Posts Populares:

Archive for Agosto 2012

Relendo o Passado: Nintendo World

By : Natalia Nee-Sama

 
Mais uma serie que crio para este blog, mas é uma mais nostálgica do que alfinetadas... quase.

E é isso mesmo que está no titulo, vamos viajar ao passado, e vermos revistas de games antigas(extintas ou não), apenas por nostalgia e diversão.

Antes do advento da internet, uma de suas únicas opções para desencalhar em uma parte do jogo(tirando a opção de chamar um amigo que já terminou para te falar como se passa) é comprar uma revista de game, e rezar para ela ter um artigo ou detonado do jogo que você está jogando. Sim, era bem difícil, sem as facilidades que o Google ou a GameFaqs nos trás. Se o jogo for um jogo obscuro, Jesus tenha piedade de sua alma. É capas de você ficar 10 anos(como eu) sem terminar, para um dia com um emulador e um FAQ, finalmente ter a sorte.



Ação Games, Gamers, X-Games, GamePower são uma das revistas que comprei, mas nenhuma delas se destaca na minha coleção como a revista Nintendo World.

Lançada em Setembro de 98, a revista que continua até hoje, custava 4,90 inicialmente (uma facada para época, acredite), mas para alguém que tinha um SNES e um Nintendo 64, era a melhor revista que avia. Sempre tinha detonados dos melhores jogos. E é basicamente a única revista que colecionei com meu irmão 100% até 2005, quando achei que a revista perdeu o gás.

Vamos então falar um pouco mais da revista:

Primeira Edição e desenvolvimento

A primeira edição é a mais simples de todas em revistas, mas até que começou bem. Comprei pelo detonado parcial de Banjo-Kazooie(Peças malditas), e comprei a edição numero 2 pelo resto, e andei comprando.

O desenvolvimento da revista foi rápido, como eles eram parceiros da Nintendo Power (revista americana da Nintendo) que enfim era parceira da própria Nintendo of America, eles recebiam informações fresquinhas diretas da fonte, como por exemplo, a primeira imagem do que viria ser o excelente The Legend of Zelda: Majoras Mask.


Mas como eu disse, parece que a revista perdeu um pouco do gás na ultima decada. Comprei a edição mais recente e acho que ainda está meio paradão. O maior problema disso é que não se acha scanners facilmente da revista. Tive que eu mesma scaniar algumas revistas minhas para fazer uma matéria interessante.

Agora chega de historia e vamos para a partes engraçadas e interessantes que achei em certas edições da revista. Como não tenho scanner e uso de uma amiga, não pude escaniar muita coisa, mas vai dar para o gasto.

Foleando

OMG! WTF é isso? Serio, esse comercial me deu PESADELOS, e não estou brincando. Apenas imagine ser uma criança de 9  anos e ver essa imagem na sua revista de games. É como aquela edição da Nintendo Power com o Simon segurando a cabeça do Drácula, é puro “Nightmare Fuel”.



Arg..... apenas.... arg.... além de barro, o que essas manchas parecem? Parecem que alguém precisou ir ao banheiro e usou um controle de Nintendo 64 ao invés de papel. ARGH! Eu sei que é barro, mas a primeira impressão que eu e meu irmão tivemos é “Porque o controle ta cheio de coco!?”



Depois a gente chama uma pessoa de jumenta e estamos sendo intolerantes. Esse artigo era 50 dicas sobre Super Mario World, e todas elas eram bem plausíveis e validas para uma pessoa ter dificuldade nelas.... tirando a questão numero 2.

Cara... a pessoa que enviou a questão deve ser a mais preguiçosa da face da Terra. Em qualquer game, quando encontramos uma porta ou objeto peculiar, tentamos usar qualquer combinação de botões para acionar a tal coisa. O que custa a pessoa ter tentado apertar botões na frente da porta e ver se algum funciona?

Isso fica mais estupido pelo fato de você precisar apenas apertar Para Cima em SMW para abrir uma porta. A um beco sem saída por esse exato motivo, te ensinar a abrir a maldita porta! Me surpreende como uma pessoa assim consegue até mesmo ligar o SNES...



Não minha senhora, você comprou um Nintendo 64 por 800 mangus não porque foi enganada, mas porque não pesquisou preços. SEMPRE, sempre quando vamos comprar alguma coisa, QUALQUER COISA, pesquisamos os preços e vemos qual preço sai mais em conta. E não, não compramos a primeira oferta que vemos, pessoas normais que não gostam de se foder na vida sempre procuram pesquisar outros preços ou o valor do item que compra.

Agora, se você joga dinheiro fora, a culpa não é do vendedor...



Hahahahahahaha.....
Halo em um console da Nintendo? O rapaz é um comediante! Hahaha!



21 em cada perna! Serio, não uma especialista em The King of Fighters ou Fatal Fury, mas duvido muito que a Mai Shiranui, na edição de 2002 do torneiro, tenha 21 fucking anos. Talvez não seja erro da revista, e sim da SNK. Mai Shiranui está no jogo desde da edição 94 do torneio, e, a não ser que ela tenha aqueles peitos e bunda de fanservice quando adolescente, ela tomou a poção da juventude eterna. Acredita que a Nintendo diz que a idade oficial do Mario é 25? Lol?!

Alias, esse artigo era para comparar o que cada game de luta tem de melhor, e que historia é essa de “Gata do Game?”. Fico imaginando que meninos só jogam jogos de luta para ver mulher se pegando, e falando “Só falta o gel ou a lama!”. E não, não fico olhando aqueles músculos bem tonados, sorriso juvenil, e braços grossos que o Kyo tem........... droga....

Enfim, porque ela mereceu nota 10? Só porque ela tem bunda grande e anda de fio dental por ai? Quer dizer que se eu entrar de fio dental na sala do vestibular, ganharei nota máxima também?


QUEM DIABOS ERA O MACACO DO B.J.?

Esse artigo estava no preview de Donkey Kong 64, mostrando os macacos mais famosos. Chita e King Kong tudo bem... mas que raios é esse macaco do B.J.? De uma serie americana dos anos 70 que eu nunca ouvi falar? Pensei que o artigo era sobre macacos famosos, e não “Macacos famosos para o editor do artigo, mora?”.



Depois de um tempo, a Nintendo World começou a colocar quadrinhos feitos de animes, estilo Pokémon Club que fazia isso com episódios de Pokémon. E digo que.... é okay... mas as vezes fica sem contexto sabe. Prefiro assistir um anime em si do que o Storyboard dele.


Comparação legalzinha que fizeram.
Se fizessem essa comparação hoje, o ultimo quadrinho seria um tumulo azul escrito “R.I.P.”


Ate que foi engraçado algumas dessas questões, admito.

Problemas com o Sonic


Esse parte do artigo ira fazer o Ryu se revirar como cobra que tomou um tiro. Estranhamente, a Nintendo World, uma revista da Nintendo, SEMPRE elogiou os jogos do Sonic, e dificilmente dava uma nota baixa depois que a Sega parou de fabricar o Dreamcast e passou a desenvolver para outras plataformas. E eles tinham a estranha mania de se referir ao Tails como “ela” do que “ele”. SEMPRE. Nem sei se isso finalmente terminou, mas num review de Sonic Advance, eles falaram na cara dura “Tails da um toque feminino ao jogo com Amy Rose”. Pobre Tails....



Ah.... NOPE.AVI....




Eric, tu tens merda na cabeça…

Se Sonic Heroes é bom ou não está para total debate, mas uma coisa que é clara é: Não é um returno as origens(Se for o caso de Cenários, sim, mas o jogo não), não é tudo que os fãs queriam em um jogo 3D, e não, não consegue competir com Super Mario Sunshine(Apenar de Sunshine ser um dos piores jogos de Mario).



Não sinto tanto ódio por Sonic Adventure como o Ryu, acho ruim, mas não o odeio, até gosto de jogar de vez em quando, assim como acho FFVIII ruim mas adoro jogar. Porem, a parte que me intriga nesse Review é “A única coisa ruim é a câmera, so por isso não ganhou 10” no final dela. Pfff... A câmera era apenas a cereja no topo do bolo, querido. Serio, mesmo sendo a versão DX do jogo, muitos dos bugs e problemas do Dreamcast está ai. Se não concorda, vá pescar com o Big vai....


Arg... pelo menos temos uma entrevista com Yuji Naka no review de Billy Hatcher and the Giant Egg. 

A Naka Naka... queria trazer tudo da Sonic Team de volta. Ristar mandou lembranças viu?

Enfim, tem muito mais besteiras que gostaria de mostrar mais o artigo ficaria longo para dedeu, e espero que tenham gostado de uma viagem no passado. Qual revista devo analisar mês que vem? 

Deixem suas sugestões se possível!
E até a próxima.

Dark Castle

By : Ryu

Eu já tava recebendo um monte de pedidos pra analisar algum jogo ruim, ou horrível de preferência... Então, eu estava de boas no meu MSN conversando com uma amigay minha que manja de jogos, eu mencionei que tem gente me pedindo pra analisar algum jogo ruim porque faz tempo que eu não o faço porque não tenho nenhum jogo novo ruim em mente pra analisar, até que ela mandou um "Não, mas existem jogos antigos ruins. 8D", e me lembrou de um jogo do Mega Drive chamado Dark Castle...

Eu fui com bastante cuidado pra baixar e jogar isso e aí...

Salsicha contra o Cavaleiro das Trevas


Então, você tem a tela de título, que até não é muito ruim, digo... Ela tem aquele ar sombrio, depressivo, afinal aparentemente a temática do jogo seria algo assim, é o suficiente.


Então, depois da Title Screen do jogo, eu realmente não faço a menor ideia do que está acontecendo, assim que se aperta Start e escolhe as configurações do jogo como dificuldade, sons, etc, você vai pra essa tela que mostra... O Salsicha do Scooby Doo em frente a um monte de salas com pontos de interrogação e outros sinais, inclusive um do meio que diz "BK".

Pelo que eu entendi, o Salsicha entrou nesse castelo porque... Sei lá, o Scooby ficou perdido dentro dele? Enfim, tem o Cavaleiro Negro dentro desse castelo, que aparentemente é o vilão principal do jogo e a sala "BK" significa "Black Knight", a sala dele, e é claro que também tem uma caralhada de outros bichos como fantasmas, executores, dragões e por aí vaí, nada disso faz muito sentido...

Aliás é algo bem misterioso mesmo, um castelo mal assombrado, o Salsicha, o Cavaleiro Negro... Por acaso esse é um jogo baseado em Scooby Doo, mas esqueceram de colocar o nome dele? Enfim, eu sei que o Cavaleiro Negro é mau, e eu como o Salsicha devo passar por todas as salas e derrota-lo, só.

Um castelo sombrio com inimigos cartunescos... Faz sentido


Enquanto a parte gráfica de Dark Castle não é exatamente ruim, ela não é nada muito impressionante também, claro, os cenários ainda são escuros, sombrios, tem salas de tortura, cavernas, salas escuras, mas nada é excessivamente detalhado, só acho as animações do Salsicha meio estranhas, não sei se é culpa do fato do jogo ter controles mais travados que tudo ou se é assim mesmo.


Mas o que torna esse jogo é a incoerência dos inimigos para com os cenários, eles são cartunescos demais e as vezes parecem coisas vindas de filmes infantis da Disney, até a porra do dragão que aparece não é nem um pocuo assustador, você pode ver ele na screenshot acima. E não é só ele, tem vários outros tipos de inimigos que ficaram nesse estilo e até relógios com braços e pernas (WTF?) que fazem um barulho irritante que é tipo um "Mimimimimi" ou algo assim, isso acaba quebrando totalmente o clima "assustador" do jogo, já que nenhuma das ameaças do castelo parecem... Bem... Ameaçadoras.

Eu peguei câncer com o gameplay desse jogo


... Por onde eu começo a falar do gameplay desse jogo? Será pelos controles? A dificuldade totalmente injusta? As leis da física quebradas? O fato do Salsicha morrer por qualquer coisa? Se tem algum jogo do Mega Drive que chega a ser injogável, Dark Castle seria esse jogo.

Primeiramente, o esquema de controles desse jogo é no mínimo estranho, você aperta pros lados pra mover, ele faz isso da forma mais travada que você pode imaginar, é horrível pra controlar, mas o pior é pra atacar, você movimenta o braço do Salsicha num ângulo de 90 graus, eu acho, e aí você joga uma das pedras que você pega no meio dos cenários e ela vai na direção que o braço do Salsicha estiver apontado. É algo meio retardado, mas poderia até ficar bom se fosse feito direito, mas... Puta que pariu! Com certeza não é esse o caso.

Primeiramente, os inimigos do jogo te atacam rapidamente, especialmente os morcegos, enquanto o braço do Salsicha demora dois séculos pra se mexer e se ajustar na posição que você quer, daí até você conseguir mirar em alguma coisa... PÁ! Você morreu! E falando em morrer, o Salsicha morre por quase tudo, ele morre se tropeçar no degrau de uma escada, morre se saltar de um lugar com altura média (Se não morrer, fica tonto por um tempo, o que te deixa completamente indefeso contra os inimigos que vão vir pra cima.), morre se encostar num inimigo, morre se RESPIRAR, caralho, Bubsy ficaria orgulhoso do Salsicha se pudesse ve-lo agora.

Até eu seria um herói melhor que esse cara, se aparentemente o destino do mundo dependesse do Salsicha, estaríamos todos fodidos.


E pra piorar, ainda tem essas seções de plataformas do jogo, mas adivinhe? Você também depende do braço do Salsicha pra pular, e isso vai te causar mais dor de cabeça do que você imagina, porque não dá pra dizer direito até onde a porra do pulo vai, e quando você pensa que ele vai conseguir alcançar a plataforma ou a corda na outra parte do cenário com um pulo mais longo... ELE PARA A PORRA DO PULO! Ele para no meio do ar e vai caindo que nem uma panqueca no chão, isso não é nem fisicamente possível, caralho. Por acaso isso aí foi a física que mais tarde seria usada pra Sonic the Hedgehog 4: Episode 1?

O posicionamento dos inimigos também é uma desgraça, muitas vezes eles estão em lugares impossíveis de se evitar, por exêmplo uns ratos que ficam andando pela beirada das escadas de uma das partes do jogo, e eles não saem, se eu tocar neles, eu morro, se eu pular da escada, o Salsicha morre porque ele morre por qualquer coisa, daí eu tenho que ir morrendo até chegar uma hora em que o posicionamento vai ser diferente.

E sabe quantas vidas você tem durante o jogo inteiro? Três, três porras de vidas, não tem nem vidas extras pra pegar no decorrer do jogo. Tente sobreviver nesse lixo com 3 vidas, e isso tudo ainda na dificuldade Easy. Esse jogo não é difícil pelos desafios dele, ele é difícil por ser injustamente frustrante. O gameplay disso é tão ruim que eu cheguei a achar que tinha alguma coisa errada com o meu joystick de PC quando joguei essa merda, mas não, o jogo que é ruim mesmo.

Tanana... Tananana na...


Acompanhando a frustrante aventura de Salsicha em sua missão contra o Cavaleiro Negro, tem uma música, uma só música no jogo inteiro que fica num loop infinito, e não é nem uma música longa, é uma versão Genesis da Toccata Fugue In D Minor, e ainda assim é uma versão Genesis dos dois primeiros segundos dela, isso num loop infinito que com certeza vai te deixar louco depois de tanto ouvir.

E se isso não for o suficiente pra te deixar maluco, tem os efeitos sonoros como os gritos do Salsicha e os gemidos dele quando está tonto, o "mimimimi" dos relógios que eu falei antes, entre vários outros.

Veredicto final

Esse é o pior jogo de Mega Drive que existe. É como se ele tivesse sido criado por algum psicopata sádico que queria ver qualquer pessoa que se atrevesse a jogar isso sofrer e chorar se perguntando por que essa aberração de jogo existe. E sabe o que é pior? Essa não é nem a pior versão desse jogo, de acordo com o AVGN, tem uma versão pro CD-i que é ainda pior que essa do Mega Drive, e é lógico que eu não vou querer nem chegar perto. Fique o mais distante desse jogo que você puder.

... É sério mesmo que eu analisei isso?

Prós:
+ Pelo menos o castelo tem um visual legalzinho.

Contras:
- O resto.

Gráficos: 6/10
Enredo: 3/10
Gameplay: 0/10
Som: 0/10
Conteúdo extra: 0/10

Veredicto:

- Copyright © Blog do Ryu - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -