazer nesse jogo também além de lutar online ou offline, não existe um modo World Tournament ou Endurance ou nada do tipo que você normalmente vê em jogos de Dragon Ball Z. E se Ultimate Tenkaichi te deixava criar seu próprio personagem (mesmo com as opções de edição mais limitadas que eu já vi em memória recente), Battle of Z só te deixa mudar as cores das roupas dos personagens e mais nada... Então se por acaso você sempre sonhou em montar um time de Gokus com roupas de cores diferentes pra lutarem juntos por algum motivo... Esse é o jogo pra você... Eu acho...

... Porra, quem diabos ia querer fazer isso? Isso aqui é Dragon Ball Z e não uma porra dum show do Restart! Guarda as suas viadagens pro Naruto, obrigado!

Pois é, estamos falando de um jogo pra um console mais avançado do que os outros do PS2 que tinham muito mais variedade de ataques e movimentação! Mesmo assim Battle of Z consegue ser mais limitado, mais feio e ter menos conteúdo do que seus antecessores, é assustador até onde a incompetência de uma desenvolvedora pode ir... Eu ainda não sei por que não dão Dragon Ball Z pra CyberConnect2 ou então pra alguma outra desenvolvedora que vá dar um tratamento adequado à um jogo da série, porque isso aqui consegue ser ainda pior do que os últimos jogos.

Trilha sonora apropriada, mas nada memorável


Eu não sei por que, mas eu não consigo gostar muito das músicas desses jogos de Dragon Ball Z que vieram após o PS2... Não tem nada de errado com as músicas desse ou dos outros, eu só não consigo lembrar de quase nenhuma nem se a minha vida dependesse disso. Por acaso aconteceu alguma coisa? Era algum compositor que saiu da Bandai/Namco e aí deu lugar a um outro que é aparentemente pior? Não sei, talvez eu dê uma olhada nisso depois, mas não agora.

Mas deixando isso de lado... Battle of Z tem uma trilha sonora que pelo menos parece apropriada pras lutas, são aquelas músicas de rock agitadas e algumas variações orquestrais de vez em quando que estão nos jogos da série há um tempo... Elas se encaixam bem com as lutas que são meio rápidas e tal, porém eu acho que... É isso, elas só estão lá, não consigo nem pegar alguma em específico que realmente tenha me chamado atenção.

Estranho... Eu nunca entendi muito bem essa associação de Dragon Ball Z com rock já que o desenho pelo que eu me lembre tinha uma trilha sonora quase toda orquestrada... Mas eu não vou começar a reclamar disso aqui já que os do PS2 também têm trilhas sonoras desse tipo e elas são boas.

E a dublagem... Bem... O que eu posso falar sobre ela que já não foi falado antes? É uma das poucas dublagens americanas de jogos japoneses que eu de fato prefiro ao invés da japonesa que eu não suporto... Então eu meio que iria preferir ouvir até a dublagem da versão de Portugal de Dragon Ball Z do que a japonesa onde todo mundo parece que respirou gas hélio antes de dublar...


... Ok, eu retiro o que eu disse.

Mas no geral... Eu não tenho muito o que falar da dublagem em si, ela é boa assim como foi nos outros jogos e não é muito diferente, apesar de eu odiar a voz de moleque retardado que o Gohan americano tem desde a dublagem nova que apareceu em Dragon Ball Kai.

Considerações finais

Ugh... São jogos como Battle of Z que fazem com que eu me pergunte por que eu ainda vou atrás de jogos novos de Dragon Ball Z esperando que sejam bons, esse jogo só não é pior do que o de Kinect... Mas também como eu disse antes, eu duvido que seja humanamente possível fazerem pior do que aquilo. Entre os jogos principais de Dragon Ball Z, Battle of Z é o pior que apareceu nessa geração e um dos piores que já surgiram com a marca da série.

Se bem que olhando por outro lado... Eu não tinha expectativas muito altas com Battle of Z porque já achava ele feio pra caralho só pelas screenshots e pelos vídeos que saíam, porém acabei pegando porque eu não tinha mais nada pra jogar e gosto de Dragon Ball Z... Inclusive eu voltei a jogar a HD Collection com os Budokai que eu nem lembrava que tinha pego e estou me divertindo muito mais revisitando Budokai 3 do que jogando essa merda de jogo que é o assunto da review.

Enfim... Mais um jogo de Dragon Ball Z ruim pro catálogo e eu ainda fico na esperança de que talvez lancem algum jogo dessa série que seja tão incrível quanto Tenkaichi 3 foi... Quem sabe depois no PS4 ou no Xbox One, porque eu sei que pra sétima geração não deve sair mais nada já que ela tecnicamente acabou.

Prós:

+ As lutas contra bosses gigantes são divertidas.
+ Os ataques em equipe são admitidamente uma ideia boa que eu espero que volte com execução melhor.
+ Dublagem boa como de costume.

Contras:

- Gráficos horrorosos.
- História mal contada e sem qualquer contexto.
- Câmera abismal.
- A I.A claramente não foi programada direito.
- Gameplay raso e repetitivo.
- Cast medíocre de personagens.

Gráficos: 4/10
Enredo: 2/10
Gameplay: 3/10
Som: 5/10
Conteúdo extra: 4/10
Veredicto:

{ 40 comentários }

  1. Achei que tu tinha gostado do Ultimate Tenkaichi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei mais ou menos na época em que eu fiz a review dele, mas depois de um tempo ficou tedioso porque eu me toquei que ele era raso ao ponto de todas as lutas parecerem a mesma coisa.

      Mas é melhor do que isso aí porque pelo menos funciona direito.

      Excluir
    2. Você demorou tanto assim pra ver que esse jogo é chato? Eu fiquei uns 30 minutos achando legal e depois parei.

      Excluir
  2. VEGETAAAAAAAA OLHA BEEEEEEEEEEEM WOOOOOOOOOOOOW

    Que dublagem, que dublagem!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não viu nada ainda, pesquisa "Dragon Ball Z Portugal" no Youtube e se surpreenda.

      Excluir
    2. http://www.youtube.com/watch?v=P5T2n-pgA08

      EHEUHEUHUEHUHEUHEUHEUHEUEHUE

      Excluir
    3. "estás a minha mercê meu kiridu"

      Que bosta.HSDAIEUHDAOIEUDHEOAIHDSOIEAHDIOAE

      Excluir
  3. nada como um post do ryu falando de um jogo ruim pra ler de madrugada

    você só posta de madrugada cara?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais ou menos, de madrugada eu costumo ter mais inspiração, mas por outro lado tem pouca gente online.

      Excluir
  4. Sabe o que eu acho? Você espera demais de jogos de DBZ só porque um ou dois foram bons e por isso se decepciona tanto.

    Convenhamos, dos jogos de PS2 os únicos que são realmente bons até hoje são o Budokai 3 e B. Tenkaichi 2 e 3, a maioria dos outros envelheceu um pouco mal. Mas eu concordo que esses são realmente bons e é uma pena que não tenham alcançado a mesma qualidade (apesar de eu ter gostado dos Raging Blasts) que os jogos mencionados obtiveram.

    Só que pra mim tanto faz, eu sei que DBZ tem mais jogos ruins do que bons e por isso não consigo me hypar nem um pouco quando algum é anunciado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez, mas não muda o fato de que já fizeram muito melhor do que esses jogos de Dragon Ball Z que fazem hoje em dia.

      Excluir
    2. Eu concordo, também nunca fiquei correndo atrás desses jogos, só jogo o BT3 que é o meu favorito deles.

      Excluir
  5. Já eu nem sabia que esse jogo existia, só descobri agora com essa review.

    ResponderExcluir
  6. Só baixei a demo e odiei por causa disso de ter só um combo, pensei que no jogo final ia ter como abrir mais evoluindo os chars...

    Eu ia comprar esse jogo só porque gostei dessa coisa das lutas serem 4 vs 4, mas pelo visto não é um bom investimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nah, não vale a pena.

      Porém tu pode comprar Budokai HD Collection se gostar do 1 e do 3. São jogos velhos, mas pelo menos são bons.

      Excluir
    2. Mas eles trocaram as músicas, é estranho jogar o Budokai 3 com essas músicas novas.

      Excluir
    3. Verdade, não gostei das músicas trocadas também.

      Excluir
  7. Que? Tendi nada dessa história aí

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vai entender muito mais se pegar o jogo pra jogar.

      Excluir
  8. Na verdade os jogos mais antigos de DB tem músicas orquestradas, você deve lembrar principalmente do Final Bout que apesar de ser uma merda de jogo tinha umas músicas bem fodas.

    http://www.youtube.com/watch?v=GktS5yG6E8U

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhh é, eu esqueci disso... A OST do Final Bout até que é boa mesmo, e eu lembro que nos de SNES também eram OSTs orquestradas, algumas músicas do Final Bout se eu não me engano são remixes das que tinham nos de SNES.

      Excluir
  9. PQP EU TO CHORANDO DE RIR DESSA DUBLAGEM DE PORTUGAL

    ResponderExcluir
  10. Daqui a pouco vem galego da tribogamer falando que você não curtiu o jogo só por causa do gráfico

    ResponderExcluir
  11. "em específico lutas como as do Vegeta/Gohan/Bardock transformado num brasileiro tamanho família"

    AUEHAIUEHAIUEHAIUEHAIUEHAIUHEIUAHEIAUE

    ResponderExcluir
  12. Caramba, acho que esse Battle of Z tem o pior enredo de um game de DBZ EVER! Eu até estava pensando em experimentar esse jogo, mas estava duvidando da qualidade dele, visto que a maioria dos games de DBZ da sétima geração foram ruins ou no máximo, medianos. Porém, como ele é meio que o ''último'' dessa geração passada, eu esperava que ele fosse melhor do que os outros, aliás, isso é algo esperado por qualquer um, nada mais normal que isso. Mas pelo visto é mais um fiasco, esse review só confirmou as minhas suspeitas, esse jogo não só continua com problemas antigos de jogos DBZ's passados, como também ADICIONA NOVOS! Saudades do meu Dragon Ball Z Budokai Tencaichi 3, que rendeu boas jogatinas com meus amigos e quase gerou porradas na vida real entre nós, a competitividade que esse jogo proporcionava no modo multiplayer era alta, e eu sempre emputecia os meus amigos usando os combos de espada do Tapion huahuahuhua! Aliás, sinto falta desse personagem nos jogos de DBZ recentes, não sei se esse novo tem, mas os que eu joguei não tinham ele, eu acho o arco do Tapion/Hirudegarn um dos melhores de toda a série, e o melhor filme, na minha opinião.

    E é de impressionar que ainda existem fãs que defendem a dublagem japonesa, nunca consegui levar a sério aquela voz de Anderson Silva que o Goku tem, simplesmente não dá, a dublagem do Bezerra e CIA simplesmente detona a dublagem japonesa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior disso é que até os jogos similares ao Tenkaichi 3, no caso os dois Raging Blast, são inferiores e têm menos conteúdo sendo que era pra ser o oposto. Eu não sei o que deu nesses caras, se são os mesmos desenvolvedores ou o que for, mas é assustador o modo como jogos de Dragon Ball Z caíram depois do PS2, antes eles tavam entre os melhores jogos baseados em anime e agora viraram... Isso.

      E eu creio que seja uma mulher que dubla o Goku na versão japonesa, mas não tenho certeza também porque não sei da história dessa dublagem... Porém eu acho quase todas as vozes irritantes com esses pitches altos, a do Bardock consegue ser ainda pior que a do Goku.

      Excluir
    2. Dessa 7ª geração, eu acho que os Raging Blast foram os melhores, mas como você disse, eles estão bem longe em termos de qualidade técnica da série Budokai Tenkaichi. E sim, é uma mulher que dubla o Goku. Eu acho que nem sempre esse lance de mulheres dublarem personagens masculinos dá certo. O DBZ é um desses casos. O Tails se não me engano é dublado por uma mulher, e nem assim fica muito estranho.

      Excluir
  13. Só eu gosto mais do Budokai Tenkaichi 2 do que do 3?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu prefiro o Story Mode e a OST do 2, mas de resto o 3 é superior, tem um gameplay mais dinâmico, mais personagens, mais cenários... Era o "simulador" de Dragon Ball Z perfeito.

      Excluir
  14. Ryu vc gostou do filme da batalha dos deuses?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei, mas tem filmes de Dragon Ball Z melhores.

      Excluir
  15. e ai qual é pior, o dragon ball z para kinect ou o a versão para psp do shitty movie Dragonshit Evolution?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O de Kinect, pelo menos o Evolution chega a ser engraçado de tão ruim.

      Excluir
    2. e o que acha do dragon shit evolution?

      e por que a imagem do tom na linha do trem, isso tem a ver com o sonic boom?

      Excluir
    3. O jogo eu joguei pouco, mas achei ele tão engraçado quanto aquele Street Fighter: The Movie pra PS1.

      E essa imagem... Sei lá, faz tanto tempo que eu a uso que eu acho que acabo esquecendo de trocar.

      Excluir
  16. Infelizmente era de se esperar

    ResponderExcluir
  17. Só de jogar a demo dele me senti ofendido e quase taquei o controle na TV. Acho que um dbz novo nas mãos da CC2 ou voltar pra dimps seria uma boa até, já que a spike tá muito preocupada com danganronpa :v

    ResponderExcluir
  18. Esse jogo e ruim mesmo, tinha um jogo do Dragon Ball z no Play1 muito parecido e da de 10 a 0 nesse, fechei esse ai só por obrigação.

    ResponderExcluir
  19. Realmente cagaram no pau com jogos de DBZ depois do PS2...

    ResponderExcluir

- Copyright © Blog do Ryu - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -